RETRATOS DA MULHER NA CULTURA E NA LITERATURA

Valdeci Batista de Melo OLIVEIRA, Greicy Erhart Pereira da COSTA, Clariane Leila DALLAZEN

Resumo


O presente artigo discute textos que retratam a mulher dentro dos valores do mundo patriarcal brasileiro, juntamente, com textos em que as personagens ousam arrostar esse mesmo ideário. Em dois retratos feitos em forma de canções, as duas mulheres apresentadas não têm sequer nomes próprios e suas vidas existem em função do homem. Em outros dois, o conto A fuga, de Clarice Lispector, escrito em 1940 e publicado em 1979 e o cordel A mulher que vendeu o marido por 1,99, de Janduhi Dantas, duas mulheres protagonistas demandam em busca de autodeterminação. Ambas as personagens são casadas e são infelizes no casamento; ambas suportam condições adversas que as inquietam e oprimem e das quais desejam sair. Será utilizado o conceito do dominante de (JAKOBSON, 1983), como ferramenta teórica, assim como ferramentas dos estudos de gêneros (BUTLER, 2003; LOURO, 1997) e da literatura comparada (CARVALHAL, 1986).

REFERÊNCIAS:

ASSIS, Machado. Dom Casmurro. São Paulo: Editora Ática, 1996 [1899].

BADINTER, Elisabeth. Um Amor conquistado: o mito do amor materno. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

BARTHES, Roland. Mitologias. 9. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1993.

BUTLER, Judith P. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Tradução de Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 2003.

CALDEIRA, Teresa Pires do Rio. Cidade de Muros: crime, segregação e cidadania em São Paulo. São Paulo: Edusp/Ed. 34, 2000.

CANEVACCI, M. Introdução. In: Dialética da Família: gênese, estrutura e dinâmica de uma instituição repressiva. São Paulo: Brasiliense, 1981.

CARNEIRO, Sueli. Racismo, sexismo e desigualdade no Brasil. São Paulo: Selo Negro, 2008.

CARVALHAL, Tânia Franco. Literatura comparada. São Paulo: Ática, 1986.

COLASSANTI, Marina. Mulher daqui pra a frente. Rio de Janeiro: Nórdica, 1981.

DANTAS, Janduhi. A mulher que vendeu o marido por 1,99. Patos: Editora Patos, 2009.

DEL PRIORI, Mary (Org.). História das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2000.

DELUMEAU, Jean. História do medo no Ocidente: 1300-1800 - uma cidade sitiada. Tradução de Maria Lucia Machado, tradução das notas de Heloisa Jahn. São Paulo: Cia das letras, 1989. 

FLAUBERT, G. Madame Bovary. Paris: Gallimard, Pléiade, 1951 [1857].

FREUD, Sigmund. Obras Completas. São Paulo: Imago, 1974.

FRIEDAN, Betty. A Mística Feminina. Petrópolis:Vozes, 1971.

FRYE, Northrop. Anatomia da Crítica. Tradução de Péricles Eugênio da Silva Ramos. São Paulo: Cultrix, 1973.

GOTLIB, Nádia Batella. Clarice uma vida que se conta. São Paulo: Ática, 1995.

GUEDES, O.; DAROS, A. O cuidado como atribuição feminina: contribuições para um debate ético. Serv. Soc. Rev., Londrina, v. 12, n. 1, p. 122-134, jul./dez. 2009.

HAHNER, J. E. Emancipating the female sex: The struggle for women’s rights in Brazil, 1850-1940. Durham: Duke University Press, 1990. 

HIRATA, H. Guimarães (Org.). Cuidado e cuidadoras: as várias facetas do trabalho do care. São Paulo: Atlas; 2012.

JAKOBSON, Roman. O dominante. In: LIMA, Luiz Costa (Org.). Teoria da literatura em suas fontes. vol. 1; 2a ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1983.

KAUFMANN, Jean-Claude. L’Entretien Compréhensif. Paris : Éditions Nathan, 1996.

LABOV, Williams. Alguns passos iniciais na análise da narrativa. Trad. Waldemar Ferreira Neto. The Journal of Narrative and Life History, v. 7, p. 1-18, 1997. Disponível em: <https://www.academia.edu/4598767/LABOV_William._Alguns_passos_iniciais_na_an%C3%A1lise_da_narrativa >. Acesso em: 05 nov. 2018.

LISPECTOR, Clarice. A Bela e Fera. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1992.

LISPECTOR, Clarice. A fuga. In: LISPECTOR, Clarice. A bela e a fera. Rio de Janeiro: Rocco, 1999.

LISPECTOR, Clarice. Água Viva. Edição bilíngue. Paris: des femmes, 1973.

LOURO, Guacira. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis: Vozes, 1997.

MAINGUENEAU, Dominique. Análise de Textos da Comunicação. Tradução de Cecília P. de Souza-e-Silva e Décio Rocha. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

MEJIA, Blanca Flor Demenjour Munoz; CONCEIÇÃO, Rute Izabel Simões. Qualidade discursiva concretude e projeções metonímicas: um estudo comparativo em narrativas. Revista Arredia, Dourados, Editora UFGD, v. 3, n. 4, p. 82-99, jan./jul. 2014.

MOISÉS, Massaud. A Criação Literária. São Paulo: Melhoramentos, 1974.

MONEGAL, Emir Rodríguez. Sexo y poesía en el Novecientos. Montevidéu: Alfa, 1969.

NASCIMENTO, Evando. Clarice Lispector: uma literatura pensante. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2012.

NASIO, J. D. A histeria: teoria e clínica psicanalítica. Rio de Janeiro: Zahar, 1991

NUNES, A. B. Jr. Êxtase e clausura: sujeito místico, Psicanálise e estética. São Paulo: Annablume, 2005.

OLIVEIRA, Valdeci Batista de Melo. Figurações da donzela-guerreira: Luzia-Homem e Dona Guidinha do Poço. São Paulo: Annablume, 2005.

PAIVA, Oliveira. Dona Guidinha do Poço. São Paulo: Editora Ática, 2004 [1891].

PÊCHEUX, Michel. Análise automática do discurso. Trad. Eni P.Orlandi. In: GADET, Françoise; HAK, Tony (Orgs.) Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. Campinas: Unicamp, 1993.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. São Paulo: Unicamp, 1997.

PÊCHEUX, Michel. Sob o pseudônimo de Thomas Herbert. Observações para uma teoria geral das ideologias. Trad. Carolina M. R. Zuccolillo; Eni P. Orlandi; José H. Nunes. RUA, nº 1, Campinas, 1995.

QUEIRÓS, Eça de. O Primo Basílio. São Paulo: Ática, 1979 [1878].

REIS, Carlos; LOPES, Ana Cristina M. Dicionário de narratologia. Coimbra: Almedina, 2007.

SANT´ANNA, A. R. de. Paródia, paráfrase & cia. 4a ed. Ática: São Paulo, 1991.

SANTAELLA, L. Matrizes da linguagem e pensamento: sonora, visual, verbal: aplicações na hipermídia. São Paulo: Iluminuras e FAPESP, 2005.

SCOTT, J. (1995). Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade, 20, 71-99.

TAVARES, Hênio. Teoria literária. 6. ed. Belo Horizonte: Itatiaia, 1978.

TRILLAT, E. História da histeria. São Paulo: Escuta, 1991.

VIANNA, Cynthia Semíramis Machado. A reforma sufragista: marco inicial da igualdade de direitos entre mulheres e homens no Brasil. Tese de doutorado. Universidade Federal de Minas Gerais: Belo Horizonte, 2017.

VIDINHA de balada. Intérpretes: Henrique e Juliano. [S.l.]: Independente, 2017. (3 min.).

ZOLIN, Lúcia Osana. Literatura de Autoria Feminina. In: ZOLIN, L. O.; BONNICI, T. (Orgs). Teoria Literária: abordagens históricas e tendências contemporâneas. 2a ed. rev. e amp. Maringá: Eduem, 2005.

ENVIADO EM 24-04-19 | ACEITO EM 04-07-19 


Palavras-chave


Retrato, Mulher, Machismo, Literatura.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.48075/rt.v15i36.22220

Direitos autorais 2019 Trama

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Revista Trama

______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

e-ISSN 1981-4674 

Unioeste

Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Campus de Marechal Cândido Rondon 

Colegiado do Curso de Letras

Rua Pernambuco, 1777

Marechal Cândido Rondon - Paraná

Caixa Postal 91 - CEP: 85960-000

| trama.unioeste@gmail.com |