TÁTICAS APLICADAS POR SACOLEIROS NA REALIZAÇÃO DO DESCAMINHO NA PONTE DA AMIZADE

Autores

  • Roberto Rigaud Navega Costa Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu – SOCIEDADE, CULTURA E FRONTEIRAS
  • Eric Gustavo Cardin Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu – SOCIEDADE, CULTURA E FRONTEIRAS

DOI:

https://doi.org/10.48075/ra.v7i1.22681

Palavras-chave:

Sacoleiros, Tática, Descaminho, Fronteira

Resumo


O presente artigo tem como objetivo descrever as táticas dos sacoleiros, compradores de produtos industrializados em Ciudad del Este, no Paraguai, para conseguirem passar suas mercadorias pela Ponte da Amizade, que liga a cidade paraguaia a Foz do Iguaçu, Paraná. Tendo em vista o fato de tais sacoleiros realizarem compras cujos valores mensais ultrapassam o limite de US$ 300,00 (cota máxima mensal para cada CPF), passar pela fiscalização sem pagar os impostos é fundamental para a manutenção de sua atividade. Para a obtenção dos dados referentes ao texto a seguir realizamos observação participante, nos fazendo passar por sacoleiros e fazendo os mesmos movimentos e táticas para conseguirmos ultrapassar as barreiras alfandegárias implantadas pela Receita Federal brasileira à cabeceira da ponte, em Foz do Iguaçu. Abaixo descreveremos quais são as táticas e seus motivos principais. Esperamos, com a apresentação do presente texto, contribuir para caracterizar os personagens que fazem parte da atividade do descaminho, que atuam na Ponte da Amizade, mostrar suas táticas e lançar luz em uma atividade econômica marginal, que apesar de não ter mais a força que apresentava nas décadas de 1990 até 2010, ainda persiste como meio de obtenção de renda de várias pessoas, tanto de Foz do Iguaçu, quanto de vários municípios do Brasil afora.

Downloads

Publicado

05-08-2019

Como Citar

COSTA, R. R. N.; CARDIN, E. G. TÁTICAS APLICADAS POR SACOLEIROS NA REALIZAÇÃO DO DESCAMINHO NA PONTE DA AMIZADE. Alamedas, [S. l.], v. 7, n. 1, p. 77, 2019. DOI: 10.48075/ra.v7i1.22681. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/alamedas/article/view/22681. Acesso em: 30 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos e Ensaios