O PENSAMENTO DE PAULO FREIRE E O ENSINO DE FILOSOFIA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/ra.v8i1.23896

Palavras-chave:

Educação, Ensino de Filosofia, Paulo Freire

Resumo


Resumo:

 

Pretende-se, neste artigo, apresentar a relação entre o pensamento de Paulo Freire, em especial o pensamento desenvolvido na obra Pedagogia da Autonomia, e o Ensino de Filosofia. A intenção aqui é avaliar as possíveis contribuições que a pedagogia de Freire pode proporcionar para a reflexão e prática do ensino da Filosofia. Será verificada assim a compatibilidade entre essa pedagogia e as concepções mais recentes sobre o ensino, ou sobre a didática da Filosofia. Alguns dos “saberes para a prática educativa” propostos por Paulo Freire, como a superação da curiosidade ingênua pela curiosidade epistemológica, o “pensar certo”, o “inacabamento” do ser humano, entre outros, além de conceitos como o da “contextualização” são adequados e pertinentes para o ensino da filosofia, alinhando-se assim à concepção de que “ensinar filosofia é ensinar a filosofar”, e às funções comumente atribuídas a este ensino, como a formação para a cidadania e o desenvolvimento do pensamento crítico. Dessa forma, a pedagogia freiriana pode ser um importante referente teórico para o pensamento e prática do ensino de filosofia.

Biografia do Autor

Homero Santos Souza Filho, Universidade de São Paulo - USP

Departamento de Filosofia (USP) - Bacharel e Mestrado.

Departamento de Educação (USP) - Doutorado

Downloads

Publicado

14-08-2020

Como Citar

SOUZA FILHO, H. S. O PENSAMENTO DE PAULO FREIRE E O ENSINO DE FILOSOFIA. Alamedas, [S. l.], v. 8, n. 1, p. 53–72, 2020. DOI: 10.48075/ra.v8i1.23896. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/alamedas/article/view/23896. Acesso em: 8 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos e Ensaios