“MENINAS QUE QUEREM AJUDAR A FAMÍLIA” - AS QUE VÃO, OS QUE FICAM E AS REDES DE CUIDADO E DE AFETIVIDADE TRANSNACIONAIS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/ra.v9i1.26861

Palavras-chave:

Imigração, interseccionalidade, sociabilidade.

Resumo


A partir da pesquisa em andamento em salões de beleza de mulheres imigrantes africanas em São Paulo, busca-se refletir entorno das redes de sociabilidade, afetividade e de cuidado transnacionais. Ao passo que reforça a importância de uma visão multifacetada das dinâmicas migratórias, sobretudo se atentando aos regimes de diferença de gênero e raça. 

Biografia do Autor

Elisa Hipólito Santo, Universidade de São Paulo

Mestranda em Antropologia Social pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade de São Paulo (USP). Bacharel em Antropologia, com habilitação em Antropologia Social, pela Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em Antropologia das Populações Afro-Brasileiras, Marcadores Sociais da Diferença e Feminismo Negro

Downloads

Publicado

18-02-2021

Como Citar

SANTO, E. H. “MENINAS QUE QUEREM AJUDAR A FAMÍLIA” - AS QUE VÃO, OS QUE FICAM E AS REDES DE CUIDADO E DE AFETIVIDADE TRANSNACIONAIS. Alamedas, [S. l.], v. 9, n. 1, p. 12–32, 2021. DOI: 10.48075/ra.v9i1.26861. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/alamedas/article/view/26861. Acesso em: 6 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos e Ensaios