AS FRONTEIRAS INSULARES NO CONTEXTO DA MOBILIDADE/MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS: O CASO DE CABO VERDE (ÁFRICA)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/ra.v9i1.26896

Palavras-chave:

fronteiras cabo-verdianas, migrações, africanos.

Resumo


fronteiras dos Estados africanos, sobretudo no contexto das Comunidades Económicas Regionais, têm provocado abordagens diferenciadas, com destaque para estudos específicos sobre as relações entre as mobilidades e as dinâmicas sociais n(d)as fronteiras. Este trabalho, fruto da reflexão da tese de dissertação, propõe refletir sobre como se construiu a conceção e/ou representação das fronteiras cabo-verdianas e foi evoluindo, implicando em novas dinâmicas sociais no contexto das mobilidades/migrações internacionais, com enfoque especial sobre os cidadãos da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) para/em Cabo Verde. Para o efeito, o presente estudo baseia-se em análise qualitativa com base em entrevistas privilegiando como foco de análise as narrativas dos cidadãos da CEDEAO sobre suas experiências de mobilidade e travessia de fronteiras africanas bem como das dos agentes de fronteira. Percebeu-se que as fronteiras cabo-verdianas são instituições complexas de produção essencialmente de subjetividades que, em dinâmicas, condicionam a mobilidade dos cidadãos da CEDEAO para Cabo Verde.  

Downloads

Publicado

18-02-2021

Como Citar

DO CANTO, P. O. AS FRONTEIRAS INSULARES NO CONTEXTO DA MOBILIDADE/MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS: O CASO DE CABO VERDE (ÁFRICA). Alamedas, [S. l.], v. 9, n. 1, p. 76–97, 2021. DOI: 10.48075/ra.v9i1.26896. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/alamedas/article/view/26896. Acesso em: 7 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos e Ensaios