AS MEMÓRIAS DA DOR NO ROMANCE O IRMÃO ALEMÃO, DE CHICO BUARQUE

Autores

  • Marinês Andrea Kunz Universidade Feevale
  • Luis Felipe Loro Universidade Feevale

DOI:

https://doi.org/10.48075/rlhm.v13i22.17813

Palavras-chave:

Ditadura civil-militar. Literatura. Violência. Trauma.

Resumo


Este artigo apresenta uma análise da narrativa testemunhal do romance memorialístico O Irmão Alemão, publicado em 2014, por Chico Buarque. A obra, que tematiza o trauma, evidencia cicatrizes deixadas pelo período civil-militar no Brasil. Na narrativa, além da representação do trauma e da fragmentação de um sujeito distópico, abalado pela violência engendrada pelo Estado, também é abordada a violência vivenciada em função da Segunda Guerra Mundial por meio da descoberta, pelo protagonista, de um irmão alemão. A narração é instaurada por um narrador em primeira pessoa, que parte do testemunho da sua experiência individual. Analisam-se, igualmente, aspectos implícitos presentes na distopia e desfragmentação que se incorporam ao discurso narrativo com a assimilação das perdas engendradas pela violência.

Biografia do Autor

Marinês Andrea Kunz, Universidade Feevale

Dra. em Letras pela PUCRS, Professora e pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Processos e Manifestações Culturais, do Mestrado em Letras e do curso de Letras.

Luis Felipe Loro, Universidade Feevale

Formado em Letras - Português/Inglês. Professor na rede municipal de Igrejinha e bolsista de Aperfeiçoamento Científico na Feevale.

Downloads

Publicado

31-12-2017

Como Citar

KUNZ, M. A.; LORO, L. F. AS MEMÓRIAS DA DOR NO ROMANCE O IRMÃO ALEMÃO, DE CHICO BUARQUE. Revista de Literatura, História e Memória, [S. l.], v. 13, n. 22, p. 345–357, 2017. DOI: 10.48075/rlhm.v13i22.17813. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/rlhm/article/view/17813. Acesso em: 30 jun. 2022.

Edição

Seção

PESQUISA EM LETRAS NO CONTEXTO LATINO-AMERICANO E LITERATURA, ENSINO E CULTURA