KITSCH E VIOLÊNCIA EM “LA VIRGEN DE LOS SICARIOS”, DE FERNANDO VALLEJO

Autores

  • Tatiele da Cunha Freitas Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.48075/rlhm.v13i22.17876

Palavras-chave:

pós-modernidade, kitsch, literatura contemporânea, literatura colombiana, Fernando Vallejo.

Resumo


Este trabalho, que configura parte da dissertação intitulada “Ostentação e ruínas: Kitsch e violência em “La virgen de los sicarios”, de Fernando Vallejo, parte da hipótese de que o autor se utiliza da estética do kitsch, aproveitando-a como um recurso constitutivo da própria pós-modernidade, na tentativa de, muito além de retratar a realidade, denunciar as próprias mazelas sociais vividas pela sociedade colombiana, sobretudo na década de 1990. Dessa maneira, com o suporte teórico de autores como o apoio teórico dos pesquisadores Umberto Eco (2004), Walter Benjamin (1987), Abraham Moles (1975), apresentamos primeiramente uma leitura do livro, seguida de uma aproximação à estética do kitsch, para, assim, conformar uma análise que justifique o uso da estética para narrar a violência na referida obra.

Downloads

Publicado

31-12-2017

Como Citar

FREITAS, T. da C. KITSCH E VIOLÊNCIA EM “LA VIRGEN DE LOS SICARIOS”, DE FERNANDO VALLEJO. Revista de Literatura, História e Memória, [S. l.], v. 13, n. 22, p. 103–119, 2017. DOI: 10.48075/rlhm.v13i22.17876. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/rlhm/article/view/17876. Acesso em: 30 jun. 2022.

Edição

Seção

DOSSIÊ LITERATURA KITSCH E CULTURA POPULAR