OS SENTIDOS DO KITSCH NA OBRA A GRANDE MARCHA (2014), DE EWERTON MARTINS RIBEIRO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/rlhm.v13i22.17883

Palavras-chave:

Kitsch, literatura, romance, manifestações sociais

Resumo


O presente trabalho é uma pesquisa, em sua maior parte bibliográfica e de caráter interdisciplinar, baseada nos conceitos de kitsch e metaficção historiográfica. A pesquisa se baseia na análise do livro A Grande Marcha (2014), de Ewerton Martins Ribeiro. A análise da obra se justifica pelo desejo de explanarmos sobre as manifestações sociais ocorridas em todo o Brasil, em 2013. Esse evento histórico de ampla repercussão nacional foi retratado na narrativa de Ewerton Martins Ribeiro sob a perspectiva de um conceito utilizado na política, na arte, na literatura, entre outras áreas. O kitsch, conceito em questão, é uma expressão de origem alemã, essencialmente figurativa e de caráter predominantemente pejorativo. A partir disso, pretendemos analisar qual a representação do kitsch no romance e de que modo, valendo-se dele, o autor contesta todo um movimento social.

Biografia do Autor

Vivian Stefanne Soares Silva, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais - CEFET - MG

Bacharel em Letras e Estudante de pós graduação em Estudos de Linguagens, pelo Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais.

Downloads

Publicado

31-12-2017

Como Citar

SOARES SILVA, V. S. OS SENTIDOS DO KITSCH NA OBRA A GRANDE MARCHA (2014), DE EWERTON MARTINS RIBEIRO. Revista de Literatura, História e Memória, [S. l.], v. 13, n. 22, p. 139–162, 2017. DOI: 10.48075/rlhm.v13i22.17883. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/rlhm/article/view/17883. Acesso em: 27 maio. 2022.

Edição

Seção

DOSSIÊ LITERATURA KITSCH E CULTURA POPULAR