FICÇÃO-CRÍTICA E VIDA LITERÁRIA NOS ROMANCES "EM LIBERDADE" E "MACHADO", DE SILVIANO SANTIAGO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/rlhm.v17i30.27536

Palavras-chave:

Ficção-crítica, Silviano Santiago, Vida literária.

Resumo


Este artigo apresenta uma análise de dois romances de Silviano Santiago, o Em liberdade (1981) e o Machado (2016), com ênfase na discussão ética e estética da imaginação de cenas da vida literária brasileira de outros tempos, que recontextualiza arquivos e ressignifica personagens da história cultural. A análise está baseada na noção de ficção-crítica (WEINHARDT, 2011), mas, também, amparada nos ensaios de Barthes (2007) acerca do entrelace discursivo entre as práxis literária e crítica desde a década de 1960 em cenário francês, além das reflexões em torno da ficção histórica contemporânea na América Latina que dialogam diretamente com a problemática da globalização e do neoliberalismo (PERKOWSKA, 2008; AÍNSA, 2003). Conforme análise e cotejo da sobras, percebe-se que, na impossibilidade de desocupar os lugares e as funções de ficcionista e de crítico, o intelectual Silviano Santiago se utiliza da narrativa híbrida para falar de si e dos outros, da literatura e da vida, como forma de alargamento dos campos estético e político.

Biografia do Autor

Helder Santos Rocha, Universidade Federal do Paraná

Doutor em Letras/Estudos Literários pela Universidade Federal do Paraná. Membro do grupo de pesquisa do CNPq "Estudos sobre ficção histórica no Brasil". Professor de Língua Portuguesa e Literatura. Revisor Textual.

Downloads

Publicado

01-02-2022

Como Citar

ROCHA, H. S. FICÇÃO-CRÍTICA E VIDA LITERÁRIA NOS ROMANCES "EM LIBERDADE" E "MACHADO", DE SILVIANO SANTIAGO. Revista de Literatura, História e Memória, [S. l.], v. 17, n. 30, p. 287–308, 2022. DOI: 10.48075/rlhm.v17i30.27536. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/rlhm/article/view/27536. Acesso em: 15 ago. 2022.

Edição

Seção

PESQUISA EM LETRAS NO CONTEXTO LATINO-AMERICANO E LITERATURA, ENSINO E CULTURA