A TRADUÇÃO DE O FILHO ETERNO DE CRISTOVÃO TEZZA PARA LÍNGUA INGLESA SOB AS LENTES DOS ESTUDOS DE TRADUÇÃO BASEADOS EM CORPUS

Jessica Tomimitsu Rodrigues

Resumo

O presente trabalho propõe-se a analisar a obra do escritor brasileiro Cristovão Tezza, O Filho Eterno, de 2007, e a tradução para língua inglesa, The Eternal Son, de 2013, de Alison Entrekin sob a perspectiva dos Estudos da Tradução Baseados em Corpus (BAKER, 1993, 1996) e da Linguística de Corpus (BERBER SARDINHA, 2004). Em consonância com as teorias
norteadoras do campo da Literatura Comparada, os Estudos da Tradução superam perspectivas de equivalência e fidelidade para assumir a compreensão da tradução como um objeto per
se (BAKER, 1996). Dessa forma, prima-se por identificar comportamentos inerentes ao texto traduzido de modo a contribuir para a compreensão dos processos, das características e, em
última instância, do fenômeno da tradução. Este trabalho focaliza a tendência de simplificação – omissão e consequente redução no texto traduzido em comparação ao original – e explicitação – inserções explicativas e consequente aumento na tradução. A identificação e análise de tais características configuraram-se como uma tendência a aproximar o texto original a cultura e língua alvo, facilitando por meio de inserções ou omissões a leitura e fluidez para o público-alvo. A análise de toda a extensão dos subcorpora computados na pesquisa
tornou-se possível por meio do suporte da ferramenta digital, WordSmith Tools 6.0.

Palavras-chave

Estudos Tradução; Linguística de Corpus; Literatura Brasileira.

Texto completo:

PDF