Atividades pedagógicas na promoção da aprendizagem ativa dos estudantes de graduação nas disciplinas de estatística

Suzi Samá

Resumo

Resumo: Este relato de experiência apresenta três atividades planejadas para instigar o interesse do estudante do Ensino Superior pela Estatística e promover sua aprendizagem ativa em sala de aula. No seu planejamento e desenvolvimento, consideraram-se os pressupostos da Teoria da Biologia do Conhecer e da Neurociência Cognitiva, para que os estudantes se percebam como produtores de conhecimento e corresponsáveis pelo seu processo de aprendizagem. De diferentes formas, as três atividades viabilizaram uma participação ativa dos estudantes, que perderam o receio pela disciplina e participaram de debates e discussões potencializados pela metodologia de ensino adotada. Conclui-se que repensar a prática pedagógica pode levar o professor a encontrar formas de ajudar os estudantes a superar suas dificuldades de compreensão dos conceitos estatísticos.

Palavras-chave: Educação Estatística; Aprendizagem Ativa; Atividades Pedagógicas; Neurociência Cognitiva; Teoria da Biologia do Conhecer.

Pedagogical activities in promoting active learning of graduate students in statistical disciplines

Abstract: This experience report presents three activities designed to arouse the interest of higher education students in statistics and to promote their active learning in the classroom. In its planning and development, we considered the assumptions of the Theory of Knowledge Biology and Cognitive Neuroscience, so that students perceive themselves as knowledge producers and co-responsible for their learning process. In different ways, the three activities enabled the active participation of students, who lost their fear of the discipline and participated in debates and discussions enhanced by the teaching methodology adopted. It is concluded that rethinking pedagogical practice can lead the teacher to find ways to help students overcome their difficulties in understanding statistical concepts.

Keywords: Statistical Education; Active Learning; Pedagogical Activities; Cognitive Neuroscience; Theory of Biology of Knowing.

Palavras-chave

Educação Estatística; Aprendizagem Ativa; Atividades Pedagógicas; Neurociência Cognitiva; Teoria da Biologia do Conhecer.

Texto completo:

PDF

Referências

ANDRADE, M. C. F.; SOUZA, P. R. Modelos de rotação do ensino híbrido: estações de trabalho e sala de aula invertida. E-Tech, Florianópolis, v. 9, n. 1, p. 03-16, 2016.

BACICH, L.; MORAN, J. M. Aprender e ensinar com foco na educação híbrida. Revista Pátio, Porto Alegre, n. 25, p. 45-47, jun. 2015. Disponível em: http://www.grupoa.com.br/revistapatio/

artigo/11551/aprender-e-ensinar-com-foco-na-educacao-hibrida.aspx. Acesso em: 10 jan. 2019.

BARTOSZECK, A. B.; BITTENCOURT, D. F. Alfabetização em Neurociência e Educação para professores do Ensino Fundamental e Médio: um estudo exploratório. Revista Paidéi@. Santos, v. 9, n.15, p. 1-27, jan. 2017.

BORTOLI, B.; TERUYA, T. K. Neurociência e Educação: os percalços e possibilidades de um caminho em construção. Imagens da Educação, Maringá, v. 7, n. 1, p. 70-77, 2017.

CAMPOS, C. R. et al. O ensino de gráficos estatísticos no contexto da educação crítica. In: CONFERÊNCIA INTERAMERICANA DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA 15., 2015, Tuxtla Gutiérrez, México. Anais... Tuxtla Gutiérrez, México: XV CIAEM, 2015. p. 165-172.

CAVALCANTI, M. R. G.; NATRIELLI, K. R. B.; GUIMARÃES, G. L. Gráficos na mídia impressa. Bolema, Rio Claro, v. 23, n. 36, p. 733-751, ago. 2010.

CAZORLA, I. Estatística ao alcance de todos. In: ENCONTRO NACIONAL DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 8., 2004, Recife. Anais... Recife: VIII ENEM, 2004. p. 1-11.

CAZORLA, I. M.; SILVA JÚNIOR, A.V.; SANTANA, E. R. S. Reflexões sobre o ensino de variáveis conceituais na educação básica. REnCiMa, São Paulo, v. 9, n. 2, p. 354-373, 2018.

CORDANI, L. K. Caminhos da Educação Estatística ao longo do tempo: uma leitura pessoal. Jornal Internacional de Estudos em Educação Matemática, São Paulo, v. 8, n. 3, p. 154-178, 2015.

COSENZA, R.; GUERRA, L. Neurociência e educação: como o cérebro aprende. 1. ed. Porto Alegre: Artmed, 2011.

GAL, I. Adult’s statistical literacy: Meanings, components, responsabilities. International Statistical Review, The Netherlands, v. 70, n. 70, p. 1-25, abr. 2002.

GARFIELD, J. Cooperative learning revisited: From an instructional method to a way of life. Journal of Statistics Education, Alexandria, v. 21, n. 2, p.1-9, 2013.

GAZZANIGA, M. S. et al. Neurociência cognitiva: a biologia da mente. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.

GOULART, A.; COUTINHO, C. Q. S. Letramento estatístico e o Exame Nacional do Ensino Médio. In: SAMÁ, S.; PORCIÚNCULA, M. Educação Estatística: ações e estratégias pedagógicas no Ensino Básico e Superior. 1. ed. Curitiba: CRV, 2015. p. 145-153.

IZQUIERDO, I. Memória. 1. ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.

KANNO, M. Infografe: como e porque usar infográficos para criar visualizações e comunicar de forma imediata e eficiente. 1. ed. São Paulo: INFOLIDE, 2013. Disponível em: https://designlyn.files.wordpress.com/2014/06/infografemariokannopagsimples-130822154840-phpapp02.pdf. Acesso em: dezembro de 2018.

KENSKI, V. Educação e Comunicação: interconexões e convergências. Educação & Sociedade, Campinas, v. 29, n. 104 - especial, p. 647-665, out. 2008.

LENT, R. Cem bilhões de neurônios: conceitos fundamentais da neurociência. 1. ed. São Paulo: Atheneu, 2004

MATURANA, H. R. Cognição, ciência e vida cotidiana. 1. ed. Belo Horizonte: UFMG, 2006.

MATURANA, H. R.; VARELA, F. A árvore do conhecimento: as bases biológicas da compreensão humana. 5. ed. São Paulo: Palas Athena, 2005.

METRING, R. A. Neuropsicologia e aprendizagem: fundamentos necessários para planejamento do ensino. 1. ed. Rio de Janeiro: Wak, 2011.

MORAN, J. Metodologias ativas para uma aprendizagem mais profunda. In: BACICH, L.;

MORAN, J. (org.). Metodologias ativas para uma educação inovadora. 1. ed. Porto Alegre: Penso, 2018. p. 1-25.

PEREIRA, F. A.; SOUZA, F. S. O Exame Nacional do Ensino Médio e a construção do letramento e pensamento estatístico. Educ. Matem. Pesq., São Paulo, v.18, n.3, p. 1319-1343, 2016.

PORCIUNCULA, M.; SAMÁ, S. P. Teaching Statistics through learning projects. Statistics Education Research Journal, Auckland, v.13, n. 2, p.177-186, nov. 2014.

RODRIGUES, P. F. S. Processos cognitivos visuoespaciais e ambiente visual circundante: implicações educacionais. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 32, n. 4, p. 1-10, 2016.

SAMÁ, S. P. et al. Aspectos neurocognitivos da aprendizagem na sala de aula de Estatística. In: LOPES, C. E.; PORCIÚNCULA, M.; SAMÁ, S. (org.) Perspectivas para o ensino e a aprendizagem de Estatística e Probabilidade. 1. ed. Campinas: Mercado de Letras, 2019. p. 271-295.

SAMÁ, S. P.; MOURA, G. M.; SANTOS, F. O. Ensino de Estatística e os nativos digitais: uma proposta para formação inicial de professores. Caminhos da Educação Matemática em Revista, Aracaju, v. 9, n. 2, p. 48-62, 2019.

SAMÁ, S. P.; PORCIÚNCULA, M. Percepção dos estudantes em relação ao ensino de estatística fundamentado no Modelo Pedagógico Relacional. In: ENCONTRO INTERNACIONAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES, 10., FÓRUM PERMANENTE DE INOVAÇÃO EDUCACIONAL, 1., 2017, Aracaju. Anais... Aracaju: UNIT, 2017. p. 1-16. Disponível em: https://eventos.set.edu.br/index.php/enfope/article/viewfile/5029/1487. Acesso em: 25 jun. 2018.

SILVA, P. F.; MENEZES, C. S.; FAGUNDES, L. C. Avaliação processual no contexto de Projetos de Aprendizagem. Informática na Educação: teoria & prática, Porto Alegre, v. 20, n. 1, p. 27-35, jan./abr., 2017.

SOUZA, F. S.; SILVA, A. S. Possibilidades didáticas para o desenvolvimento do letramento estatístico na Educação Básica. In: LOPES, C. E.; PORCIÚNCULA, M.; SAMÁ, S. (org.). Perspectivas para o ensino e a aprendizagem de Estatística e Probabilidade. 1. ed. Campinas: Mercado de Letras, 2019. p. 91-124.

TYNG, C. M. et al. The influences of emotion on learning and memory. Frontiers in Psychology, Brussels, v. 8, n. 1454, p. 1-22, 2017.

VALENTE, J. A. A comunicação e a Educação baseada no uso das tecnologias digitais de informação e comunicação. Revista UNIFESO–Humanas e Sociais, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 141-166, 2014.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.