O LABIRINTO DO FAUNO E A ESPINHA DO DIABO: O GÊNERO FANTASIA NAS REPRESENTAÇÕES HISTÓRICAS DA GUERRA CIVIL ESPANHOLA

Daniel Serravalle de Sá

Resumo


Nos filmes O Labirinto do Fauno (El Laberinto del Fauno, 2006) e A Espinha do Diabo (El Espinazo del Diablo, 2001) o diretor mexicano Guillermo del Toro trabalha a questão da representação histórica ao ambientar suas narrativas no contexto da guerra civil espanhola. No que concerne os gêneros textuais, essas narrativas fílmicas podem ser compreendidas dentro da designação ampla chamada ‘filme histórico’. Entretanto, com a introdução de elementos do gênero fantasia, a representação da categoria histórica no filme se torna mais complexa, produzindo diferentes camadas de compreensão e problematizando o entendimento de aspectos específicos da realidade. Esse texto tem como objetivo destacar algumas cenas centrais nos dois filmes nas quais o elemento fantástico e o sobrenatural desafia o entendimento tradicional da historiografia.

Palavras-chave


O Labirinto do Fauno; A Espinha do Diabo; representação histórica; gênero fantasia; ditadura militar

Texto completo:

PDF


Direitos autorais



Revista de Literatura, História e Memória - Qualis B2

ISSN: 1983-1498 — ISSN: 1809-5313


Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Programa de Pós-Graduação em Letras - PPGL

Rua Universitária, 2069 - Jardim Universitário
Cascavel – Paraná - CEP: 85819-110

| revistalhm@gmail.com |