O ESTADO, A NAÇÃO E O ESTADO-NAÇÃO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/ra.v5i2.18293

Palavras-chave:

Estado, Nação, Identidade, Dominação

Resumo


O presente artigo está dividido em três partes, no primeiro momento expõe-se a teoria de formação de Estado de Engels, descrevendo como se deu a formação do Estado, vinculando principalmente a evolução da propriedade privada e, portanto, aos interesses do capital e das classes hegemônicas. Na sequência, através de análise bibliográfica explana-se sobre o processo de concepção da Nação, no sentido de identidade, reforçando não se tratar de um processo natural, mas arquitetado pelo Estado na tentativa de homogeneização e governabilidade da população, de forma romântica, levando populações inteiras a matar e morrer em defesa da nação. Por último ratifica-se como o Estado-nação se utiliza do poder simbólico, do monopólio legítimo da violência e de outros fatores para controle da nação.

Biografia do Autor

Deise Baumgratz, UNIOESTE

Graduada em administração pela Universidade do Norte do Paraná, especialista em Relações Internacionais Contemporâneas pela Universidade Federal da Integração Latino-americana e mestranda pelo programa de Sociedade, Cultura e Fronteiras da Universidade Estadual do Oeste do Paraná.

Downloads

Publicado

20-01-2018

Como Citar

BAUMGRATZ, D. O ESTADO, A NAÇÃO E O ESTADO-NAÇÃO. Alamedas, [S. l.], v. 5, n. 2, 2018. DOI: 10.48075/ra.v5i2.18293. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/alamedas/article/view/18293. Acesso em: 7 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos e Ensaios