Políticas de remoção: Velhas práticas, novas justificativas. O caso das favelas localizadas no bairro do Alto da Boa Vista (Rio de Janeiro) e a instrumentalização conservadora da questão ambiental

Autores

  • Tiago Boruchovitch Fonseca Mestre em Geografia - Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.48075/amb.v2i1.22058

Palavras-chave:

Ecologia Política, Remoção de Favelas, Geografia urbana, Alto da Boa Vista

Resumo


O presente artigo busca analisar os conflitos que ameaçam de remoção as favelas localizadas no bairro do Alto da Boa Vista, Rio de Janeiro, a partir da história das políticas de remoção nesse município. O bairro do Alto da Boa Vista localiza-se no Maciço da Tijuca e consiste no entorno imediato do Parque Nacional da Tijuca. Caracteriza-se por grandes contrastes sociais e há, em sua parte formal, diversas casas de alto padrão, assim como treze favelas, ameaçadas de remoção por duas principais frentes: um projeto de im­plementação de uma Área de Proteção Ambiental e Recuperação Urbana e uma Ação Civil Pública pro­posta pelo Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro. Os dois conflitos remetem a justificativas relaci­onadas às questões ambientais – seja pelo viés do risco ou da degradação ambiental –, construídas, em ambos os casos, a partir de frágeis argumentações. Assim, pretende-se realizar um breve histórico das políticas de remoção no município do Rio de Janeiro, mostrando também as conquistas relacionadas ao direito à moradia e à permanência, como forma não apenas de contextualizar o aparecimento das justifi­cativas ambientais para as ameaças de remoção sofridas pelas favelas do Alto da Boa Vista, mas também de refletir sobre elas.

Referências

ABREU, Mauricio de Almeida. Evolução urbana do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Iphan Rio; Jorge Zahar, 1987.

ALBUQUERQUE, Luciana de Amorim. Horto Florestal do Rio de Janeiro: disputa fundiária e argumento ambiental. Dissertação (Mestrado em Urbanismo). Universidade Fe¬deral do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016.

ALMEIDA, Rafael G. de Favelas do Rio de Janeiro: A geografia histórica da invenção de um espaço. Tese (Doutorado em Geografia). Universidade Federal do Rio de Ja-neiro, Rio de Janeiro, 2016.

BOOKCHIN, Murray. Ecologia social e outros ensaios. Rio de Janeiro: Achiamé, 2010.

BRAGA, Beatriz D. O discurso do risco ambiental no Morro da Providência na zona por¬tuária do Rio de Janeiro. Monografia (Conclusão de Curso de Especialização em Análise Ambiental e Gestão do Território). Escola Nacional de Ciências Estatísticas, IBGE, 2017.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Lei no 10.257, de 10 de julho de 2001. Estatuto da Cidade e Legislação Correlata. 2. ed., atual. Brasília: Senado Federal, Subsecretaria de Edições Técnicas, 2002.

BRASIL. Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. Direito à moradia adequada. Brasília: Coordenação Geral de Educação em SDH/PR, Direitos Huma¬nos, Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos, 2013.

BRUM, Mário S. Favelas e remocionismo ontem e hoje: da Ditadura de 1964 aos grandes eventos. O Social em Questão, Rio de Janeiro, ano XVI, no 29, pp. 179-208, 2013.

COMPANS, Rose. A cidade contra a favela: a nova ameaça ambiental. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, São Paulo, v. 9, no 1, pp. 83-99, 2007.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Declaração Universal dos Direitos Humanos. (217 [III] A). Paris, 1948. Disponível em <http://www.un.org/en/universal-declaration-human-rights/>. Acesso em 13/12/2019.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS [Committee on Economic, Social and Cultural Rights]. General Comment Nº 04: The Right to Adequate Housing (Art. 11, §1). ONU: Genebra, 1991. Disponível em: <http://www.unhchr.ch/tbs/doc.nsf/0/469f4d91a9378221c12563ed0053547e>. Acesso em 13/12/2019.

GONÇALVES, Rafael S. Política, o direito e as favelas do Rio de Janeiro: Um breve olhar histórico. Urbana: Revista do Centro Interdisciplinar de Estudos sobre a Cidade, v. 1, no 1, pp. 1-23, 2006.

MAGALHÃES, Alexandre. Entre o legal e o extralegal a reatualização da remoção de fave¬las no Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais. São Paulo, v. 1 4, no 1, pp. 119-133, 2012.

MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO (MPE-RJ). Ação Civil Pública nú-mero 2006.001.139217-4. 2006. Rio de Janeiro, 2006.

NABACK, Clarissa P. de A. Remoções biopolíticas: O habitar e a resistência da Vila Autó¬dromo. Dissertação (Mestrado em Direito) – Programa de Pós-Graduação em Di¬reito Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, 2016.

PAULO, Paiva P. Do “Ponha-se na Rua” ao “Sai do Morro Hoje”: Das raízes históricas das remoções à construção da “cidade olímpica”. Monografia (Conclusão de Curso em Comunicação Social). Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, 2013.

RIO DE JANEIRO (Município). Câmara Municipal. Projeto de Lei Nº 1307/2003. Regula-menta a área de proteção ambiental e recuperação urbana - Aparu do Alto da Boa Vista. Rio de Janeiro, 2003. Disponível em: <http://mail.cama-ra.rj.gov.br/APL/Legislati-vos/scpro0711.nsf012cfef1f272c0ec832566ec0018d831/999996f4525242ee032576a20074f45c?OpenDocument>. Acesso em 12/12/2015.

RIO DE JANEIRO (Município). Lei Complementar n.º 111, de 11 de fevereiro de 2011. Dispõe sobre a Política Urbana e Ambiental do Município, institui o Plano Diretor de De¬senvolvimento Urbano Sustentável do Município do Rio de Janeiro e dá outras pro¬vidências. Rio de Janeiro, 2011.

SANTOS, Rebeca S. P. dos. Estudo do caso da Vila Autódromo: Análise da justificativa do poder público sob ótica dos princípios constitucionais e direito de permanência. Monografia (Conclusão de Curso em Direito). Pontifícia Universidade Católica, Rio de Janeiro, 2015.

SOUZA, Marcelo Lopes de. Proteção ambiental para quem? A instrumentalização da eco¬logia contra o direito à moradia. Mercator, v.14, nº4, pp. 25-44, 2015a.

SOUZA, Marcelo Lopes de. From the ‘right to the city’ to the right to the planet: Reinterpreting our contemporary challenges for socio-spatial development. City, v. 19, no 4, pp. 408-443, 2015b.

SOUZA, Marcelo Lopes de. Urban eco-geopolitics: Rio de Janeiro’s paradigmatic case and its global context. City, v. 20, no 6, pp. 779-799, 2016.

Downloads

Publicado

22-06-2020

Como Citar

FONSECA, T. B. Políticas de remoção: Velhas práticas, novas justificativas. O caso das favelas localizadas no bairro do Alto da Boa Vista (Rio de Janeiro) e a instrumentalização conservadora da questão ambiental. AMBIENTES: Revista de Geografia e Ecologia Política, [S. l.], v. 2, n. 1, p. 290, 2020. DOI: 10.48075/amb.v2i1.22058. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/ambientes/article/view/22058. Acesso em: 6 dez. 2021.