Da degradação à floresta: A Agricultura Sintrópica de Ernst Götsch e sua aplicação nas Fazendas Olhos D´Água e Santa Teresinha, Piraí do Norte/BA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/amb.v2i2.26585

Palavras-chave:

Ernst Götshc, sintropia, agricultura Sintrópica, recuperação florestal, produção de alimentos.

Resumo


Baseada na dinâmica natural dos ecossistemas, a Agricultura Sintrópica objetiva promover a recuperação de ambientes florestais e, de forma simultânea, possibilitar a produção de alimentos. Desenvolvida pelo agricultor suíço Ernst Götsch, esse tipo de agricultura vem sendo praticada há quarenta anos em uma fazenda denominada Olhos D’Água, localizada no Sul da Bahia, no município de Piraí do Norte. Considerando os benefícios alimentar e ecológico que a Agricultura Sintrópica proporciona à recuperação e à utilização conservacionista do ambiente, este artigo apresenta os princípios e os procedimentos indispensáveis para a implantação de um sistema agroflorestal fundamentado nesta perspectiva. Para tanto, as informações aqui relatadas foram obtidas por meio de vivências em duas propriedades da família Götsch: 1) A Fazenda Olhos D´Água, que é o “berço” da Agricultura Sintrópica; e 2) A Fazenda Santa Teresinha, local de experimentações por parte da família Götsch. Houve o contato direto com Ernst na ocasião dessas vivências, ocorridas em 2016 e 2017. Em ambos os momentos, foi possível conhecer as fazendas e participar de atividades práticas de implantação e manejo de sistemas agroflorestais. Destas experiências, foi possível constatar que a Agricultura Sintrópica é adaptável a outros ecossistemas e a diferentes tipos de composição botânica, pois não se trata de uma fórmula pronta, mas, sim, de um processo que depende da observação, do manejo humano e de conhecimentos sobre os ecossistemas locais e as espécies nativas mais relevantes. Constatou-se que as Fazendas Olhos D’Água e Santa Teresinha são exemplos de recuperação florestal a partir do manejo humano, porém, um manejo adaptado aos ciclos da natureza e a seus processos de trocas de matéria e energia. A Agricultura Sintrópica, materializada por Ernst Götsch, no Brasil, é uma grande contribuição para a agroecologia.

Referências

AB’SÁBER, Aziz N. Os domínios de natureza do Brasil: Potencialidades paisagísticas. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003.

AGENDA GÖTSCH. O que é agricultura sintrópica? Disponível em: <http://agendagotsch.com>. Acesso em 30/05/2017.

CARDOSO, Irene M; GUIJT, Irene; FRANCO, Fernando S; CARVALHO, Anôr F; FERREIRA NETO, Paulo S. Continual learning for agroforestry system design: university, NGO and farmer partnership in Minas Gerais, Brazil. Agricultural Systems. v. 69, nº 3, pp. 235-257, 2001.

CORTELLA, Mario S. Felicidade na Simplicidade. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=-saAry1cA2k>. Acesso em 07/06/2017.

DI CORPO, Ulisse; VANNINI, Antonella. Syntropy and Sustainability. Proceedings of the 58th Meeting of ISSS. Disponível em: < https://journals.isss.org/index.php/proceedings58th/article/view/2176/747>. Acess0 em 28/11/2020.

FANTAPPIÉ, Luigi. Che cos’è la sintropia: principi di una teoria unitaria del mondo fisico e biologico e conferenze scelte. Roma: Di Renzo Editore, 2011.

GLIESSMAN, Stephen R. Agroecologia: processos ecológicos em agricultura sustentável. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2008.

GÖTSCH, Ernst. Homem e Natureza: Cultura na agricultura. Centro de Desenvolvimento Agroecológico Sabiá. Recife-PE, 1997. Disponível em: <http://www.agendagotsch.com>. Acesso em 10/03/2016.

GREGIO, Josué V. Agricultura Sintrópica: Produzindo alimentos na floresta, das raízes do aipim ao dossel das castanheiras. Dissertação (Mestrado em Geografia). Universidade Estadual Do Oeste Do Paraná, Campus Francisco Beltrão. Francisco Beltrão, 2018.

LEFF, Enrique. Complexidade ambiental. São Paulo: Cortez, 2010.

LIMA, Andreia M. de; MARIANO, Zilda de F. Análise microclimática no interior e fora das florestas estacionais semideciduais na área da bacia da Usina Hidrelétrica de Caçu-GO. Revista do Departamento de Geografia. v. 27, pp. 67-87, 2014.

MIRANDA, Jean C. Sucessão Ecológica: Conceitos, Modelos e Perspectivas. SaBios: Revista de Saúde e Biologia, v. 4, nº 1, pp. 31-37, 2009.

PENEIREIRO, Fabiana M. Fundamentos da agrofloresta sucessional. In.: II Simpósio sobre Agrofloresta Sucessionais, Sergipe, 2003. Anais... Disponível em: <http://agendagotsch.com/texts/>. Acesso em 02/12/2016.

PENEIREIRO, Fabiana M. Sistemas Agroflorestais Dirigidos pela Sucessão Natural: Um Estudo de Caso. Dissertação (Mestrado em Ciências). Universidade de São Paulo, Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. Piracicaba, 1999.

SÁ, Tatiana D. A; KATO, Osvaldo R.; CARVALHO, Claudio J.R; FIGUEIREDO, Ricardo O. Queimar ou não queimar? De como produzir na Amazônia sem queimar. Revista USP, nº 72, pp. 90-97, 2007.

Downloads

Publicado

18-12-2020

Como Citar

GREGIO, J. V. Da degradação à floresta: A Agricultura Sintrópica de Ernst Götsch e sua aplicação nas Fazendas Olhos D´Água e Santa Teresinha, Piraí do Norte/BA. AMBIENTES: Revista de Geografia e Ecologia Política, [S. l.], v. 2, n. 2, p. 106, 2020. DOI: 10.48075/amb.v2i2.26585. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/ambientes/article/view/26585. Acesso em: 7 jul. 2022.