Notas sobre música e cultura indígenas: de uma abordagem colonizadora ao som híbrido contemporâneo

Autores

  • Karliane Macedo Nunes

Palavras-chave:

Música indígena, interculturalidade

Resumo


Este artigo busca apresentar algumas questões em torno da música indígena a partir das distintas abordagens de Helza Cameu (1977) e de Mara Vanessa Dutra (2012).  No livro Introdução Ao Estudo Da Música Indígena Brasileira, o objetivo de Cameu é explicar as manifestações musicais indígenas, provando a existência da música indígena em estágios desiguais, embora próximos, em uma tarefa que obriga toda uma revisão dos documentos disponíveis desde a chegada dos colonizadores. Já a pesquisa de Mara Vanessa Dutra – intitulada Arte E Identidade Em Caminhos Territoriais: A Trajetória De Kanatyo Pataxó -, está interessada em compreender o papel da arte e da música de Kanatyo Pataxó como veículo de sua história de vida e como elemento promulgador de um diálogo intercultural na atualidade. Se, de um lado abordaremos uma pesquisa que revela o caráter colonialista a partir do qual se construiu o conhecimento sobre a musicalidade das populações ameríndias; do outro, destacaremos a reivindicação da interculturalidade que vem se apresentando como demanda de muitos povos indígenas na atualidade, também no âmbito musical.

Referências

CAMEU, Helza. Introdução ao estudo da música indígena brasileira. Conselho Federal de Cultura e Departamento de Assuntos Culturais, 1977.

DUTRA, Mara Vanessa. Arte e identidade indígena em caminhos territoriais: a trajetória de Kanatyo Pataxó. Dissertação apresentada ao Programa Multidisciplinar em Cultura e Sociedade, IHAC, UFBA. Salvador, 2012.

MAHER, Tereza M. Sendo Índio em Português. In: Signorini, I. (org.) Língua (gem) e identidade: Elementos para uma Discussão no Campo Aplicado. Campinas: Editora Mercado das Letras, 1998, p. 115-138.

PATAXÓ, Kanatyo. Águas claras. Literaterras. CD.

Downloads

Publicado

15-06-2016

Como Citar

NUNES, K. M. Notas sobre música e cultura indígenas: de uma abordagem colonizadora ao som híbrido contemporâneo. Travessias, Cascavel, v. 10, n. 1, p. 112–124, 2016. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/14126. Acesso em: 19 maio. 2022.

Edição

Seção

CULTURA