Rastros do cotidiano feminino nas crônicas de Julia Lopes de Almeida

Autores

  • Elenita Conegero Pastor Manchope

Palavras-chave:

Julia Lopes de Almeida, crônicas e cotidiano feminino

Resumo


Esta pesquisa tem como objetivo rememorar, perceber e destacar os usos, costumes e a educação da mulher, nas primeiras décadas do século XX, mais precisamente entre os anos de 1900 a 1910, nas crônicas do Livro das Donas e Donzelas, (1906), de Julia Lopes de Almeida. Autores como CÂNDIDO (1992) DIAS (2002) FLUSSER (1985) GUATARRI & ROLNIK (1986) LEITE (1984) NEEDELL (1993) SONTAG (2004) STALLYBRASS (2008) contribuíram para a análise dos elementos históricos e sociais expressos na obra em tela. Destacou-se na obra as experiências cotidianas, os anseios, os costumes e os papéis sociais atribuídos à mulher.  Procurou-se despir dos valores e preconceitos próprios do nosso presente e perseguir os passos de Julia Lopes de Almeida. Saímos do nosso presente, fomos ao passado e trouxemos de volta para o presente uma nova maneira de ver a mulher na sociedade do final do século XIX e início do século XX.

Referências

ALMEIDA, Julia Lopes. Livro das Donas e Donzelas. Desenhos de Jeanne Mahieu. Rio de Janeiro: Francisco Alves & C.ª, 1906.

CÂNDIDO, Antônio. A vida ao rés-do-chão. In: CÂNDIDO, Antonio et al. A crônica: o gênero, sua fixação e suas transformações no Brasil. Campinas: Editora da UNICAMP, Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 1992, pp. 14 e 20.

DIAS, Marcia Hilsdorf. A Escola Normal paulista na ótica dos conservadores: o jornal católico A Ordem. In: GONDRA, José. (Org.) Dos arquivos à escrita da história: a educação brasileira entre o Império e a República. Bragança Paulista: EDUSP, 2002.

FLUSSER, Vilém.Filosofia da caixa preta: ensaios para uma futura filosofia da fotografia. São Paulo: Editora Hucitec, 1985.

GUATARRI, Felix; ROLNIK, Suely. Micropolítica: cartografias do desejo. Petrópolis: Vozes, 1986.

LEITE, Miriam Moreira. (org.) A condição feminina no Rio de Janeiro, século XIX: antologia de textos de viajantes estrangeiros. São Paulo: Hucitec, 1984.

NEEDELL, Jeffrey D. Belle époque tropical: sociedade e cultura de elite no Rio de Janeiro na virada do século. Tradução de Celso Nogueira. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

Revista Frou-Frou. Número 12.1924.

SONTAG, Susan. Sobre fotografia. Tradução: Rubens Figueiredo. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

STALLYBRASS, Peter. O casaco de Marx: roupas, memória e dor. Tradução de Tomaz Tadeu. 3. Ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2008.

Downloads

Publicado

21-12-2016

Como Citar

PASTOR MANCHOPE, E. C. Rastros do cotidiano feminino nas crônicas de Julia Lopes de Almeida. Travessias, Cascavel, v. 10, n. 3, p. 409–423, 2016. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/15559. Acesso em: 20 jan. 2022.

Edição

Seção

MEMÓRIAS