“Medo da estigmatização?” – a universidade, os processos formativos e a problematização das homossexualidades

Autores

  • Anderson Ferrari Pós-doutor em Educação e Cultura Visual pela Universidade de Barcelona, professor adjunto da Faculdade de Educação da UFJF, professor permanente do PPGE/UFJF, membro do GESED/NEPED/UFJF
  • Marcos Lopes de Souza Doutor em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Formação de Professores da UESB - Coordenador do Grupo de Estudos e Pesquisa em Gênero e Sexualidade - UESB
  • Roney Polato de Castro Professor da Faculdade de Educação e do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora. Coordenador do grupo de estudos e pesquisas em Gênero, Sexualidade, Educação e Diversidade (GESED)

Palavras-chave:

Formação docente, problematização, gênero, sexualidades.

Resumo


A partir de duas falas organizadas pelas inquietações de uma formação em gênero e sexualidade no PIBID de Geografia na UFJF, nos debruçamos nas condições de emergência e análise das práticas cotidianas – como algo se torna um problema e ingressa no domínio do pensamento? Colocar sob suspeita o que pensamos e como agimos se insere na perspectiva foucaultiana de problematização – uma nova diretriz para a pesquisa educacional – a ideia de que para uma ação, comportamento ou prática ingressar no campo do pensamento é necessário que alguns fatores os tenha tornado incertos, os tenha feito perder sua familiaridade ou provocado um certo número de dificuldades. Para isso vamos tomar dois pontos como foco: primeiro, que a dinâmica dos gêneros e das sexualidades são sempre construídas e resultados de investimentos (estão nos discursos, nos artefatos, nos símbolos, nas ações, etc.) e, em seguida, que elas dizem de uma relação com o saber, com aquilo que é possível conhecer numa determinada época.

Biografia do Autor

Anderson Ferrari, Pós-doutor em Educação e Cultura Visual pela Universidade de Barcelona, professor adjunto da Faculdade de Educação da UFJF, professor permanente do PPGE/UFJF, membro do GESED/NEPED/UFJF

Pós-doutor em Educação e Cultura Visual pela Universidade de Barcelona, professor adjunto da Faculdade de Educação da UFJF, professor permanente do PPGE/UFJF, membro do GESED/NEPED/UFJF

Marcos Lopes de Souza, Doutor em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Formação de Professores da UESB - Coordenador do Grupo de Estudos e Pesquisa em Gênero e Sexualidade - UESB

Doutor em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Formação de Professores da UESB - Coordenador do Grupo de Estudos e Pesquisa em Gênero e Sexualidade - UESB

Roney Polato de Castro, Professor da Faculdade de Educação e do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora. Coordenador do grupo de estudos e pesquisas em Gênero, Sexualidade, Educação e Diversidade (GESED)

Professor da Faculdade de Educação e do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora. Coordenador do grupo de estudos e pesquisas em Gênero, Sexualidade, Educação e Diversidade (GESED)

Referências

BENTO, Berenice. O que é transexualidade. São Paulo: Brasiliense, 2008.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero... 2003

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade 2: o uso dos prazeres. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1984.

_____. História da sexualidade 1: a vontade de saber. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1988.

_____. Polêmica, Política e Problematizações. In. FOUCAULT, Michel. Ética, sexualidade, política. Ditos e Escritos V. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006, p. 225-233.

FRY, Peter; MACRAE, Edward. O que é homossexualidade. São Paulo: Abril Cultural: Brasiliense (Coleção Primeiros Passos), 1983.

LAURENTI, Ruy. Homossexualismo e a classificação internacional de doenças. Rev. Saúde Pública, v. 18, n. 5, São Paulo, 1984.

LARROSA, J. Tremores: escritos sobre experiência. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2014.

LOURO, G. L. Currículo, gênero e sexualidade: o “normal”, o “diferente” e o “excêntrico”. In: LOURO, G. L.; FELIPE, J.; GOELLNER, S. V. Corpo, gênero e sexualidade: um debate contemporâneo na educação. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003, p. 43-53.

_____. Um corpo estranho – ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

_____. Gênero e sexualidade: pedagogias contemporâneas. Pro-posições, v. 19, n. 2 (56), p. 17-23 , maio/ago, 2008.

MISKOLCI, R. Teoria queer: um aprendizado pelas diferenças. Belo Horizonte: Autêntica Editora: UFOP, 2012.

SALIH, Sara. Judith Butler e a teoria queer. Trad.: Guacira L. Louro. Belo Horizonte: Autêntica, 2012.

Downloads

Publicado

11-05-2017

Como Citar

FERRARI, A.; DE SOUZA, M. L.; DE CASTRO, R. P. “Medo da estigmatização?” – a universidade, os processos formativos e a problematização das homossexualidades. Travessias, Cascavel, v. 11, n. 1, p. 143–156, 2017. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/16752. Acesso em: 26 jun. 2022.

Edição

Seção

DOSSIÊ TEMÁTICO: SEXUALIDADE, GÊNERO E EDUCAÇÃO NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA