As estratégias de leitura na formação e no desenvolvimento de acadêmicos indígenas

Autores

Palavras-chave:

Estratégias de leitura, Compreensão leitora, Leitor crítico.

Resumo


Este artigo teve como objetivo investigar as estratégias de leitura adotadas por um grupo de alunos indígenas que faz parte do Programa de Educação Tutorial (PET), de uma universidade pública, no estado do Tocantins. A pesquisa centra-se na abordagem mista (quantitativo e qualitativo) e vincula-se aos estudos que investigam as práticas de leitura em contextos educacionais, buscando especificamente identificar as estratégias de leitura mais utilizadas pelos alunos indígenas durante o processo de compreensão leitora e discutir as implicações dessas estratégias na formação e no desenvolvimento de leitores competentes. Para tanto, a pesquisa está fundamentada nos princípios da Linguística Aplicada e em estudiosos que têm a leitura como foco, sendo eles: Solé (1998), Kleiman (2013), Menegassi (2010), Freire (1989). Dessa forma, para atender ao objetivo proposto serão utilizadas informações coletadas por meio de um questionário aplicado durante a observação de um encontro de tutoria aos indígenas. A partir das análises, foi possível compreender que as estratégias usadas pelos acadêmicos, antes, durante e depois da leitura são fundamentais para compreensão leitora e a formação de um leitor competente que faz inferência e ativa os conhecimentos prévios, conhecimento de mundo, na construção dos múltiplos sentidos.

Biografia do Autor

Ruy Martins dos Santos Batista, Programa de Pós-Graduação em Letras - Estudos Linguísticos. Universidade Federal do Tocantins - UFT

É mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em Letras - PPGLetras da Universidade Federal do Tocantins - UFT, na Área de Concentração: Estudos Linguísticos, e linha de pesquisa: Linguística Aplicada, Campus de Porto Nacional-TO.

Dalve Oliveira Batista-Santos, Universidade Federal do Tocantins - UFT Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC/SP

Doutoranda e mestra em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Professora Assistente, da Universidade Federal do Tocantins - UFT, lotada no curso de Letras - Língua Portuguesa e Respectivas Literaturas.

Referências

ANTUNES, Irandé. Língua, texto e ensino: outra escola possível. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.

BATISTA-SANTOS, Dalve Oliveira. Letramento Acadêmico: representações de ingressantes acerca da escrita. Revista Trama - Marechal Rondon/PR, Vol. 13, Nº. 28, 2017.

COSTA-HÜBES, T. da C. Concepção de leitura na sequência didática. I.: Anais da JELL – Jornada de Estudos Linguísticos e Literários: Leitura e seus desdobramentos. 13ª, 2010. Marechal Cândido Rondon, PR: EDUNIOESTE, 2010. p. 247-256.

CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativos, quantitativos e misto. Trad. De Luciana de O. da Rocha. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens; 2. ed. Tradução Sandra Regina Netz. Porto Alegre: Artmed, 2006.

FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. 23ª. ed. São Paulo: Autores Associados: Cortez, 1989.

HOPPE, Marcia Cristina; COSTA-HÜBES, T da C. Concepções de leitura na Educação Básica e a sua relação com a Prova Brasil. In: XI Jornada do HISTEDBR, 2013, Cascavel. Anais da XI Jornada do HISTEDBR. Cascavel - PR: EDUNIOESTE, 2013. p. 01-15.

KLEIMAN, Angela. Oficina de leitura – teoria e prática. 15ª ed. Campinas, SP – Pontes Editores, 2013.

______. Texto e leitor: Aspectos cognitivos da leitura. 15ª ed. Campinas, SP – Pontes Editores, 2013.

KOCK, I. V.; ELIAS, V. M. Ler e compreender: os sentidos do texto. 3.ed., 3. Reimpressão. São Paulo: Contexto, 2010.

MENEGASSI, R.J.; ANGELO, C.M.P. Conceitos de leitura. In: MENEGASSI, R.J. (Ed.). Leitura e ensino. Maringá: Eduem, 2005. p. 15-43.

______. Perguntas de leitura. In: MENEGASSI, R.J. Leitura e ensino. Maringá: Eduem, 2010.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA. Pró letramento: alfabetização e linguagem. Brasília: [s.n.], 2008.

______. Parâmetros Curriculares Nacionais: Língua Portuguesa, Brasília, Secretaria de Educação Fundamental, 1998.

ROTTAVA, Lucia. A leitura em contexto acadêmico: o processo de construção de sentidos de alunos do primeiro semestre do curso de letras. Signo. Santa Cruz do Sul, v. 37 n. 63, p. 160-179, jul.-dez, 2012.

SCHROEDER, Ivo. Política e parentesco nos Xerente. 2006. Tese (Doutorado em Antropologia) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

SOLÉ, Isabel. Estratégias de leitura. trad. Cláudia Schilling. 6ª. ed. Porto Alegre. Artemed, 1998.

SOUZA, Renata Junqueira de. Narrativas Infantis: a literatura e a televisão de que as crianças gostam. Bauru: USC, 1992.

VALLS, E. (1990) Ensenyança i aprenentatge de continguts procedimentals. Una proposta referida a área de la História. Tese de Doutorado. Universidade de Barcelona.

VIANA, A. C. Estratégias de Leitura: uma contribuição para o desenvolvimento do leitor proficiente. Monografia (Graduação em Letras: Língua Portuguesa), Universidade Federal do Tocantins. Porto Nacional-TO, 2016.

WITTER, Geraldina. Leitura e universidade. Campinas, SP: Editora Alínea, 1997.

ZAGO, L. P. Repensando a(s) concepção(ões) de leitura na formação continuada: implicações (ou não) no processo de (re)organização da prática pedagógica. (Dissertação de mestrado). Programa de Pós-Graduação em Letras, Cascavel: UNIOESTE, 2012.

Downloads

Publicado

07-12-2017

Como Citar

BATISTA, R. M. dos S.; BATISTA-SANTOS, D. O. As estratégias de leitura na formação e no desenvolvimento de acadêmicos indígenas. Travessias, Cascavel, v. 11, n. 3, p. 20–38, 2017. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/16922. Acesso em: 23 maio. 2022.

Edição

Seção

LINGUAGEM