Consciência linguística no processo de ensino- aprendizagem de Língua Inglesa: uma revisão integrativa de investigações brasileiras

Autores

  • Aline Lorandi Universidade do Vale do Rio dos Sinos
  • Aline Ribeiro Pessôa Universidade Federal do Oeste da Bahia
  • Débora Busetti Universidade do Vale do Rio dos Sinos
  • Valéria Zanetti Ney Feevale

Palavras-chave:

Consciência linguística, ensino-aprendizagem de língua inglesa como língua estrangeira, revisão integrativa

Resumo


Esta revisão integrativa apresenta os resultados de um levantamento realizado acerca de investigações conduzidas no Brasil sobre se existe evidência de que a consciência linguística pode colaborar para com o processo de ensino-aprendizagem de língua inglesa como língua estrangeira. A busca por artigos, teses e dissertações foi realizada no portal de periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e no banco de Teses e Dissertações da CAPES, respectivamente. Os descritores utilizados foram “consciência linguística”, “língua estrangeira” e “ensino de língua estrangeira”. O corpus de análise deste estudo é composto por seis artigos que retratam, em algum grau, o papel da consciência linguística como facilitadora e colaboradora para o processo de ensino-aprendizagem de língua inglesa como língua estrangeira.

Biografia do Autor

Aline Lorandi, Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Professora do Programa de Pós-graduação da Unisinos, doutora em Letras pela PUCRS, com pós doutorado no Birkbeck College, University of London. Possui experiência nas áreas de Aquisição da Linguagem, Psicolinguística, Linguística Aplicada e Educação (Neurociência e Educação).

Referências

BIALYSTOK, E. Factors in the Growth of Linguistic Awareness. Child Development, v. 57, n. 2, Apr., 1986, p. 498-510.

BIALYSTOK, E. Levels of bilingualism and levels of linguistic awareness. Developmental Psychology, v. 24(4), Jul. 1988, p. 560-567.

BIALYSTOK, E. Bilingualism Development: language, literacy & cognition. Cambridge: CUP, 2009, p.121-151.

BOHUNOVSKY, R. A tradução no ensino de línguas: vocabulário, gramática, pragmática ou consciência cultural? Trabalhos em Linguística Aplicada, 50(1), p. 205-217, Jan./Jun. 2011.

BOHUNOVSKY, R. O ensino de línguas estrangeiras no Brasil e a “compreensão do estrangeiro”: o papel da tradução. Horizontes de Linguística Aplicada, v. 8, n.2, p. 170-184, 2009.

BOTELHO, L. L. R.; CUNHA, C. C. de A.; MACEDO, M. O método da revisão integrativa nos estudos organizacionais. Gestão e Sociedade. Belo Horizonte, v.5, n. 11, p. 121-136 maio-ago. 2011. Disponível em: <http://www.gestaoesociedade.org/gestaoesociedade/article/view/1220/906>. Acesso em: 12 jun 2016.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua estrangeira. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros curriculares nacionais: ensino médio. Brasília: Ministério da Educação, 1999.

BRADLEY, L.; BRYANT, P. Categorizing sounds and learning to read: a causal connection. Nature, 301, 419-421, 1983, p. 419-421.

BRADLEY, L.; BRYANT, P. Rhyme and reason in reading and spelling. Ann Arbor: University of Michigan Press, 1985.

BROCH, I. K. Pluralidade linguística no currículo escolar. Web-Revista Sociodialeto, v. 2, n. 2, novembro 2012. Disponível em:< www.sociodialeto.com.br> Acesso em 11 jul. 2016.

CARTER, R. Language awareness - ELT Journal. Disponível em: https://eltj.oxfordjournals.org/content/57/1/64.full.pdf. 2003 Acesso em: 10 de julho de 2016.

ELLIS, R. Current Issues in the Teaching of Grammar: An SLA Perspective. Disponível em: http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.2307/40264512. Acesso em: 12 de junho de 2016.

FERREIRA, M. M. A perspectiva sociocultural e sua contribuição para a aprendizagem de língua estrangeira: em busca do desenvolvimento. Revista Intercâmbio, vol. XXI, p. 38-61, 2010.

GOMBERT, J. E. Metalinguistic development. University of Chicago Press, 1992.

GOSWAMI, U. Phonological awareness and literacy. In: BROWN, K. Encyclopedia of language and linguistics. 2nd edition . Oxford: Elsevier, 2005, p. 489-497.

GOSWAMI, U.; BRYANT, P. Phonological skills and learning to read. East Sussex: Erlbaum, 1990.

KARMILOFF-SMITH, A. D. From meta-processes to conscious access: evidence from children’s metalinguistic and repair data. Cognition, n. 23, p. 95-147, 1986.

KARMILOFF-SMITH, A. D. Beyond modularity: a developmental perspective on cognitive science. Cambridge (MA): MIT, 1992.

LEVELT, W.; SINCLAIR, A.; JARVELLA, R. Causes and Functions of Linguistic Awareness in Language Acquisition: Some Introductory Remarks. In: The Child's Conception of Language. Springer-Verlag Berlin Heidelberg New York. 1980.

LORANDI, A. From sensitivity to awareness: the morphological knowledge of Brazilian children between 2 and 11 years old and the representational redescription model. 2011. Tese (Doutorado em Letras) – Faculdade de Letras, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011a. 200 p.

LORANDI, A. A consciência linguística e o modelo de Redescrição Representacional: como explicar a discrepância entre os processos de consciência em diferentes microdomínios? In: FERREIRA GONÇALVES, G; BRUM DE PAULA, M. R.; KESKE-SOARES, M. Estudos em Aquisição Fonológica. v. 4. Pelotas: Editora e Gráfica Universitária UFPel, 2011b, p. 205-217.

MENDES, K. D. S.; SILVEIRA, R. C. C. P.; GALVÃO C. M. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enferm. 2008 out-dez; 17(4):758-64.

MORAIS, J.; BERTELSON, P.; CARY, L.; ALEGRIA, J. Literacy training and speech segmentation. Cognition, 24, 45, 1986, p. 45-64.

PRATT, C.; GRIEVE, R. The development of metalinguistic awareness: an introduction. In: TUNMER, W. E.; PRATT, C.; HERRIMAN, M. L. (editors). Metalinguistic awareness in children: theory, research and implications. Berlim: Springer-Verlag, 1984, p. 2-11.

SOUZA, M. T. de; SILVA, M. D.; CARVALHO, R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein, 2010; 8(1 Pt 1):102-6

SOUZA, R. A.; SOARES-SILVA, J.; SILVA, G. G. Brazilian Portuguese-English bilingualism does not affect metalinguistic awareness of L1 constraints in two argument structure constructions. Ilha do Desterro, v. 69, nº1, p. 017-031, Florianópolis, jan/abr 2016.

SVALBERG, A. M. L. Language awareness and language learning. Cambridge Journals. Disponível em: https://journals.cambridge.org/abstract_S0261444807004491. 2007. Acesso em: 26 de junho de 2016.

TUNMER, W. E.; HERRIMAN, M. L. The development of metalinguistic awareness: a conceptual overview. In: TUNMER, W. E.; PRATT, C.; HERRIMAN, M. L. (editors). Metalinguistic awareness in children: theory, research and implications. Berlim: Springer-Verlag, 1984, p. 12-35.

VERITY, D. P. Everyone is a native speaker: Promoting language awareness in the classroom. NUCB JLCC, 5(2), p. 133-141, 2003.

WELP, A. K. de S. A ansiedade e o aprendizado de língua estrangeira. Letras de Hoje, v. 44, n. 3, p. 70-77, jul./set. 2009.

Downloads

Publicado

07-12-2017

Como Citar

LORANDI, A.; PESSÔA, A. R.; BUSETTI, D.; NEY, V. Z. Consciência linguística no processo de ensino- aprendizagem de Língua Inglesa: uma revisão integrativa de investigações brasileiras. Travessias, Cascavel, v. 11, n. 3, p. 65–79, 2017. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/17043. Acesso em: 27 maio. 2022.

Edição

Seção

LINGUAGEM