O público leitor e a literatura feminina negra: encontros em redes e entre encantos.

Autores

  • Taise Campos dos Santos Pinheiro de Souza

Palavras-chave:

escritoras negras, recepção, redes eletrônicas, leitor potencial.

Resumo


O seguinte trabalho reflete sobre a utilização da internet no processo de recepção de textos das escritoras negras baianas: Fátima Trinchão, Jocélia Fonseca, Mel Adún e Rita Santana. Buscamos observar como o processo de intercomunicação entre autor, texto e leitor pode ser ampliado por um trânsito literário em rede, reverberando na formação de um elo de interação que traz à tona subjetividades interconectadas.  Tomamos como base autores como Benjamin (1987), Chartier (1998), Canclini (2000), Cuti (2010) Eagleton (2006), entre outros. Para tanto, descrevemos táticas empreendidas pelas escritoras na busca da circulação de seus escritos e do alcance de um público leitor, verificando como a internet é um meio eficaz de veiculação não só de seus textos, mas de fomento de um horizonte de expectativas de leitores potenciais. Esse processo de visibilização e alcance é altamente possibilitado pelas redes eletrônicas, já que, diante das dificuldades de inserção na cadeia livresca as escritoras usam modos alternativos para ecoar suas vozes. O interesse despertado nos leitores indica a presença de um público possível sedento de escritos inscritos sob o eixo do gênero e da raça.

Biografia do Autor

Taise Campos dos Santos Pinheiro de Souza

Mestra em Crítica Cultural, área de Letras, da UNEB-Universidade do Estado da Bahia, Campus II. 

Referências

ALVES, Miriam. BrasilAfro autorrevelado: Literatura Brasileira contemporânea. Belo horizonte: Nandyala, 2010.

BARBOSA, Daniela Aguiar. Literatura e internet: uma via de mão dupla entre o impresso e o digital. 2012. 136 f. Dissertação de Mestrado. (Programa de Pós-Graduação em Cognição e Linguagem ) UENF, Campos dos Goytacazes – RJ.

BENJAMIN, Walter. A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica. In: Magia e técnica, arte e política. Obras Escolhidas, vol. I. 3. Ed. SP: Brasiliense, 1987, p. 165 - 196.

CANCLINI, García Néstor. Artistas, Intermediários e Público: inovar ou democratizar? In: Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. Trad. Heloísa Pezza Cintrão e Ana Regina Lessa. 3ª. ed. São Paulo: EDUSP, 2000, p. 99 -158.

CANDAU, Vera Maria Ferrão, OLIVEIRA, Luiz Fernandes de. Pedagogia decolonial e educação antiracista e intercultural no Brasil. In: Educação em Revista. v. 26. n. 1. Belo Horizonte: Faculdade de Educação da UFMG, 2010, p. 15-40. Disponível em: ˂http://www.scielo.br/pdf/edur/v26n1/02.pdf˃ Acesso em 25 de abril de 2014.

CHARTIER, Roger. A aventura do livro: do leitor ao navegador. Tradução Reginaldo Carmello Correa de Moraes. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de Sao Paulo, Editora UNESP, 1998.

CUTI, Luiz Silva. Literatura Negro-Brasileira. São Paulo: Selo Negro, 2010.

DANTAS, Larissa de Araújo. Espaços de visibilidade: trajetórias possíveis no campo literário brasileiro. 2009. 111f. Dissertação de mestrado (Programa de Pós-graduação em Literatura.). Universidade de Brasília. Brasília.

EAGLETON, Terry. Fenomenologia, Hermenêutica, Teoria da recepção. In: Teoria da literatura: uma introdução. 6ª. Ed. São Paulo: Martins Fontes, 2006, p. 82 - 136.

HALL, Stuart. Reflexões sobre o modelo de codificação/decodificação: uma entrevista com Stuart Hall. In: Da diáspora – identidades e mediações culturais . Liv Sovik. (Org.) Trad. Adelaide La Guardiã Resende (et al). Belo Horizonte: Editora UFMG; Brasília: Representação da UNESCO no Brasil, 2003, p. 353-386.

ISER, Wolfgang. A interação do texto com o leitor. In: LIMA, Luiz Costa (Org.). A literatura e o leitor: textos da estética da recepção. Trad. Luiz Costa Lima. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979, p. 83-132.

JAUSS, Hans Robert. O prazer estético e as experiências fundamentais da Poiesis, Aisthesis e Katharsis. In: JAUSS, Hans Robert; LIMA, Luiz Costa. (Orgs.) A literatura e o leitor: textos da estética da recepção. Trad. Luiz Costa Lima. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979, p. 63 – 82.

LOPES, Denilson. Da estética da comunicação a uma estética do cotidiano. In: GUIMARÃES, César; LEAL, Bruno Souza; MENDONÇA, Carlos Camargo (Orgs.). Comunicação e experiência estética. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2006, p. 117-154.

MUZART, Zahidé Lupinacci. História da Editora Mulheres. In: Revista Estudos Feministas. Vol. 12. Set.-dez., 2004, p.103-105.

SANTANA, Rita. Tramela. Salvador: Fundação Casa de Jorge Amado, 2004.

SANTOS, Elizangela Maria dos. Literatura e democratização cultural: negociações para um novo olhar na contemporaneidade. In: Anais: 3º Colóquio do Grupo de Estudos Literários Contemporâneos: um cosmopolitismo nos trópicos e 100 anos de Afrânio Coutinho: A crítica literária no Brasil, 3., 2012, UEFS, Feira de Santana, p. 83-92. Disponível em: http://www2.uefs.br/dla/romantismoliteratura/coloquiogrupodeestudos2011/anais/3coloq.anais.83-92.pdf Acesso em 23 de maio de 2013.

, Augusta. Breve história da literatura negra. In: Musa Calíope: Revista eletrônica internacional de Literatura e poesia. Ed. nº 4, nov - dez 2011, vol.1. Disponível em: ˂http://issuu.com/icsdobrasil/docs/musa_caliope_ed4_volume_i˃ Acesso em 16 de junho de 2014.

SOUZA, Andreia Lisboa de. Negro em cena. In: SOUZA, Ana Lúcia Silva [et al]. De olho na cultura: pontos de vista afro-brasileiros. Salvador: Centro de Estudos Afro-Orientais. Brasília: Fundação Cultural Palmares. 2005, p. 168-186.

TRINCHÃO, Fátima. Mulheres negras mulheres. Disponível em: ˂http://www.fatimatrinchao.net/visualizar.php?idt=1273146˃ Acesso em 17 de nov. de 2013.

Downloads

Publicado

21-12-2017

Como Citar

SOUZA, T. C. dos S. P. de. O público leitor e a literatura feminina negra: encontros em redes e entre encantos. Travessias, Cascavel, v. 11, n. 3, p. 421–440, 2017. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/18164. Acesso em: 22 maio. 2022.

Edição

Seção

LITERÁRIA