Corpos discursivos: a construção da maternidade na obra de Bianca Dias

Autores

Palavras-chave:

Névoa e Assobio, Maternidade, Luto, Melancolia.

Resumo


Em nossa pesquisa procuramos desenvolver uma perspectiva de análise do livro Névoa e Assobio, de Bianca Dias com ilustrações de Julia Panadés, com a intenção de refletir sobre a construção discursiva da maternidade e as suas relações com o luto e a melancolia. Para o desenvolvimento de nossas considerações, fundamentamo-nos, principalmente, nas obras de Mikhail Bakhtin (para estudo do funcionamento narrativo e discursivo do ponto de vista da enunciação dialógica) e Sigmund Freud (por sua vez, para estudo do conceito de sujeito, luto e melancolia na visada psicanalítica). Ainda que Bakhtin e Freud sejam tidos, por parte expressiva da crítica, como incompatíveis, buscamos uma articulação dos dois em aspectos diferentes de nosso estudo, salvaguardado as diferenças entre ambos. Nessa perspectiva, o livro em questão se configura como uma espécie de diário, no qual a enunciadora retrata, de maneira emocionada, episódios de sua vida. Os episódios concentram-se na experiência da perda de um filho, evidenciando o sofrimento (luto) pelo qual a enunciadora passa. Assim, o modo como os episódios são narrados demonstram uma construção acerca da imagem da figura materna, contribuindo para a construção discursiva de efeitos de complexidade que seriam tidos como inerentes à maternidade.

Biografia do Autor

Jacob dos Santos Biziak, IFPR/Pós-doutorando pela UFRJ, Programa de Pós-Graduação em Filosofia (supervisão da profa. Dra. Carla Rodrigues)

Possui graduação em Letras (bacharelado e licenciatura) pela Universidade Estadual Paulista - Campus de Araraquara (2006), mestrado em Estudos Literários pela Universidade Estadual Paulista - Campus de Araraquara (2009) e doutorado pela mesma instituição. Realizou pesquisa de pós-doutorado (2015-2017), na USP de Ribeirão Pretp/Laboratório Discursivo E-l@dis, sob a supervisão da Profa. Dra. Lucília Abrahão. Atualmente, é professor do Instituto Federal do Paraná (Colegiado e curso de Letras), campus Palmas, tendo já atuado como docente também no curso de Letras da Universidade Estadual Paulista - Campus de Araraquara. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Literatura e Produção Textual. Realiza pesquisa de pós-doutorado, no Programa de Pós-Graduação em Filosofia da UFRJ (sob supervisão da Profa. Dra. Carla Rodrigues), com o projeto A angústia que (não) se enuncia: uma articulação com o pensamento do feminino. De forma ampla trabalha com mais ênfase em psicanálise e filosofia como instrumentos de análise transversal do texto literário (em especial, a literatura contemporânea em língua portuguesa) e, também, interessa-se por pesquisas e extensão a respeito dos gêneros sexuais em linguagem e sociedade. Seus principais aportes teóricos de estudo e análise são: Mikhail Bakhtin, Michel Pêcheux, Freud, Lacan, Judith Butler e Jacques Derrida. Coordena o curso de pós-graduação Linguagens Híbridas e Educação e o G.E.Di (Grupo de Estudos do Discurso), no IFPR do campus Palmas. 

Referências

BAKHTIN, M. M O autor e a personagem. In: Estética da criação verbal. Tradução de Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

BRAIT, Beth. Bakhtin e a natureza constitutivamente dialógica da linguagem. In: Bakhtin, dialogismo e construção do sentido. Campinas: Editora Unicamp, 2005. p. 87-98.

DIAS, Bianca. Névoa e assobio. Ilustrações de: Julia Panadés. Belo Horizonte: Relicário, 2015.

FARACO, Carlos Alberto. Autor e autoria. In: Bakhtin: conceitos-chave. Org. BRAIT, Beth. São Paulo: Contexto, 2016. p. 37 – 60.

FREUD, Sigmund. Luto e melancolia (1917 [1915]). In: Introdução ao narcisismo: ensaios de metapsicologia e outros textos (1914 – 1916). Trad. Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2010. p. 170 – 194.

ROUDINESCO, Elisabeth. Dicionário de psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar, 1998.

ZOPPI FONTANA, M.G. “A arte de cair fora. O lugar do terceiro na enunciação”. In: Revista ECOS. Variantes linguísticas Literaturas regionais, ed. n. 02, julho 2004, p. 61-69.

Downloads

Publicado

11-12-2018

Como Citar

BASSANI, G. A.; BIZIAK, J. dos S. Corpos discursivos: a construção da maternidade na obra de Bianca Dias. Travessias, Cascavel, v. 12, n. 3, p. 4–19, 2018. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/20428. Acesso em: 22 maio. 2022.

Edição

Seção

DOSSIÊ TEMÁTICO: Gênero: revisitando teorias, movimentando análises