Dicionário colaborativo online: efeitos de sentido sobre o significante casamento

Autores

Palavras-chave:

Análise do Discurso, Efeitos de sentido, Formação discursiva, Casamento.

Resumo


Do ponto de vista legal, a concepção de casamento foi modificada ao longo do tempo em decorrência de mudanças ocorridas na legislação brasileira. Contudo, em virtude da grande complexidade que envolve essa temática, questionamo-nos se, de fato, o modo como a lei concebe os casamentos está de acordo com o que os brasileiros entendem sobre essa instituição “fora” do domínio do Direito, sobretudo no que diz respeito ao(s) gênero(s) dos cônjuges e aos papéis atribuídos a eles na organização da sociedade conjugal. Nesse sentido, apresentamos um estudo realizado à luz da teoria da Análise do Discurso pecheuxtiana, cujo objetivo é o de interpretar os efeitos de sentido que emergem de algumas definições do significante casamento encontradas no Dicionário inFormal (2018). Essa escolha se deu pelo fato de se tratar de um dicionário colaborativo online que é alimentado, em grande parte, por seus próprios usuários. Assim, com base na noção de formação discursiva (FD) e na relação entre discurso e memória, pretendemos discutir a(s) ideologia(s) que atravessam essas materialidades e as posições-sujeito que emergem nas definições do significante casamento. Ao propormos um estudo como este, esperamos ainda problematizar o imaginário que emerge no/do dicionário, já que, em suas definições, os sentidos “reais” e “corretos” das palavras podem ser encontrados como se eles fossem “livres” de um ponto de vista ideológico de qualquer natureza.

Biografia do Autor

Beatriz Curti-Contessoto, São Paulo State University (UNESP)

Atualmente, desenvolve pesquisa em nível de Doutorado (2015-2019), junto ao Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos, pela Unesp/São José do Rio Preto, sob os auspícios da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). Graduou-se em Bacharelado em Letras com Habilitação de Tradutor (Francês/Espanhol) (2014) pela mesma instituição. Desde 2013, colabora com o "Centre de Ressources et Information en Français" (CRIF) também da mesma instituição. Atua como professora de língua francesa em cursos de extensão (2012-2016) e nos cursos de graduação em Licenciatura em Letras e Bacharelado em Letras com Habilitação de Tradutor (2016-Atual) oferecidos pela mesma instituição. Tem experiência na área de Linguística, atuando, principalmente, nos seguintes temas: Terminologia Mono/Bilíngue, Terminologia Diacrônica, aspectos socioculturais e históricos em Terminologia.

Fernanda Correa Silveira Galli, São Paulo State University (UNESP)

Graduada em Letras pela UNESP/Assis (1997), mestre em Letras - Filologia e Linguística Portuguesa pela UNESP/Assis (2002), doutora em Linguística Aplicada pelo IEL/UNICAMP (2008) com estágio-sanduíche na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Lisboa (2007), pós-doutora em Ciência da Informação e Comunicação pela FFCLRP/USP (2012) e em Estudos Linguísticos pelo IBILCE/UNESP (2018). Atualmente, é professora vinculada ao Programa de Pós-graduação em Linguística (PROLING) da UFPB e ao Programa de Pós-graduação em Estudos Linguísticos (PPGEL) do IBILCE/UNESP. Desenvolve pesquisas na área de Linguística e atua, principalmente, na investigação de temas como: leitura, escrita, letramento, discurso, tecnologias digitais.

Referências

BARROS, Lidia Almeida. Curso Básico de Terminologia. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2004.

BRASIL. Decreto nº 1.144, de 11 de setembro de 1861. Brasil: Câmara Legislativa, 1861. Disponível em: <http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1824-1899/decreto-1144-11-setembro-1861-555517-publicacaooriginal-74767-pl.html>. Acesso em: 20 out. 2018.

BRASIL. Decreto nº 181, de 24 de janeiro de 1890. Marechal Deodoro da Fonseca promulga a lei sobre o casamento civil. Brasil: Planalto Central, 1890. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1851-1899/D181.htm>. Acesso em: 20 out. 2018.

BRASIL. Lei nº 3.071, de 01 de janeiro de 1916. Brasil: Planalto Central, 1916. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L3071.htm>. Acesso em: 20 out. 2018.

BRASIL. Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil de 1934. Brasil: Planalto Central, 1934. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao34.htm>. Acesso em: 20 out. 2018.

BRASIL. Lei nº 6.515, de 26 de dezembro de 1977. Brasil: Planalto Central, 1977. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L6515.htm>. Acesso em: 20 out. 2018.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasil: Planalto Central, 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm>. Acesso em: 20 out. 2018.

BRASIL. Lei 10.406, de 10 de janeiro de 2002. Brasil: Planalto Central, 2002b. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/L10406.htm>. Acesso em: 20 out. 2018.

BRASIL. Resolução de nº 175, de 14 de maio de 2013. Brasil: CNJ, 2013. Disponível em: <http://www.cnj.jus.br/images/imprensa/resolu%C3%A7%C3%A3o_n_175.pdf>. Acesso em: 20 out. 2018.

CABRÉ, María Teresa. La terminología: representación y comunicación: Elementos para una teoría de base comunicativa y otros artículos. Barcelona: IULA, 1999.

COURTINE, Jean-Jacques. Análise do discurso político: o discurso comunista endereçado aos cristãos. São Paulo: Editora da UFSCAR, 2009.

DICIONÁRIO INFORMAL. Dicionário online – Dicionário InFormal. Disponível em: <http://www.dicionarioinformal.com.br/>. Acesso em: 20 out. 2018.

GLOSSÁRIO. Glossário de termos da Análise do Discurso – Projeto de pesquisa: A aventura do texto na perspectiva da teoria discursiva – a posição do leitor-autor (1997-2001) / Orientadora: Maria Cristina Leandro Ferreira; Bolsista de Iniciação Científica Ana Boff de Godoy... [et al.]. Porto Alegre: UFRGS, 2001.

MUSSALIM, Fernanda. Análise do Discurso. In: MUSSALIM, Fernanda; BENTES, Anna Christina. (Org.) Introdução à Linguística: domínios e fronteiras, v. 2, 2a. ed. São Paulo: Cortez, 2001. p. 101-142

ORLANDI, Eni Puccinelli. Análise do discurso: princípios e procedimentos. 3 ed. Campinas: Pontes, 2001.

ORLANDI, Eni Puccinelli. A Linguagem e seu funcionamento. São Paulo: Brasiliense, 1983.

ORLANDI, Eni Puccinelli. As formas do silêncio: no movimento de sentidos. Campinas: Editora da Unicamp, 1992.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Língua, Comunidade e Relações sociais no espaço digital. In. DIAS, Cristiane. (Org.). E-urbano: Sentidos do espaço urbano/digital [online], Campinas, p. 1-10, 2011. Disponível em: <http://www.labeurb.unicamp.br/livroEurbano/>. Acesso em 20 out. 2018.

PÊCHEUX, Michel. Análise do discurso (textos escolhidos por Eni Orlandi). 4 ed. Campinas-SP: Pontes, 2014.

PUECH, Christian. O “discurso”, as heranças e os destinos de Saussure na França. In: CRUZ, Márcio Alexandre; PIOVEZANI, Carlos; TESTENOIRE, Pierre-Yves. (Orgs.) Saussure, o texto e o discurso – cem anos de heranças e recepções. São Paulo: Párabola Editorial, 2016. p.13-38.

ROMÃO, Lucília Maria Sousa; GALLI, Fernanda Correa Silveira. Efeitos de sentido em cartuns: sujeito e consumo da/na rede eletrônica. Revista RUA [online], Campinas, v. 2, n. 19, p. 107-119, nov. 2013. Disponível em: <https://www.labeurb.unicamp.br/rua/anteriores/pages/home/lerArtigo.rua?pdf=1&id=203>. Acesso em 20 out. 2018.

ROMAO, Lucília Maria Sousa; GALLI, Fernanda Correa Silveira; PATTI, Ane Ribeiro. Arquivo em cena: “im-pressões” de leitura sobre o tema. Desenredo (PPGL/UPF), Passo Fundo, v. 6/1, p. 123-134, 2010. Disponível em: http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/1377. Acesso em 20 out. 2018.

Downloads

Publicado

11-12-2018

Como Citar

CURTI-CONTESSOTO, B.; GALLI, F. C. S. Dicionário colaborativo online: efeitos de sentido sobre o significante casamento. Travessias, Cascavel, v. 12, n. 3, p. 31–44, 2018. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/20871. Acesso em: 19 maio. 2022.

Edição

Seção

DOSSIÊ TEMÁTICO: Gênero: revisitando teorias, movimentando análises