Entre a resistência e a submissão à norma: o discurso de e sobre o gênero trans

Autores

Palavras-chave:

teoria de gênero, análise do discurso, imaginários, sujeitos.

Resumo


Esse trabalho propõe a reflexão sobre os efeitos de sentidos, entendidos como discursos, que constituem os sujeitos em seus dilemas de afirmações identitárias. Esses dilemas são relacionados às questões de gênero a partir daquilo que se entende ser a violência do outro quando este nega condição de existência dos sujeitos em questão. O objetivo é refletir sobre o funcionamento dos sentidos nos discursos que constituem os sujeitos que se definem com base num paradigma de subversão e submissão, a partir dos imaginários dos cisgêneros sobre o transgêneros que afetam a constituição dos próprios transgêneros como sujeitos.  A partir desse objetivo, desenvolve-se uma proposta para pensar a teoria como um discurso e como suas construções conceituais se relacionam com práticas performativas dos sujeitos em um processo de resistência e submissão às normas sociais de gêneros predominantes. Com aporte teórico da Análise do Discurso desenvolvido inicialmente por Michel Pêcheux na França e por Eni Orlandi no Brasil, o artigo faz uma análise a partir de recortes de discussões selecionadas na rede social facebook. Na análise do corpus, procura-se compreender o posicionamento discursivo de um perfil transexual nesse esquema de resistência a uma norma ao mesmo tempo em que se submete a essa norma no próprio funcionamento dos efeitos de sentidos que constituem os sujeitos.

Biografia do Autor

Frederico Sidney Guimarães, Universidade Federal Fluminense

Doutor pelo Programa de Pós Graduação em Estudos da Linguagem da UFF, mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Memória Social da UNIRIO em 2008, graduado em História pela Universidade Federal do Estado do Rio de janeiro (UNIRIO), em 2005. Experiência de pesquisa nas áreas de Análise do Discurso, História, Memória e Linguagem, com ênfase nas temáticas sobre: Movimentos e Práticas Sociais; discursos de gêneros e sexualidades; e direitos civis.

Referências

BEAUVOIR, Simone. Le deuxième sexe. Paris: Gallimard, 1949.

BALDINI, Lauro. Como desconstruir o que não se constrói? Quando o gênero faz questão. In: SOARES, Alexandre & GARCIA, Dantiele. Inquietações de gêneros e sexualidades: leituras na contemporaneidade. Porto Alegre: Unioeste, Evangraf, 2017.

BUTLER, Judith. Gender Trouble: feminism and the subversion of identity. New York: Routledge, 1990.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade: 1 Vontade de saber. Rio de Janeiro: Graal, 1999[1976].

GOHN, Maria. Teoria dos movimentos sociais: paradigmas clássicos e contemporâneos. São Paulo: Loyola, 1997.

GUIMARÃES, Frederico S. Sujeitos no suposto do ser, do ter e do amar: uma história dos efeitos de sentidos no discurso por direitos dos homossexuais e transexuais. 231f. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem). UFF, Instituto de Letras, 2018.

HENRY, Paul. Fundamentos teóricos da “análise automática do discurso”. In: GADET, F.; HAK, T. Por uma Análise Automática do Discurso. Tradução de Eni Pulcinelli Orlandi. 4ª. ed. Campinas: Editora UNICAMP, 2010[1969].

INDURSKY, Freda. A memória na cena do discurso. In: Memória e história na/da análise do discurso. Campinas, Mercado das letras, 2011.

LACAN, Jacques. O seminário: livro 3: as psicoses. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

MARIANI, Bethanis; MAGALHÃES, Belmira. Lacan. In: OLIVERIA, Luciano. Estudos do discurso: perspectivas teóricas. São Paulo: Parábola editorial, 2013.

ORLANDI, Eni. Segmentar ou recortar. In: Linguagem e história: a questão dos sentidos. V Encontro Nacional de Linguística, PUC-RJ, 1981.

ORLANDI, Eni. Análise de discurso: princípios e procedimentos. Campinas, SP: Pontes, 1999.

ORLANDI, Eni. Do sujeito na história e no simbólico. In: ORLANDI, Eni. Discurso e texto: Formulação e circulação dos sentidos. Pontes, 2001.

ORLANDI, Eni. Discurso e Texto: formulação e circulação dos sentidos. Pontes Editores: Campinas, 2012.

PÊCHEUX, Michel. Análise Automática do Discurso. In: GADET, Françoise; HAK, Tony. Por uma Análise Automática do Discurso. Tradução de Eni Pulcinelli Orlandi. 4ª. ed. Campinas: Editora UNICAMP, 2010[1969].

PÊCHEUX, Michel; GADET, Françoise. A língua inatingível: o discurso na história da linguística. Campinas: Pontes, 2004[1981].

PÊCHEUX, Michel. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas: Ed. Unicamp, 1995[1975].

PÊCHEUX, Michel. Ousar pensar, ousar se revoltar: Ideologia, marxismo e luta de classes. In: Décalages. Volume 1. 2015[1984].

Downloads

Publicado

11-12-2018

Como Citar

GUIMARÃES, F. S. Entre a resistência e a submissão à norma: o discurso de e sobre o gênero trans. Travessias, Cascavel, v. 12, n. 3, p. 129–147, 2018. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/20960. Acesso em: 21 jan. 2022.

Edição

Seção

DOSSIÊ TEMÁTICO: Gênero: revisitando teorias, movimentando análises