A fotografia teatral na recepção e na mediação do espectador: o que é visto, o que é dito e o que é

Autores

Palavras-chave:

fotografia, recepção teatral, mediação teatral, espectador.

Resumo


Este artigo reflete uma experiência de recepção e mediação teatral, cuja base metodológica foi a utilização da fotografia como estímulo para a captação das expectativas do espectador. O trabalho expõe o percurso investigativo das potencialidades da fotografia como recurso pedagógico para a mediação teatral do espetáculo Autômatos: Self da Inexistência, da Cia Laica de Teatro. A análise dos dados incluiu as respostas de uma entrevista realizada com os espectadores, impulsionados pela recepção das fotografias (pré-espetáculo) e imagens/cenas do espetáculo (pós-espetáculo). O público, como coautor da cena, estabeleceu conexões entre as percepções advindas anteriormente das fotografias e o momento da recepção do espetáculo, promovendo interações com a memória associadas com a fruição, diante do acontecimento teatral.

Biografia do Autor

Juliana Correia da Luz, Universidade Estadual do Paraná-UNESPAR, Campus de Curitiba II.

Licenciada em Teatro pela Universidade Estadual do Paraná, Campus de Curitiba II

Robson Rosseto, Universidade Estadual do Paraná-UNESPAR, Campus de Curitiba II.

Doutor em Artes da Cena pela Universidade Estadual de Campinas-UNICAMP e Mestre em Teatro pela Universidade Estadual de Santa Catarina-UDESC. Professor do Programa de Pós-Graduação em Artes (PPGARTES) e do Curso de Licenciatura em Teatro, da Universidade Estadual do Paraná-UNESPAR, Campus de Curitiba II.

Downloads

Publicado

03-05-2019

Como Citar

LUZ, J. C. da; ROSSETO, R. A fotografia teatral na recepção e na mediação do espectador: o que é visto, o que é dito e o que é. Travessias, Cascavel, v. 13, n. 1, p. 119–134, 2019. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/22043. Acesso em: 20 jan. 2022.

Edição

Seção

DOSSIÊ TEMÁTICO: Recepção e mediação da Arte Contemporânea