Casamento, negócios e testamentos em “Luís Soares”, de Machado de Assis: uma proposta de leitura

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/rt.v14i3.25000

Palavras-chave:

Casamento, caracteres masculinos e femininos, inviolabilidade senhorial.

Resumo


O conto “Luís Soares” narra a história de um rapaz falido que busca se aproximar de um tio com a ambição de tornar-se seu herdeiro. Publicado inicialmente no Jornal das Famílias, em janeiro de 1869, Machado de Assis coletou “Luís Soares” para fazer parte de Contos Fluminenses, coletânea que gira em torno do tema amoroso, sempre associado ao casamento, normalmente de interesse e com resultados bastante insatisfatórios para as mulheres. Neste artigo, de cunho bibliográfico-analítico, dedicado ao exame do conto “Luís Soares”, propomos observar o modo como Machado mobiliza uma discussão sobre casamento e expectativas masculinas e femininas e a ideia de inviolabilidade senhorial, a partir de um narrador que apenas na aparência adere ao mundo representado por Soares. Para tanto, o artigo está organizado em três seções: na primeira, refletimos sobre o posicionamento do narrador do conto; na segunda, discutimos o modo como Machado faz uso da oposição de caracteres para a construção de seus protagonistas com o objetivo de desnudar as expectativas femininas e masculinas no casamento; na terceira, interessa-nos refletir sobre como se dá a ruptura com as vontades senhoriais por meio de um agente externo à família, mas responsável também pela manutenção da estrutura patriarcal. O conto aponta para aspectos importantes da conformação social do casamento nos oitocentos brasileiro, colocando em confronto as expectativas femininas (que preservavam a ideia de eleição pessoal) e masculinas (centradas em interesses de ordem pessoal e/ou econômica) e a ideia da inviolabilidade senhorial.

Biografia do Autor

Cilene Margarete Pereira, Universidade Vale do Rio Verde (UninCor)

Doutora em Teoria e História Literária (UNICAMP); Professora de Literatura Brasileira e Teoria da Literatura do Programa do Mestrado em Letras e do Programa de Mestrado Profissional em Gestão, Planejamento e Ensino da da Universidade Vale do Rio Verde (UNINCOR).E-mail: prof.cilene.pereira@unincor.edu.br. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa Minas Gerais: Diálogos.

Referências

ASSIS, Joaquim Maria Machado de. Luís Soares. Contos Fluminenses. 2ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira; Brasília: INL, 1977, p. 78-101.

ASSIS, Joaquim Maria Machado de. Machado de Assis – obra completa. Rio de Janeiro, Nova Aguilar, 1992. (v. III), p. 271-370.

ASSIS, Joaquim Maria Machado de. Qual dos dois? In: Histórias românticas. São Paulo: Editora Mérito, 1959, p. 241-335.

BOSI, Alfredo. A máscara e a fenda. In: O enigma do olhar. São Paulo: Ática, 1999, p. 73-126.

CHALHOUB, Sidney. Patriarcalismo e escravidão em Helena. In: CHALHOUB, Sidney. Machado de Assis, historiador. São Paulo: Companhia das Letras, 2003, p. 17-57.

D´INCAO, Maria Ângela. Mulher e família burguesa. In: DEL PRIORE, Mary (org.); BASSANEZI, Carla (coord. de textos). História das mulheres no Brasil. 6ª ed. São Paulo: Contexto, 2002, p. 223-240.

FAORO, Raimundo. De deputado a quase ministro; Classe proprietária: capitalistas ociosos. Valores e rendas. Herança e casamento. In: FAORO, Raimundo. Machado de Assis: a pirâmide e o trapézio. São Paulo: Nacional, 1976, p. 99-126; 204-225.

GRAHAM, Richard. Clientelismo e política no Brasil do século XIX. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 1997. 542 p.

PEREIRA, Cilene Margarete. A arte da ilusão e dos contrastes: algumas considerações sobre narrador e personagens em Ressurreição, de Machado de Assis. Três Corações, Revista Recorte, v. 6, n. 1, p. 1-17, 2009. Disponível em: http://periodicos.unincor.br/index.php/recorte/article/view/2042/1735. Acesso em 20 de fev. 2020.

PEREIRA, Cilene Margarete. Jogos e cenas do casamento: estudos das personagens e do narrador machadianos em Contos Fluminenses e Histórias da meia noite. Curitiba: Ed. Prismas; Appris, 2011. 227 p.

PRADO, Danda. O que é família. São Paulo: Brasiliense, 1985, 92 p.

SCHÜLER, Donaldo. A prosa fraturada. Porto Alegre: Ed. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1983, 133 p.

VAINFAS, Ronaldo. Casamento, amor e desejo no ocidente cristão. São Paulo: Ática, 1986, 94 p.

Downloads

Publicado

30-12-2020

Como Citar

PEREIRA, C. M. Casamento, negócios e testamentos em “Luís Soares”, de Machado de Assis: uma proposta de leitura. Travessias, Cascavel, v. 14, n. 3, p. 77–93, 2020. DOI: 10.48075/rt.v14i3.25000. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/25000. Acesso em: 25 jan. 2022.

Edição

Seção

LITERÁRIA