Coringa e o retrato de um vilão criado pela sociedade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/rt.v15i1.26213

Palavras-chave:

Psicopatia, Esquizofrenia, Doença Mental

Resumo


Esse trabalho é uma resenha crítica do filme Coringa (2019) com direção e produção de Todd Phillips. O filme retrata a história de um adulto em sofrimento com o caminho de sua vida e com problemas de saúde mental. O personagem possui dificuldades de se inserir na sociedade após um tempo recluso no manicômio, o sistema não o ajuda e ele se vê completamente sozinho, a margem da sociedade. A reviravolta acontece com a ascensão do mesmo de um simples palhaço maltratado no emprego para um vilão nitidamente desequilibrado que se torna símbolo da revolta popular contra governantes políticos. Buscou-se analisar os distúrbios mentais existentes do personagem Coringa e a crítica recorrente que o filme faz ao funcionamento da sociedade em relação aos doentes mentais e suas desordens. Trata-se de uma pesquisa de cunho exploratório, tendo como embasamento para discussão a teoria da Psicanálise e sua base bibliográfica. Nutrindo como principais resultados as discussões acerca dos transtornos mentais existentes do personagem e o relapso ao sistema de saúde.

Biografia do Autor

Anna Karolyne Resende Vilar Araujo, Faculdade de Ciências Biomédicas de Cacoal, Facimed, Cacoal, Rondônia, Brasil.

Psicóloga existencial humanista

Referências

DA SILVA, Jordan Prazeres Freitas. A Psicopatia a partir da Psicanálise: desmistificando a visão da mídia. Mneme-Revista de Humanidades, v. 16, n. 37, p. 72-90, 2015.

FREUD, Sigmund. Neurose, psicose, perversão. Autêntica, 1916.

FREUD, S. Mal-estar na civilização (1929-1930). Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1996. Edição Standard Brasileira, v. 21, p. 73-150.

FU I. L., CURATOLO, E., & FRIEDRICH, S. (2000). Transtornos afetivos. Revista Brasileira de Psiquiatria, 22, 24-27.

KAPLAN, H. B.; SADOCK, B. J.; GREBB, J. A. Compêndio de psiquiatria: Ciências do comportamento e psiquiatria clínica. Porto Alegre: Artes Médicas, 2003.

KLEIN, M. Notas sobre alguns mecanismos esquizoides. In: KLEIN, M. Os progressos na psicanálise. Rio de Janeiro. Guanabara, 1982. p. 314-343.

LEWIS, D. Sociopatia: transtorno e delinqüência. Direito e Justiça, v. 31, n. 2, p. 25- 40. 2005.

NETO, F. K., LEMES, C. F., PEDERZOLI, A. A.; HERNANDES, M. L. A. DSM e psicanálise: uma discussão diagnóstica. Revista da SPAGESP, v. 12, n. 2, p. 44-55, 2011.

PHILLIPS,T., COOPER,B., TILLINGER,E. (Producers), & PHILLIPS,T. (Director). (2019). Coringa [Film]. Estados Unidos da América: Warner Bros. Entertainment.

PINHEIRO,L. (2018,19 de Novembro). Ministério da saúde suspende quase R$ 78 milhões em repasses para atendimento à saúde mental. G1. Disponível em https://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2018/11/19/ministerio-da-saude-suspende-quase-r-78-milhoes-em-repasses-para-atendimento-a-saude-mental.ghtml

SILVA, Cristina Martins Cunha da et al. Compreender para intervir: um estudo sobre a prática alienativa nas varas de família. 2011.

SHINE, S. K. Psicopata. Rio de Janeiro: Casa do Psicólogo, 2000.

SUECKER, B. Sociopatia: transtorno e delinquência. Direito e Justiça, v. 31, p. 25-40. 2005.

SZAZZ, T. A fabricação da loucura: um estudo comparativo entre a inquisição e o movimento da saúde mental. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

Downloads

Publicado

27-04-2021

Como Citar

ARAUJO, A. K. R. V. Coringa e o retrato de um vilão criado pela sociedade. Travessias, Cascavel, v. 15, n. 1, p. 180–185, 2021. DOI: 10.48075/rt.v15i1.26213. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/26213. Acesso em: 21 jan. 2022.

Edição

Seção

RESENHAS