Sociabilidade em tempos de quarentena: o WhatsApp como ferramenta de interação social durante a pandemia de COVID-19

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/rt.v15i2.27349

Palavras-chave:

Redes Sociais, Técnica de Observação, COVID-19, Interação Virtual.

Resumo


O homem é um ser social por natureza. A necessidade de se comunicar é algo inerente à sua própria existência. Mas como pode ele se comunicar com outras pessoas em tempos de quarentena e isolamento social que precisam ser seguidos em decorrência da pandemia do coronavírus? O aplicativo WhatsApp mostra-se como sendo um aliado virtual para suprir essa demanda, uma vez que possibilita a interação entre pessoas que não se veem pessoalmente, mas que, por algum motivo, estão ligadas socialmente. Por meio de mensagens informacionais, conversacionais e até mesmo de caráter lúdico, tal aplicativo serve de instrumento para que a socialização e a sociabilidade entre as pessoas continuem acontecendo em tempos de quarentena. Neste artigo, o objetivo é mostrar exemplos reais de três grupos de pessoas e a interação neles realizada através das mensagens trocadas no WhatsApp, para que se observe como a sociabilidade se dá em tais circunstâncias. Usando referências de autores que já escreveram sobre a sociabilidade que ocorre em redes sociais, tais como Recuero (2004), Haroche (2011), Simmel (1983), Palacios (1996) e Santos (2014), e aplicando-se uma metodologia de pesquisa bibliográfica e também de observação estruturada, passiva e realizada em ambiente virtual, onde foram analisadas conversas trocadas entre membros dos três grupos de WhatsApp selecionados para este trabalho, observamos resultados que mostram que, apesar de distantes fisicamente, as pessoas continuam realizando atos de sociabilidade, que, durante o período de quarentena, só são possíveis de ocorrer devido ao uso do aplicativo WhatsApp.

Referências

BAUMAN, Z. Modernidade Líquida. Tradução: Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor Ltda., 2001.

BAUMAN, Z. 44 Cartas do Mundo Líquido Moderno. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2011.

DEBORD, G. A sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

HAROCHE, Claudine. Maneiras de ser, maneiras de sentir do indivíduo hipermoderno. Cad. Metrop. São Paulo, v. 13, n. 26, p. 359-378, jul./dez 2011.

LIPOVETSKY, Gilles. Os tempos hipermodernos. São Paulo: Editora Barcarolla, 2004.

MARTINEZ, Fabiana. Feminismos em movimento no ciberespaço. Cadernos Pagu, v. 56, 2019, e1956.

OTHERO, G. A. A língua portuguesa nas salas de b@te-p@po: uma visão linguística de nosso idioma na era digital. Novo Hamburgo: Berthier, 2002.

PALACIOS, Marcos Silva. Cotidiano e Sociabilidade No Cyberespaco: Apontamentos Para Uma Discussão. In: FAUSTO NETO, Antonio; PINTO, Milton José. (org.). O indivíduo e as mídias. Rio de Janeiro, 1996, p. 87-104. Disponível em: http://www.comunidadesvirtuais.pro.br/hipertexto/biblioteca/palacios.pdf. Acesso em: 25 jul. 2020.

QUADROS, Amanda Maciel de; MARCON, Karina. Os conceitos de Público e Privado nas Redes Sociais e suas implicações Pedagógicas. Revista Espaço Acadêmico, n. 160, set. 2014.

RECUERO, Raquel da Cunha. Elementos para a análise da conversação na comunicação mediada pelo computador. Verso e Reverso - Revista da Comunicação, v. 22, n. 51. 2004. doi: 10.4013/ver.20083.01.

RECUERO, Raquel da Cunha; ZAGO, Gabriela. Em busca das “redes que importam”: redes sociais e capital social no Twitter. LÍBERO, São Paulo, v. 12, n. 24, p. 81-94, dez. 2009. Disponível em: http://seer.casperlibero.edu.br/index.php/libero/article/view/498. Acesso em: 01 ago. 2020.

RECUERO, Raquel da Cunha. A Conversação em Rede: comunicação mediada pelo computador e redes sociais na Internet. Porto Alegre: Sulina, 2012.

ROXO, Luciana de Alcântara. Mulheres no Facebook: Um olhar sobre a sociabilidade e a exposição feminina em uma conversação em rede. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 39., 2016, São Paulo. Anais [...]. São Paulo: Intercom, 2016.

SANTOS, Francisco Coelho dos; CYPRIANO, Cristina Petersen. Redes sociais, redes de sociabilidade. Rev. Bras. Ci. Soc., São Paulo, v. 29, n. 85, p. 63-78, jun. 2014. https://doi.org/10.1590/S0102-69092014000200005.

SIMMEL, G. Sociabilidade, um exemplo de sociologia pura ou formal. In: MORAES FILHO, E. (org.). Georg Simmel: sociologia. São Paulo, Ática, 1983.

TIPOS de Observação Segundo Critérios Específicos; Vania Maria do Nascimento Duarte. Disponível no site Monografias Brasil Escola: https://monografias.brasilescola.uol.com.br/regras-abnt/tipos-observacao-segundo-criterios-especificos.htm. Acesso em: 23 jul. 2021.

VERMELHO, Sônia Cristina; VELHO, Ana Paula Machado; BERTONCELLO, Valdecir. Sobre o conceito de redes sociais e seus pesquisadores. Educ. Pesqui., São Paulo, v. 41, n. 4, p. 863-881, out./dez. 2015. https://doi.org/10.1590/s1517-97022015041612.

Downloads

Publicado

31-08-2021

Como Citar

PEREIRA, F. de F. F.; FORTUNA, D. R.; SILVA, R. da. Sociabilidade em tempos de quarentena: o WhatsApp como ferramenta de interação social durante a pandemia de COVID-19. Travessias, Cascavel, v. 15, n. 2, p. 404–422, 2021. DOI: 10.48075/rt.v15i2.27349. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/27349. Acesso em: 6 dez. 2021.

Edição

Seção

ENSAIOS E TEMAS INTERDISCIPLINARES