BENEFÍCIOS DO CRAMBE (Crambe abyssinica Hochst) PARA O SOLO

Autores

  • Clair Aparecida Viecelli PUC-PR
  • Graziele Afonso Tomasi FAG
  • Ana Claudia Cabral dos Santos FAG
  • Celso Aguiar FAG
  • Cornélio Primieri FAG
  • Helmuth Guilherme Bleil Junior FAG
  • Marco Antônio Andrade FAG
  • Octávio Henrique Viana FAG

Palavras-chave:

adubação verde, rotação de culturas, plantio direto.

Resumo


O crambe (Crambe abyssinica Hochst) é uma oleaginosa promissora para utilização na rotação de culturas. O trabalho foi desenvolvido visando avaliar o desempenho produtivo do crambe na região Oeste do Paraná. Foi avaliado a época de semeadura (abril, maio, junho), a densidade de plantio (8,5, 12, 17,5 kg ha-1), a adubação (0, 100, 200, 300 kg ha-1 – formulado NPK 10-15-15). Verificou-se que a melhor época de semeadura é abril, com densidade de 12 kg ha-1 com produção de biomassa de cobertura que atingiu 1500 kg ha-1, tornando-se promissora como atividade agrícola de entressafra, contribuindo para diversificação da matéria seca a campo e agregação de renda às propriedades pela comercialização das sementes se crambe.

Downloads

Publicado

23-10-2017

Como Citar

VIECELLI, C. A.; TOMASI, G. A.; SANTOS, A. C. C. dos; AGUIAR, C.; PRIMIERI, C.; BLEIL JUNIOR, H. G.; ANDRADE, M. A.; VIANA, O. H. BENEFÍCIOS DO CRAMBE (Crambe abyssinica Hochst) PARA O SOLO. Varia Scientia Agrárias, [S. l.], v. 5, n. 2, p. 69–78, 2017. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/variascientiaagraria/article/view/14731. Acesso em: 10 ago. 2022.

Edição

Seção

Ciências do Solo