O peso das mochilas de escolares de 10 a 15 anos de uma escola pública no Paraná

Jorge Alan Glass, Maria das Graças Anguera

Resumo


A utilização regular de mochilas, frequentemente pesadas, por conta dos materiais necessários para o dia escolar apresenta uma variedade de riscos, principalmente durante o período de crescimento e especialmente na adolescência. Alguns estudos sobre a saúde destacam que as alterações posturais e as dores nas costas de escolares de 10 a 15 anos, são causadas pelo excesso de peso em suas mochilas. Nesse sentido, o objetivo do estudo foi averiguar se o peso das mochilas utilizadas por escolares entre 10 e 15 anos de uma Escola Pública do Paraná está adequado, aceitável ou inadequado de acordo com sua massa corporal, sugerido pela comunidade científica e estabelecido na Lei 17.482/2013. A verificação da adequação do peso da mochila em relação à massa corporal foi feita de acordo com dois parâmetros: um utilizando as classificações sugeridas pela comunidade científica: adequado (≤10% do peso corporal do sujeito);  aceitável (≤15% do peso corporal do sujeito); inadequado (˃15% do peso corporal do sujeito) e o outro parâmetro utilizando as classificações sugeridas pela Lei 17.482/2013: adequado (≤10% do peso corporal do indivíduo) e inadequado (˃10% do peso corporal do indivíduo). Os resultados desse estudo demonstraram que quando feitas as médias agrupadas pela faixa etária, nenhum dos grupos esteve inadequado conforme os parâmetros da literatura que é de até 15% de peso transportado da massa corporal, porém, conforme a Lei 17.482/2013, quatro dos seis grupos etários estiveram inadequados, sendo eles de 10, 11, 12 e 14 anos. Finalmente, existe uma diferença bem significativa, quando comparamos as duas referências de análises, pois, avaliando o resultado da proposta dos autores, a maioria dos pesos das mochilas investigadas se encontra nos padrões adequado e aceitável, que juntos representam quase 90% da amostra, e quando analisado os resultados a partir da Lei 17.482, prevalece o padrão inadequado.


Palavras-chave


Desvios posturais; Peso das mochilas; Escolares.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, J. A. A. Efeito do transporte de mochilas na ocorrência de sintomas músculo-esqueléticos na coluna lombar e membros inferiores em adolescentes com diferentes níveis de maturação. Lisboa. 2011. 98f. Dissertação (Mestrado em Ergonomia) – Universidade Técnica de Lisboa, Lisboa, 2011.

BRANDALIZE, M.; LEITE, N. Alterações ortopédicas em crianças e adolescentes obesos. Fisioterapia em Movimento, Curitiba, v. 23, n. 2, p. 283-8, 2010.

FERNANDES, S. M. S. Efeitos da orientação postural na utilização de mochilas escolares em estudantes do Ensino Fundamental. São Paulo. 2007. 61f. Dissertação (Mestrado em Ciências) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

NANDI, T. Análise do peso da mochila escolar em alunos de 10 a 15 anos de idade do Colégio Estadual de Santa Helena. Santa Helena, 2008. 61f. Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso) – Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Marechal Cândido Rondon, 2008.

PARANÁ. Lei n° 17.482, de 10 de janeiro de 2013. Casa Civil - Sistema Estadual de Legislação. Dispõe sobre o peso bruto máximo do material escolar dos alunos de estabelecimentos de ensino públicos e privados do Estado do Paraná. Diário Oficial nº. 8.874, Curitiba, Paraná, 10 de janeiro de 2013. Disponível em: . Acessado em: 26 de julho de 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Incluir comentário ';



Direitos autorais



Caderno de Educação Física e Esporte

Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE)

Campus de Marechal Cândido Rondon

Rua Pernambuco, 1777 | Centro

Marechal Cândido Rondon | Paraná | 85960-000

F: (45) 3284 7855

E-mail: revista.cefe@unioeste.br

Facebook: https://www.facebook.com/RevistaCEFE/