Determinação de comportamento negativo pelo Pentáculo do Bem-Estar e as variáveis preditivas de saúde

José Morais Souto Filho

Resumo

No intuito de apontar ferramentas que possibilitem avaliar o risco do desenvolvimento de doenças provocadas pelo estilo de vida negativo, a literatura vem apontado inúmeros instrumentos de avaliação, dentre estes está o pentáculo do bem-estar (PBE). O objetivo do estudo foi relacionar a classificação do estilo de vida obtida por meio do PBE com as variáveis que predizem risco de desenvolvimento de doenças e com os componentes da aptidão física individual. Foram avaliadas 108 mulheres fisicamente ativas com idade entre 19 a 39 anos. As avaliadas foram submetidas a uma anamnese, avaliação hemodinâmica, medidas antropométricas, procedimento de composição corporal e testes neuromusculares e cardiorrespiratórios. Como resultados, os parâmetros antropométricos índice de massa corporal (IMC) e relação cintura estatura (RCE) e neuromusculares (resistência abdominal) apresentaram valores estatisticamente significativos (p<0,05) além do IMC e RCE apontarem uma correlação com a classificação obtida pelo PBE. O PBE classificou de formas distintas, indivíduos com diferentes perfis de estilo de vida e apontando uma relação com o estado de risco para o desenvolvimento de doenças metabólicas e cardiovasculares expresso pelas variáveis, sobretudo morfológicas, utilizadas como preditivas de risco que se mostrou distinta entre os dois grupos.

Palavras-chave

Estilo de Vida; Saúde; Aptidão Física.

Texto completo:

PDF

Referências

ARNOT, B. The breast cancer prevention diet: the powerful foods, supplements, and drugs that can save your life. Little, Brown and Company, 1998.

ASHWELL, M.; GIBSON, S. A proposal for a primary screening tool: keep your waist circumference to less than half your height. BMC Medicine, London, v. 12, n. 1, p. 1-6, 2014.

BARROSO, T. A.; MARINS, L. B.; ALVES, R.; GONÇALVES, A. C. S.; BARROSO, S. G.; ROCHA, G. D. S. Association of central obesity with the incidence of cardiovascular diseases and risk factors. International Journal of Cardiovascular Sciences, Rio de Janeiro, v. 30, n. 5, p. 416-24, 2017.

BOING, L.; DE ARAÚJO, C. R. R.; PEREIRA, G.S.; MORATELLI, J.; BENNETI, M.; BORGATTO, A. F.; BERGMANN, A.; GUIMARÃES A. C. A. Sitting time, body image and quality of life in women after breast cancer surgery. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, São Paulo, v. 23, n. 5, p. 366-70, 2017.

BRASIL. Ministério dos Esportes. A prática de esporte no brasil. 2015. Disponível em: . Acessado em: 27 de setembro de 2017.

BUSQUE, A.; YAO, P.-L.; MIQUELON, P.; LACHANCE, É.; RIVARD, M.-C. Lifestyle and health Habits of a canadian university community. Journal of Physical Activity Research, Newark, v. 2, n. 2, p. 107-11, 2017.

COHEN, J.; COHEN, P.; WEST, S. G.; AIKEN, L. S. Applied multiple regression/correlation analysis for the behavioral sciences. New Jersey: Routledge, 2013.

COOPER, C. L.; QUICK, J. C. The hanbook of stress and health: a guide to research and practice. Chichester: John Wiley & Sons, 2017.

DENADAI, R. C.; VÍTOLO M. R.; MACEDO, A. S.; TEIXEIRA L.; CEZAR; C.; DÂMASO; A. R.; FISBERG, M. Efeitos do exercício moderado e da orientação nutricional sobre a composição corporal de adolescentes obesos avaliados por densitometria óssea (DEXA). Revista Paulista de Educação Física, v. 12, n. 2, p. 210-8, 2017.

DIAS, D. F.; DOS REIS, I. S. B.; DOS REIS, D. A.; CYRINO, E. S.; OHARA, D.; CARVALHO, F. O.; CASONATTO, J.; LOCH, M. R. Comparação da aptidão física relacionada à saúde de adultos de diferentes faixas etárias. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano, Florianópolis, v. 10, n. 2, p. 123-8, 2008.

EMANUELSSON, P.; GUNNARSSON, U; DAHLSTRAND, U; STRIGARD, K; , STARK, B. Operative correction of abdominal rectus diastasis (ARD) reduces pain and improves abdominal wall muscle strength: a randomized, prospective trial comparing retromuscular mesh repair to double-row, self-retaining sutures. Surgery, Amsterdam, v. 160, n. 5, p. 1367-75, 2016.

FERES, F.; COSTA, R. A.; SIQUEIRA, D.; COSTA JR, R.; CHAMIÉ, D.; STAICO, R.; CHAVES, A. S.; ABIZAID, A.; NETO, J. A. M.; RESS JÚNIOR, A.; BOTELHO, R.; ALVES, C. M R.; SAAD, J. A.; MANGIONE, J. A.; LEMOS, P. A.; QUADROS, A. S.; QUEIROGA, M. A. C.; CANTARELLI, M. J. C.; FIGUEIRA, H. R. Diretriz da sociedade brasileira de cardiologia e da sociedade brasileira de hemodinâmica e cardiologia intervencionista sobre intervenção coronária percutânea. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, São Paulo, v. 109, n. 1, p. 1-81, 2017.

FETT, C. A.; FETT, W. C. R.; PADOVAN G. J.; MARCHINI, J. S. Mudança no estilo de vida e fatores de risco para doenças crônicas não transmissíveis e sistema imune de mulheres sedentárias. Revista de Nutrição, Campinas, v. 22, n. 2, p. 245-55, 2009.

GORZELAK, M.; PIERZAK, M. Lifestyle and health. Journal of Education, Health and Sport, Bydgoszcz, v. 7, n. 11, p. 268-80, 2017.

HINGORJO, M. R.; ZEHRA,S.; HASAN,Z.; QURESHI, M. A. Cardiorespiratory fitness and its association with adiposity indices in young adults. Pakistan Journal of Medical Sciences, Bethesda, v. 33, n. 3, p. 659-64, 2017.

KATCH, F. I.; McARDLE, W. D. Nutrição, controle de peso e exercício. 3. ed. Rio de Janeiro: MEDSI, 1990.

MATSUDO, S.; ARAÚJO, T.; MATSUDO, V.; ANDRADE, D.; ANDRADE, E.; OLIVEIRA, L. C. Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ): Estudo de validade e reprodutibilidade no Brasil. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde, Pelotas, v. 6, n. 2, p. 5-18, 2012.

McARDLE, W. D.; KATCH, F. I.; KATCH, V. L. Fisiologia do exercício. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 1998.

MOLENA-FERNANDES, C. A.; NARDO JUNIOR, N.; SOARES TASCA, R.; PELLOSO, S. M.; NAKAMURA CUMAN, R. K. A importância da associação de dieta e de atividade física na prevenção e controle do Diabetes mellitus tipo 2. Acta Scientiarum, Maringá, v. 27, n. 2, p. 195-205, 2005.

MOTA, J.; DUARTE, J. A. Estilo de vida activo e saúde. Boletim Sociedade Portuguesa de Educação Física, Lisboa, n. 17-18, p. 47-51, 2017.

NAHAS, M. V.; DE BARROS, M. V. G.; FRANCALACCI, V. O pentáculo do bem-estar-base conceitual para avaliação do estilo de vida de indivíduos ou grupos. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde, Pelotas, v. 5, n. 2, p. 48-59, 2012.

NOBRE, M. R. C. Qualidade de vida. Arquivos Brasileiro de Cardiologia, São Paulo, v. 64, n. 4, p. 299-300, 1995.

NÚÑEZ-PIZARRO, J. L.; GONZÁLEZ-LUNA, A.; MEZONES-HOLGUÍN, E.; BLÜMEL, J. E.; BARÓN, G.; BENCOSME, A.; ESPINOZA, M. T. Association between anxiety and severe quality-of-life impairment in postmenopausal women: analysis of a multicenter latin american cross-sectional study. Menopause, Boston, v. 24, n. 6, p. 645-52, 2017.

PARDINI, R.; MATSUDO, S.; ARAÚJO, T.; MATSUDO, V.; ANDRADE, E.; BRAGGION, G.; RASO, V. Validação do questionário internacional de nível de atividade física (IPAQ - versão 6): estudo piloto em adultos jovens brasileiros. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, Brasília, v. 9, n. 3, p. 45-52, 2008.

PEREIRA, M. W. M.; ARRUDA, A. L.; LIMA, M. S.; MARTINS, K. M. S.; DAMACENA, K. G.; ALVES, G. S. A.; SILVA, J. X.; FERREIRA, A. P. Indicadores antropométricos associados a fatores de risco cardiovasculares em idosos. Gestão e Saúde, Brasília, v. 5, n. 5, p. 3115-31, 2014.

REN, Q.; SU, C.; WANG, H.; WANG, Z.; DU, W.; ZHANG, B. Prospective study of optimal obesity index cut-off values for predicting incidence of hypertension in 18–65-year-old chinese adults. PloS One, San Francisco, v. 11, n. 3, p. e0148140, 2016.

SILVA DINIZ, M. da; LIMA, A. C. S; PEREIRA, H; FERREIRA, G. Prevalência da síndrome pré-menstrual e seus principais sintomas observados em acadêmicas do curso de medicina de uma faculdade do sul de Minas Gerais. Revista Ciências em Saúde, Itajubá, v. 3, n. 2, p. 43-59, 2013.

';