Fatores de aderência e permanência de mulheres nas lutas em Chapecó - SC

Autores

  • Deizi Domingues da Rocha Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó)
  • Adriana Zagonel Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó)
  • Sabrina Lencina Bonorino Instituto Federal do Paraná (IFPR)

DOI:

https://doi.org/10.36453/2318-5104.2018.v16.n2.p29

Palavras-chave:

exercício, motivação, artes marciais, esportes de luta, mulheres.

Resumo


A busca pela prática das mais diferentes atividades físicas vem aumentando com o passar dos anos, quer seja devido seus benefícios estéticos, relacionado à saúde ou à performance. Embora historicamente a presença masculina tenha representado uma hegemonia nas lutas, diferentes estudos têm investigado a relação entre as mulheres e a prática em diferentes modalidades. O objetivo do estudo foi investigar os fatores de aderência e permanência das mulheres praticantes de lutas em academias da cidade de Chapecó, Santa Catarina. Participaram da pesquisa 20 mulheres (±24,26 anos), praticantes das lutas (Taekowndo, Muay-Tai, Capoeira, Boxe, Kung-Fu, Jiu-Jitsu e Caratê). O instrumento utilizado foi um questionário com perguntas abertas e fechadas, que buscavam investigar: motivação, modalidade praticada, tempo total e frequência semanal de prática. Para análise de dados utilizou-se estatística descritiva (análise de frequência e percentual). Como resultados, a busca por melhoria no condicionamento físico e estética são os motivos mais referidos para aderência às modalidades, enquanto 90% das mulheres investigadas referem que o aprimoramento técnico é o motivo que as leva permanecer na modalidade. Dentre as sete modalidades, o boxe é a modalidade mais praticada pelas mulheres, representando 35% da população total investigada, 70% delas praticam a modalidade de duas a três vezes por semana. Os principais motivos que levam as mulheres a praticarem lutas foi a busca por condicionamento físico e melhorias estéticas, sendo o boxe a modalidade mais praticada.ABSTRACT. Factors of adherence and permanence of women in fighting/martial arts in Chapecó – SC. The demand for the practice of the different physical activities has increased over the years, both for its aesthetic benefits, as those related to health or performance. Although historically the male presence has been hegemonic in fights, different studies have investigated the factors related to women’s adherence to practice in different modalities. The aim of this study was analyze factors related to the adherence and permanence of women in fights/martial arts in the city of Chapecó, Santa Catarina. Twenty women (±24.26 years old) practicing fighters (Taekowndo, Muay Tai, Capoeira, Boxing, Kung Fu, Jiu Jitsu and Karate) participated in this quantitative cross-sectional study. The instrument used was a questionnaire that aimed to investigate the motivation, modality practiced, total time and weekly frequency of practice. Descriptive statistics (frequency and percentage analysis) were used for data analysis. Improvements in physical performance and aesthetic question were the most mentioned reasons for adherence to modalities. Among the interviewees, 90% say that technical performance improvement is the main reason that leads them to remain in the modality. Boxing was the most practiced (35%), and 70% of the women surveyed practiced the modality two to three times a week. Physical performance and aesthetic improvements are among the main reasons that lead women to practice fights and the most practiced modality is boxing. Improving technical performance is the main reason for women to adhere to training.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Deizi Domingues da Rocha, Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó)

Docente na Area de Ciências da Sáude no Curso de Educação Física (unochapecó).

Adriana Zagonel, Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó)

Discente de Educação Física, Área de Ciências da Saúde

Sabrina Lencina Bonorino, Instituto Federal do Paraná (IFPR)

Docente do Curso de Educação Física - Licenciatura

Referências

ALLENDORF, D. E. B.; VOSER, R. C. Aspectos motivacionais que levam pessoas de idade adulta entre 20 a 25 anos à academia. Lecturas, Educación Física y Desporte, Revista Digital, Buenos Aires, v. 17, n. 170, 2012. Disponível em: <http://www.efdeportes.com/efd170/aspectos-motivacionais-que-levam-a-academia.htm>. Acessado em: 14 de abril de 2018.

ARAÚJO, A. C. Aderência e permanência de praticantes de exercício físico em academias de Irati, PR. Lecturas, Educación Física y Desporte, Revista Digital, Buenos Aires, v. 16, n. 156, 2011. Disponível em: <http://www.efdeportes.com/efd156/aderencia-e-permanencia-em-academias.htm>. Acessa¬do em: 03 de abril do 2018.

BALBINOTTI, M. A. A.; CAPOZZOLI, C. J. Motivação à prática regular de atividade física: um estudo exploratório com praticantes em academias de ginástica. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 22, n. 1, p. 63-80, 2008.

DECI, E. L.; RYAN, R. M. The “what” and “why” of goal pursuits: human needs and the self-determination of behavoir. Psychological Inquiry, Philadelphia, v. 11, n. 4, p. 227-68, 2000.

ESMERALDINO, H. B.; GRAÇA, R. L. A contribuição da mídia na adesão e aderência à prática de lutas esportivas e artes marciais. Lecturas, Educación Física y Desporte, Revista Digital, Buenos Aires, v. 18, n. 188, 2014. Disponível em: <http://www.efdeportes.com/efd188/a-midia-na-aderencia-a-lutas-esportivas.htm>. Acessado em: 25 de novembro do 2017.

FERNANDES, V.; MOURÃO, L.; GOELLNER, S. V.; GRESPAN, C. L. Mulheres em combate: representação de feminilidades em lutadoras de boxe e MMA. Revista de Educação Física, Maringá, v. 6, n. 3, p. 367-76, 2015.

FERRAZ, S.; ALMEIDA, M. A. B. A inserção da mulher na arte marcial: o caso do Kung-Fu. Lecturas, Educación Física y Desporte, Revista Digital, Buenos Aires, v. 15, n. 166, 2012. Disponível em: <http://www.efdeportes.com/efd166/a-insercao-da-mulher-na-arte-marcial.htm>. Acessado em: 06 de fevereiro de 2018.

FIGUERÔA, K. M.; SILVA, M. M. Impressões femininas sobre a presença da mulher na Capoeira. Revista da Associación Latino Americana de Estudios Socioculturales del Deporte, Curitiba, v. 4, n. 2, p. 16-31, 2014.

GOELLNER, S. V. Gênero e esporte na historiografia brasileira: balanços e potencialidades. Revista Tempo, Rio de Janeiro, v. 17, n. 34, p. 45-52, 2013.

GONÇALVES, A. V. L. As práticas corporais de lutas pela ordem do discurso científico da educação física. 2012. 65f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências) - Universidade Federal do Rio Grande, Pelotas, 2012.

GONÇALVES, M. P.; ALCHIERI, J. C. Motivação à prática de atividades físicas: um estudo com praticantes não-atletas. Psico, Itatiba, v. 15, n. 1, p. 125-34, 2010.

LAIOLA, P. C.; BENETTI, M. V.; DURANTE, J. G.; FRADE, R. E. T.; VIEBIG, R. F. Perda hídrica e taxa de sudorese após o treino de muay thai e jiu-jitsu em uma academia de São Paulo. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, São Paulo. v. 10. n. 59. p. 562-7, 2016

LEITÃO, M. B.; LAZZOLI, J. K.; OLIVEIRA, M. A. B.; NÓBREGA, A. C. L.; SILVEIRA, G. G.; CARVALHO, T.; FERNANDES, E. O.; LEITE, N.; AYUB, A. V; MICHELS, G.; DRUMMOND, F. A.; MAGNI, J. R. T.; MACEDO, C.; ROSE, E. H. Posicionamento oficial da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte: atividade física e saúde na mulher. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, Porto Alegre, v. 6, n. 6, p. 215- 20, 2000.

LESSA, P.; OSHITA, T. A. D.; VALEZZI, M. Quando as mulheres invadem as salas de musculação: Aspectos Biossociais da musculação e da nutrição para mulheres. Revista Iniciação Cientifica Cesumar, Maringá, v. 9, n. 2, p. 109-17, 2007.

LIZ, C. M.; AZEVEDO, J. N.; VILARINO, G. T.; DOMINSKI, F. H.; ANDRADE, A. Os motivos da prática de treinamento de força diferem em relação à idade do praticante. Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Cândido Rondon, v. 13, n. 1, p. 61-7, 2015.

MENNESSON, C. ‘Hard’ women and ‘soft’ women: the social construction of identities among female boxers. International Review for the Sociology of Sport, Newbury Park, v. 35, n. 1, p. 21-33, 2000.

PINTO, S. A.; COSTA, G. C T. Motivação dos praticantes de taekwondo: estudo realizado em academias de Belo Horizonte. Revista Brasileira de Futsal e Futebol, São Paulo, v. 7. n. 27. p. 495-504. 2015

ROCHA, J. M. Motivação para a prática regular de atividades físicas: um estudo com praticantes de taekwondo. 2009. 44f. Monografia (Trabalho de Conclusão do Curso de Educação Física) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

SÁ, C. A. G.; BENNEMANN, G. D.; SILVA, C. C.; FERREIRA, A. J. C. consumo alimentar, ingestão hídrica e uso de suplementos protéicos por atletas de jiu-jítsu. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, São Paulo, v. 9. n. 53. p. 411-8, 2015.

SAMPEDRO, L. B. R.; ROCHA, J. M.; KLERING, R. T.; SALDANHA, R. P.; BALBINOTTI, M. A. A.; BALBINOTTI, C. A. A. Motivação à prática regular de atividades físicas: um estudo com praticantes de taekwondo. Pensar a Prática, Goiânia, v. 17, n. 1, p. 19-32, 2014.

SANTOS, S. C.; KNIJNIK, J. D. Motivos de adesão à prática de atividade física na vida adulta intermediária. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 5, n. 1, p. 23-34, 2006.

SILVA, B. B. P. O.; CAVICHIOLLI, F. R.; CAPRARO, A. M. Adesão e permanência de mulheres no boxe em Curitiba - PR. Motrivivência, Florianópolis, v. 27, n. 45, p. 124-37, 2015.

SILVA, T. E. L.; SILVA, M. G. G.; ESPÍNDOLA, W. C. F. Os benefícios do jiu-jítsu para a saúde: um incentivo para a prática esportiva. RIOS Eletrônica, Paulo Afonso, v. 9, n. 9, p. 186-92, 2015.

SIMÕES, A. C.; CONCEIÇÃO, P. F. M.; NERY, M. A. C. Mulher, esporte, sexo e hipocrisia. In: SIMÕES, A. C.; KNIJNIK, J. D. (Org.). O mundo psicossocial da mulher no esporte: comportamento, gênero e desempenho. São Paulo: Aleph, 2004.

TAVARES JUNIOR, A. C.; PLANCHE, T. C. Motivos de adesão de mulheres a prática de exercícios físicos em academias. Revista Equilíbrio Corporal e Saúde, São Paulo, v. 8, n. 1, p. 28-32, 2016.

VIEIRA, A. C. S.; BIESEK, S. Avaliação do consumo de recursos ergogênicos nutricionais por praticantes de artes marciais em uma academia da cidade de Curitiba - PR. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, São Paulo, v. 9, n. 53, p. 454-62, 2015.

WONG, L. Motivação a prática regular de atividade física: um estudo com praticantes femininos de Aikido. Brasília: Centro Universitário de Brasília, 2014.

Downloads

Publicado

27-08-2018

Como Citar

DA ROCHA, D. D.; ZAGONEL, A.; BONORINO, S. L. Fatores de aderência e permanência de mulheres nas lutas em Chapecó - SC. Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Cândido Rondon, v. 16, n. 2, p. 29–37, 2018. DOI: 10.36453/2318-5104.2018.v16.n2.p29. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/cadernoedfisica/article/view/19319. Acesso em: 26 out. 2021.