Avaliação da autoestima e da paixão por musculação em universitários frequentadores de academia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36453/cefe.2021.n2.25807

Palavras-chave:

Psicologia do exercício, Motivação, Universitários.

Resumo


INTRODUÇÃO: A autoestima é um aspecto psicológico que reflete em diversas áreas da vida dos indivíduos, inclusive na prática de exercício físico. Na mesma perspectiva, a paixão é uma variável motivacional importante e que corresponde à forma como o indivíduo trata uma atividade, para a qual demanda tempo e energia. OBJETIVO: Analisar a autoestima e paixão em universitários praticantes de musculação. MÉTODOS: Participaram da pesquisa com caráter descritivo transversal, 96 universitários (48 homens e 48 mulheres), com média de idade de 21,90±3,10 anos, praticantes de musculação na academia escola da Universidade Estadual de Maringá - PR. Os instrumentos utilizados foram uma ficha de identificação, Escala de Autoestima de Rosenberg e Escala da Paixão. Para análise dos dados foram utilizados os testes Kolmogorov-Smirnov, U de Mann Whitney e coeficiente de correlação de Spearman, adotando-se p<0,05. RESULTADOS: No geral, os resultados demonstraram que os universitários apresentaram elevada autoestima (Md=32,00), valores superiores para paixão harmoniosa (Md=5,20) e inferiores para a paixão obsessiva (Md=2,20). As comparações em função do sexo revelaram diferenças para paixão obsessiva (p=0,003), com valores superiores para os universitários do sexo masculino (Md=2,70) quando comparados ao sexo feminino (Md=2,00). Quando considerado o tempo de experiência da musculação, observou-se que os universitários que praticam a mais de um ano (Md=5,30) apresentaram valores superiores de paixão harmoniosa (p=0,04) quando comparados aos que praticam a menos de um ano (Md=4,90). Ao correlacionar a autoestima e a paixão em função do sexo dos praticantes, identificou-se correlação positiva e fraca entre a paixão harmoniosa e a autoestima nos praticantes do sexo masculino (r=0,396; p<0,05). CONCLUSÃO: Os universitários praticantes de musculação apresentam elevada autoestima e mostram-se apaixonados pela sua atividade. Além disso, para os homens, verificou-se que quanto maior a autoestima maior a paixão harmoniosa pela sua atividade.ABSTRACT. Evaluation of self-esteem and passion for bodybuilding in college students who frequent a gymBACKGROUND: Self-esteem is a psychological aspect that reflects in several areas of individuals’ lives, including the practice of physical exercise. In the same perspective, passion is an important motivational variable that corresponds to the way the individual treats an activity, for which demands time and energy. OBJECTIVE: To analyze self-esteem and passion in college students who practice weight training. METHODS: Participated in this research with a cross-sectional descriptive character, 96 college students (48 men and 48 women), with mean age of 21.90±3.10 years, practicing bodybuilding in the school gym of the State University of Maringá - PR, Brazil. The instruments used were an identification form, Rosenberg Self-Esteem Scale and Passion Scale. The Kolmogorov-Smirnov, Mann Whitney’s U test, and Spearman’s correlation coefficient were used to analyze the data, using p<0.05. RESULTS: Overall, the results showed that college students had high self-esteem (Md=32.00), higher values for harmonious passion (Md=5.20) and lower values for obsessive passion (Md=2.20). Comparisons according to gender revealed differences for obsessive passion (p=0.003), with higher values for male college students (Md=2.70) when compared to female students (Md=2.00). When considered the time of experience in bodybuilding, it was observed that college students who have been practicing for more than a year (Md=5.30) presented higher values of harmonious passion (p=0.04) when compared to those who have been practicing for less than a year (Md=4.90). When correlating the self-esteem and passion in function of the practitioner’s sex, it was identified a positive and weak correlation between harmonious passion and self-esteem in male practitioners (r=0.396; p<0.05). CONCLUSION: The college students who practice weight training present high self-esteem and show passion for their activity. Moreover, for males, it was verified that the higher the self-esteem the higher the harmonious passion for their activity.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Walisson Felipe Rodrigues Figueredo, Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Bacharel em Educação Física.

Caroline Carneiro Xavier, Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Bacharel em Educação Física pela Universidade Estadual de Maringá. Mestranda em Psicologia do Esporte pelo Programa de Pós Graduação Associado em Educação Física UEM-UEL. 

Marcelen Lopes Ribas, Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Bacharel em Educação Física e mestre em Psicologia do Esporte pela Universidade Estadual de Maringá.

Aline Mendes de Lima, Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Psicóloga e mestre em Psicologia do Esporte pela Universidade Estadual de Maringá, acadêmica de Educação Física da Uningá.

Lenamar Fiorese, Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Graduação em Educação Física pela Universidade Estadual de Maringá, Formação em Psicologia pelo Centro de Ensino Superior de Maringá, Mestrado e Doutorado em Ciência do Movimento Humano pela Universidade Federal de Santa Maria, Pós Doutorado na Universidade Federal de Santa Catarina. Professora de nível Associado da Universidade Estadual de Maringá-PR. Professora do Programa Associado de Pós graduação em Educação Física UEM/UEL

Andressa Ribeiro Contreira, Universidade do Estado do Amazonas (UEA)

Graduação em Educação Física - Licenciatura Plena pela Universidade Federal de Santa Maria. Mestre em Ciências do Movimento Humano pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Doutora em Educação Física pelo Programa de Pós graduação Associado em Educação Física UEM-UEL. Bolsista do programa de pós-doutorado no Programa de Pós-graduação Associado em Educação Física UEM/UEL. Professora da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

Referências

BALDISSERA, L.; MACHADO, D. L.; ALVES, L. G.; FALEIRO, D.; ZAWADZKI, P. Benefícios percebidos por praticantes de musculação para a saúde, estilo de vida e qualidade de vida. Unoesc & Ciência - ACBS, Joaçaba, v. 8, n. 2, p. 117-24, 2017.

BIAZOLI JUNIOR, M. Influência de aspectos psicológicos nos praticantes de musculação. 2015. 35f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Educação Física) - Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2015.

CARBONNEAU, N.; VALLERAND, R. J.; LAVIGNE, G. L.; PAQUET, Y. “I’m not the same person since I met you”: The role of romantic passion in how people change when they get involved in a romantic relationship. Motivation and Emotion, New York, v. 40, n. 1, p. 101-17, 2016.

CID, L.; LOURO, H. Praticar natação é uma paixão ou um sacrifício? Estudo da relação entre o tipo de paixão que o atleta sente pela modalidade e a sua orientação motivacional. Revista de Iberoamericana de Psicología del Ejercicio y el Deporte, Las Palmas de Gran Canaria, v. 5, n. 1, p. 99-114, 2010.

CID, L.; SILVA, A.; MONTEIRO, D.; LOURO, H.; MOUTÃO, J. Paixão, motivação e rendimento dos atletas de natação. Revista Iberoamericana de Psicología del Ejercicio y el Deporte, Las Palmas de Gran Canaria, v. 11, p. 53-8, 2016.

DA CRUZ SILVA, T.; FREIRE, G. L. M.; MORAIS, O. S. G.; NASCIMENTO, J. R. D. A. Motivação, bem-estar e autoestima de praticantes de diferentes modalidades de exercício físico. Saúde e Pesquisa, Maringá, v. 12, n. 2, p. 359-66, 2019.

DANCEY, C. P.; REIDY, J. Estatística sem matemática para psicologia. 5. ed. Porto Alegre: Penso, 2013.

DE GODOI, R. C.; YOSHIDA, H. M.; FERNANDES, P. T. Autoestima em praticantes de esportes de aventura. Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Cândido Rondon, v. 18, n. 3, p. 57-62, 2020.

FALCÃO, R. S. Interfaces entre dismorfia muscular e psicologia esportiva. Revista Brasileira de Psicologia do Esporte, São Paulo, v. 2, n. 1, p. 1-21, 2008.

FERNANDES, E. V.; ESTANISLAU, C.; VENANCIO, E. J. Moderate intensity physical exercise: psychoneuroimmunological aspects. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, São Paulo, v. 24, n. 5, p. 395-8, 2018.

FRANÇA, M. C. Nível de autoestima e percepção da imagem corporal em homens praticantes de diferentes treinamentos contra a resistência. 34f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Educação Física) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.

GUZZO, R. S. L. Estudo inicial do Inventário de Autoestima (SEI): Forma A. Psicologia: Reflexão e Crítica, Porto Alegre, v. 15, n. 1, p. 143-50, 2002.

HUTZ, C. S.; ZANON, C. Revisão da adaptação, validação e normatização da escala de autoestima de Rosenberg. Avaliação Psicológica, Campinas, v. 10, n. 1, p. 41-9, 2011.

KOVACEVIC, A.; MAVROS, Y.; HEISZ, J. J.; FIATARONE SINGH, M. A. The effect of resistance exercise on sleep: A systematic review of randomized controlled trials. Sleep Medicine Reviews, Amsterdam, v. 39, p. 52-68, 2018.

MIRANDA, V. S.; SILVA, A. C.; ROCHA, J. S.; SOARES, R. A. S. Estado de saúde e qualidade de vida de mulheres ativas, praticantes de musculação com acompanhamento personalizado ou por meio de consultoria online: uma avaliação com auxílio do questionário SF 36. Intercontinental Journal on Physical Education, Niterói, v. 2, n. 1, e20200006, 2020.

MOTTER, A. G.; ALMEIDA, S.; BELLINI, M. Incidência de vigorexia em praticantes de musculação. Do Corpo: Ciências e Artes, Caxias do Sul, v. 7, n. 1, p. 117-27, 2017.

MOURÃO, C. A.; SILVA, N. M. Influência de um programa de atividades físicas recreativas na autoestima de idosos institucionalizados. Revista Brasileira de Ciências do Envelhecimento Humano, Passo Fundo, v. 7, n. 3, p. 324-34, 2012.

OKAZAKI, F. H. A.; OKAZAKI, V. H. A.; KELLER, B.; de OLIVEIRA AMORIM, G.; COELHO, R. W. O nível de autoestima de atletas de seleções e atletas de clubes do voleibol brasileiro. Coleção Pesquisa em Educação Física, Jundiaí, v. 5, n. 1, p. 1-6, 2007.

OLIVEIRA, L. P. Motivação, estratégias de coping e perfeccionismo em atletas profissionalizados e não-profissionalizados de futebol de campo. 2009. 101f Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2009.

PINTO, R. Paixão e bem-estar subjetivo no desporto adaptado. 2014. 29f. Dissertação (Mestrado em Psicologia do Desporto e Exercício) – Instituto Politécnico de Santarém, Rio Maior, 2014.

PRATES, M. E. F. A paixão pela atividade docente de professores universitários de educação física. 2015. 259f Tese (Doutorado em Educação Física) - Universidade Estadual de Maringá/Universidade Estadual de Londrina, Maringá/Londrina, 2015.

ROSENBERG, M. Society and the adolescent self image. Princeton: Princeton University Press. 1965.

SCHOENFELD, B. J.; OGBORN, D.; KRIEGER, J. W. Effects of resistance training frequency on measures of muscle hypertrophy: A systematic review and meta-analysis. Sports Medicine, London, v. 46, n. 11, p. 1689-97, 2016.

SCHULTHEISZ, T. S. V.; APRILE, M. R. Autoestima, conceitos correlatos e avaliação. Revista Equilíbrio Corporal e Saúde, São Paulo, v. 5, n. 1, p. 36-48, 2013.

SIGMUNDSSON, H.; HAGA, M.; HERMUNDSDOTTIR, F. Passion, grit and mindset in young adults: Exploring the relationship and gender differences. New Ideas in Psychology, Amsterdam, v. 59, e100795, 2020.

SIQUEIRA FILHO, A. C.; FREIRE, G. L. M.; LIMA, K. E. F.; SOUSA, V. C.; NASCIMENTO JUNIOR, J. R. A. Motivação, autoestima e perfil socioeconômico dos praticantes de Sanda do Vale do São Francisco. Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Cândido Rondon, v. 17, n. 2, p. 37-45, 2019

SOUSA, C. A paixão pelo surf e o impacto na motivação e felicidade dos praticantes. 2013. 37f. Dissertação (Mestrado em Psicologia do Desporto e do Exercício) - Instituto Politécnico de Santarém, Rio Maior, 2013.

THOMAS, J. R.; NELSON, J. K.; SILVERMAN, S. J. Métodos de pesquisa em atividade física. 6. ed. Artmed: Porto Alegre, 2012.

VALLERAND, R. J.; BLANCHARD, C.; MAGEAU, G. A.; KOESTNER, R.; RATELLE, C.; LÉONARD, M.; “...” ; MARSOLAIS, J. Les passions de l’ame: on obsessive and harmonious passion. Journal of Personality and Social Psychology, Washington, v. 85, n. 4, p. 756-67, 2003.

VALLERAND, R. J.; MIQUELON, P. Passion for sport in athletes. In: JOWETTE, S.; LAVALLEE, D. Social psychology in sport. Champaign: Human Kinetics, 2007. p. 249-63.

VIEIRA, F. L.; MIZOGUCHI, M. V.; CONTREIRA, A. R.; PASSOS, P. C. B.; COSTA, L. C. A. Modelo dualístico da paixão: um olhar no processo de aderência ao esporte. In: NASCIMENTO, J. V.; SOUZA, E. R.; RAMOS, V.; ROCHA, J. C. S, Educação física e esporte: convergindo para novos caminhos. Florianópolis: UDESC, 2015. p. 513-29.

WEINBERG, R.; GOULD, D. Fundamentos da psicologia aplicada ao exercício e ao esporte. Porto Alegre: Artmed, 2001.

Downloads

Publicado

17-08-2021

Como Citar

FIGUEREDO, W. F. R.; XAVIER, C. C.; RIBAS, M. L.; DE LIMA, A. M.; FIORESE, L.; CONTREIRA, A. R. Avaliação da autoestima e da paixão por musculação em universitários frequentadores de academia. Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Cândido Rondon, v. 19, n. 2, p. 77–83, 2021. DOI: 10.36453/cefe.2021.n2.25807. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/cadernoedfisica/article/view/25807. Acesso em: 26 out. 2021.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)