O VERGALHO, DE MACHADO DE ASSIS – UMA LEITURA SOB A ÓTICA DAS ESTRATÉGIAS DE DOMINAÇÃO CULTURAL E COLONIAL

Autores

  • Marcio da Silva Oliveira

DOI:

https://doi.org/10.48075/rt.v12i27.14478

Palavras-chave:

Ideologia Racial, Psicopatologia, Fragmentação.

Resumo


O objetivo desse artigo é demonstrar, através de um texto de Machado de Assis e do pensamento de Frantz Fanon sobre a psicopatologia do negro, como se realiza a fragmentação do ser colonizado frente às posturas ideológicas do colonizador. Partindo dos conceitos sobre raça e racismo, percebe-se a outremização do sujeito dominado num processo que culmina na perda da identidade pelo indivíduo confrontado com uma imagem negativa de si próprio. A aplicação do pensamento de Fanon ao texto de Machado revela as estratégias do colonizador para manter o colonizado atrelado aos ideais de subserviência, pois a colonização deflagra a aniquilação identitária e o reforço da ideologia dominadante até mesmo por parte daqueles que, em tese, estariam livres de suas amarras. Esse fato é comprovado na obra de Machado por meio da personagem Prudêncio e pelas atitudes da personagem principal, Brás Cubas. 

Downloads

Publicado

12-10-2016

Como Citar

OLIVEIRA, M. da S. O VERGALHO, DE MACHADO DE ASSIS – UMA LEITURA SOB A ÓTICA DAS ESTRATÉGIAS DE DOMINAÇÃO CULTURAL E COLONIAL. Trama, [S. l.], v. 12, n. 27, p. 313–333, 2016. DOI: 10.48075/rt.v12i27.14478. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/trama/article/view/14478. Acesso em: 3 dez. 2021.

Edição

Seção

Temas Livre