NAS PROFUNDEZAS DA ALMA: ENSAIO SOBRE O ROMANCE DIÁRIO DO SUBSOLO, DE FIODOR DOSTOIÉVSKI

Autores

  • Elis Regina Basso
  • Ximena Antonia Díaz Merino

Resumo


RESUMO: Objetiva-se estudar a presença das teorias de Mikhail Bakhtin (1993; 2010) na obra Diário do subsolo, de Fiódor Dostoiévski, mais precisamente os conceitos de romance polifônico, multiplicidade de consciências humanas, dialogicidade interna do discurso, autoconsciência do herói, romance de ideias e inconclusibilidade da narrativa. Além de serem expostas algumas confluências entre o romance russo e Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis; como: o diálogo do narrador com o leitor, a reflexão do narrador sobre sua própria escrita e o fato de o narrador rechaçar seus leitores. Infere-se que Diário do subsolo é uma obra riquíssima e extremante polifônica, sua leitura permite a reflexão sobre nossa própria existência.

PALAVRAS-CHAVE: Romance polifônico. Literatura russa. Homem do subsolo.

Downloads

Publicado

14-08-2015

Como Citar

BASSO, E. R.; DÍAZ MERINO, X. A. NAS PROFUNDEZAS DA ALMA: ENSAIO SOBRE O ROMANCE DIÁRIO DO SUBSOLO, DE FIODOR DOSTOIÉVSKI. Travessias, Cascavel, v. 9, n. 1, 2015. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/11862. Acesso em: 26 jan. 2022.

Edição

Seção

CULTURA