A ESCRITA E O LIVRO DIDÁTICO: UMA RELAÇÃO COM MUITAS FACES

Autores

  • Vera Lucia de Souza Garcia
  • Terezinha da Conceição Costa-Hübes

Palavras-chave:

Produção Textual, Livro Didático, Concepção Interacionista e Dialógica da Linguagem, Teoria dos Gêneros.

Resumo


A escrita desempenha um papel essencial na vida das pessoas porque cumpre funções sociais, estabelecendo relações de identidade entre os sujeitos. Por isso a aprendizagem da escrita é uma das finalidades principais do ensino de Língua Portuguesa e deve ser desenvolvido progressivamente, em suas dimensões, em todos os anos escolares. Para esse fim, no  contexto de sala de aula, o Livro Didático (LD) é  material bastante utilizado. O objetivo deste artigo foi refletir sobre o encaminhamento dado à produção escrita de texto, proposta pelo LD de 9º ano do Ensino fundamental, Jornadas.port, das autoras Dileta Delmanto e Laiz B. de Carvalho, publicado pela Editora Saraiva, parte das coleções indicadas para seleção em 2013. Para isso, nos embasamos nas reflexões especialmente em Bakhtin (2003) e Bakhtin/Volochinov (2004), recorrendo à concepção interacionista de escrita, e concepção de gênero para sustentar a análise proposta, bem como a Geraldi (1997) ao defender a produção de texto como uma atividade de interação.  Como objetos de análise, após o reconhecimento dos encaminhamentos das propostas de produção textual no livro, selecionamos dois encaminhamentos de produção textual, o miniconto e o artigo de opinião, verificando se a orientação correspondia aos pressupostos teóricos defendidos no limiar teórico da Coleção. O estudo possibilitou verificar a coerência do planejamento das propostas de produção textual com a concepção teórica apontada pelas autoras como esteio da coleção citada, no caso a proposta interacionista e dialógica da linguagem e teoria dos gêneros.

 

Downloads

Publicado

29-01-2016

Como Citar

SOUZA GARCIA, V. L. de; COSTA-HÜBES, T. da C. A ESCRITA E O LIVRO DIDÁTICO: UMA RELAÇÃO COM MUITAS FACES. Travessias, Cascavel, v. 9, n. 3, 2016. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/13501. Acesso em: 23 jan. 2022.

Edição

Seção

LINGUAGEM