Literatura infantil e educação: contar histórias e formar leitores

Autores

  • Juliara Dias dos Santos
  • Adão Aparecido Molina

Palavras-chave:

Literatura infantil, Educação, Contação de histórias, Leitura.

Resumo


Este texto tem por objetivo destacar a importância da literatura infantil na educação da criança formando leitores. Descreve, a princípio, um breve histórico quanto à relação entre literatura e educação da criança, em seguida discorre sobre leitura e formação do leitor infantil, para finalizar destaca a importância da contação de histórias na formação do leitor. Foram realizados estudos bibliográficos com os principais autores que discutem o tema, como Regina Zilberman, Betty Coelho, Fanny Abramovich, Nelly Novaes Coelho, entre outros. Antes mesmo de a criança aprender a ler ela ouve histórias, contadas por avós, pelos pais, ou por outras pessoas. São momentos que lhe proporcionam prazer, emoção, suspense, alegria, dentre tantos outros sentimentos. Desde os primórdios o homem das cavernas contava histórias por meio da arte rupestre e em torno de fogueiras. A literatura infantil propriamente dita surgiu apenas no século XVIII, com o “aparecimento” da infância. Além disso, foi nesse século que se desenvolveu significantemente a indústria, facilitando as produções em série, a distribuição e o consumo. Hoje, nota-se certo abandono do livro de histórias e uma predileção pelas imagens da TV, por serem fáceis, prontas e acabadas. É necessário reverter esse quadro. Por isso, torna-se fundamental a contação de histórias, a fim de envolver a criança de tal forma a aproximá-la do livro e da leitura, para que ela possa compreender a realidade na qual vive, tornando-se um indivíduo crítico. O professor precisa incentivar seu educando a ler, embora esse papel seja também da família e do Estado.

Referências

ABRAMOVICH, Fanny. Literatura Infantil: gostosuras e bobices. São Paulo: Scipione, 1997.

AGUIAR, V. T. de. Leituras para o 1º grau: critérios de seleção e sugestões. In: ZILBERMAN, R. (org.) Leitura em crise na escola: as alternativas do professor. 6 ed. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1986.

COELHO, Nelly Novaes. Literatura infantil: teoria, análise, didática. São Paulo: Moderna, 2000.

GIORDANO, Alessandra. Contar histórias: um recurso arteterapêutico de transformação e cura. São Paulo: Artes Médicas, 2007.

MACHADO, Ana Maria. Texturas: sobre leituras e escritos. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.

RIBEIRO, Jonas. Ouvidos dourados: arte de ouvir histórias para depois contá-las. São Paulo: Ave Maria, 1999.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Emílio ou da educação. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1968.

SISTO, Celso. Textos e pretextos sobre a arte de contar histórias. Rio de Janeiro: Proler, 1994.

ZILBERMAN, Regina. A literatura infantil na escola. São Paulo: Global, 1994.

ZILBERMAN, Regina; MAGALHÃES, Ligia Cadermatori. Literatura infantil: autoritarismo e emancipação. São Paulo: Ática, 1984.

Downloads

Publicado

16-09-2016

Como Citar

DOS SANTOS, J. D.; MOLINA, A. A. Literatura infantil e educação: contar histórias e formar leitores. Travessias, Cascavel, v. 10, n. 3, p. 126–140, 2016. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/15072. Acesso em: 20 jan. 2022.

Edição

Seção

LITERÁRIA