A Tradução como um sonho de sobrevivência

Autores

  • Leide Daiane Almeida Oliveira Universidade Federal de Santa Catarina
  • Antonia Elizangela de Morais Gehin Universidade Federal de Santa Catarina

Palavras-chave:

Tradução Cultural, Virada Cultural, Relações de Poder.

Resumo


Este trabalho tem como objetivo apresentar o desenvolvimento da Tradução Cultural, tomando como ponto de partida as mudanças ocorridas no campo da Antropologia Social Pós-colonial, e as transformações que a Virada Cultural trouxe para os Estudos da Tradução. As noções de Tradução Cultural estudadas neste ensaio têm como embasamento teórico estudos realizados, principalmente, por autores como Susan Bassnett e André Lefevere (1992; 1998), Homi Bhabha (1998) e Jacques Derrida (2006), que buscaram, nos textos citados aqui, enfatizar o modo como as relações de poder e dominação interferem no processo tradutório, desde a escolha do texto até a censura de termos linguísticos considerados inadequados para a audiência. Este ensaio também se propõe discutir o conceito de hibridismo em Homi Bhabha, que destaca a identidade híbrida do tradutor e seu papel de agente de transformação social, enquanto habita as fronteiras das diferenças culturais e cultiva o sonho da tradução como sobrevivência. 

Biografia do Autor

Leide Daiane Almeida Oliveira, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutoranda no Programa de pós-graduação em Estudos da Tradução.

Antonia Elizangela de Morais Gehin, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução.

Referências

ASAD, Talal. “The Concept of Cultural Translation in British Social Anthropology”, In: CLIFFORD, James and George E. MARCUS (eds.) Writing Culture: the poetics and politics of ethnography. Berkeley: University of California Press, 1986.

BASSNETT, Susan. LEFEVERE, André. Translation, History Culture. London: Routledge, 1992.

BASSNETT, Susan; LEFEVERE, André. The translation turn in cultural studies. In: Constructing cultures. Essays on literary translation. Clevedon: Multilingual Matters, 1998.

BENJAMIN, Walter. A Tarefa-renúncia do Tradutor. Em: Clássicos da Teoria da Tradução. Florianópolis, Universidade Federal de Santa Catarina, 2001.

BHABHA, Homi. Como o Novo Entra no Mundo. O espaço pós-moderno, os tempos pós-coloniais e as provações da tradução cultural. In: O local da Cultura. Belo Horizonte: UFMG, 1998.

CAMPOS, Augusto. Verso, Reverso, Controverso. São Paulo: Perspectiva, 1978.

CATFORD, J. A Linguistic Theory of Translation. London: OUP, 1965.

EEVEN-ZOHAR, Itamar. “The Position of Translated Literature Within the Literary

Polysystem”, In: VENUTI, Lawrence (ed.) The Translation Studies Reader, London and New York: Routledge, 2nd edition, 2004

HANKS, William; SEVERI, Carlo. Translating worlds: The epistemological space of translation. HAU, Journal of Ethnographic Theory. Vol 4, No 2 (2014).

DERRIDA, Jacques. Torres de Babel. Tradução Junia Barreto. Belo Horizonte: UFMG, 2006.

HERMANS, Theo (ed). The Manipulation of Literature – Studies in Literary Translation. Routledge Revivals, 2014.

TOURY, Gideon. Descriptive Translation Studies – And Beyond, Amsterdam and Philadelphia,

PA: John Benjamins, 1995

VENUTI, Lawrence. The Translator’s Invisibility. Routledge, 2008.

Downloads

Publicado

26-09-2017

Como Citar

OLIVEIRA, L. D. A.; GEHIN, A. E. de M. A Tradução como um sonho de sobrevivência. Travessias, Cascavel, v. 11, n. 2, p. 46–56, 2017. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/16609. Acesso em: 28 maio. 2022.

Edição

Seção

ENSAIOS E TEMAS INTERDISCIPLINARES