A leitura no ensino superior

Autores

Palavras-chave:

Leitura, pesquisa, tecnologia.

Resumo


A preocupação em incentivar a leitura, principalmente no meio acadêmico, é o foco deste trabalho. Para mostrar que há alternativas que podem dar certo, apresenta-se um projeto teórico prático realizado por uma Universidade de Passo Fundo, a qual alia pesquisa em sua atividade relacionando com as disciplinas do semestre, colocando em prática tal aprendizado e fazendo uso, principalmente nas aulas de Língua Portuguesa das tecnologias digitais para o melhor desempenho do trabalho. Percebe-se, assim, que é possível reverter o quadro insatisfatório que se apresenta quando o estudante ingressa no ensino superior sem motivação para ler, basta a Universidade/Faculdade fazer a sua parte e o projeto ora aqui relatado torna-se uma estratégia possível, com professores de outras áreas engajados com a disciplina de Língua Portuguesa, além de contar com toda comunidade acadêmica. A Universidade precisa mostrar à sociedade a importância da leitura no decorrer da vida estudantil, para que o estudante chegue na graduação melhor preparado para tornar-se efetivamente um leitor/pesquisador. Assim, utilizou-se de pesquisa qualitativa, buscando, principalmente subsídios dos teóricos: Katherine Hayles, Róger Chartier, Lúcia Santaella e Henry Jenkins para a construção dos significados. O que se constata, pelas teorias estudadas e pela prática registrada é que ao se utilizar de mecanismos e métodos inovadores que contemplem à leitura logo que o universitário ingresse na instituição de ensino, pode-se formar profissionais pesquisadores em todas as áreas, pois o estudante precisa de motivação e esta se encontra vinculada a forma como o docente conduzirá o trabalho.

 

Biografia do Autor

Margarete Maria Soares Bin, UPF DE PASSO FUNDO/RS

PROFESSORA DE ENSINO SUPERIOR, MESTRE EM LETRAS PELA UNIOESTE DE CASCAVEL-PR, DOUTORANDA EM LETRAS PELA UPF DE PASSO FUNDO-RS, LINHA DE PESQUISA: LEITURA E FORMAÇÃO DO LEITOR.

Miguel Rettenmaier da Silva, UPF-RS

Doutorado em Teoria da Literatura pela PUCRS, Pós-Doutorado pela Universidade de Santiago de Compostela, pesquisador da obra de Josué Guimarães e das relações entre literatura e internet, professor da Universidade de Passo Fundo-UPF, atuando na Graduação, Mestrado e Doutorado.

Referências

ALMEIDA, M. E. B. Letramento digital e hipertexto: contribuições à educação. In: SCHLÜNZEN JUNIOR, Klaus (Org.). Inclusão digital: tecendo redes afetivas/cognitivas. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

ANJOS, Valéria Maria Sant’Ana Britto dos. Ênfase à leitura literária na escola: um caminho para formação do leitor crítico. Santo Antônio de Jesus-BA, 2015.

CATTELAN, João Carlos. A leitura na escola: uma tipificação do leitor. Tempo da Ciência, Toledo: Editora Toledo, v.01, n.03, p. 3-10, 1º sem. 1996.

CHARTIER, Róger. Do códex à tela: as trajetórias do escrito. In: Chartier, R. A ordem dos livros: leitores, autores e bibliotecas na Europa entre os séculos XIV e XVIII. Brasília, DF: UnB, 1994. p. 95-111.

CHARTIER, Róger. Língua e leitura no mundo digital: Os desafios da escrita. São Paulo: Edunesp, 2002.

COSTA, Geilson Silva; CASOTTI, Janayna Bertollo Cozer. A produção de hipercontos no contexto do ensino médio: contribuições da prática multiletrada. Colóquio de Estudos Linguísticos; Vitória-ES; v. 1; n. 1; 2016

DAL MOLIN. Beatriz Helena. DO TEAR A TELA: Uma tessitura de Linguagens e Sentidos para o processo de Aprendência. 2003. 214 f. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção-Área de concentração em Mídia e Conhecimento)- UFSC. Florianópolis.

FAILLA, Zoara. (Org.). Retratos da leitura no Brasil 3. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo: Instituto Pró-Livro, 2012. pp. 93-106.

GUEDES, Paulo Coimbra; SOUZA, Jane Mari de. Não apenas o texto mas o diálogo em língua escrita é o conteúdo da aula de português. In: NEVES, Iara Conceição Bitencourt. (org.) et ali. Ler e escrever: compromisso de todas as áreas. Porto Alegre: UFRGS, 2001.

HAYLES, N. Katherine. Literatura eletrônica: novos horizontes para o literário. São Paulo: Global, 2009.

JENKINS, Henry. Cultura da convergência. 2. ed. São Paulo: Aleph, 2009.

JENKINS, Henry. Cultura da conexão: criando valor e significado por meio da mídia propagável. Tradução Patrícia Arnaud. São Paulo: Aleph, 2014.

LERNER, Delia. Ler e escrever na escola. O real, o possível e o necessário. Porto Alegre. Artmed. 2002.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 1999.

LÉVY, Pierre. O que é virtual? São Paulo: Editora 34, 2010.

MAIA, Rosane Tolentino. A importância da disciplina de metodologia científica no desenvolvimento de produções acadêmicas de qualidade superior. Revista Urutaguá, PR, n. 14, 2008.

PETIT, Michèle. Os jovens e a leitura: uma nova perspectiva. São Paulo: Ed. 34, 2008.

ROSING, Tânia Mariza Kuchenbecker. Esse Brasil que não lê. In: FAILLA, Zoara. (Org.). Retratos da leitura no Brasil 3. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo: Instituto Pró-Livro, 2012. pp. 93-106.

SANTAELLA, Lucia. Navegar no ciberespaço: o perfil do leitor imersivo. São Paulo: Paullus, 2004.

SANTAELLA, Lucia. Comunicação ubíqua. Repercussões na cultura e na educação. São Paulo: Paulus, 2013.

ZILBERMAN, Regina. A leitura e o ensino da literatura. Curitiba: IBPEX, 2012.

Downloads

Publicado

21-12-2017

Como Citar

BIN, M. M. S.; DA SILVA, M. R. A leitura no ensino superior. Travessias, Cascavel, v. 11, n. 3, p. 360–372, 2017. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/17709. Acesso em: 27 maio. 2022.

Edição

Seção

DOSSIÊ TEMÁTICO: LITERATURA E MULTIMEIOS