O realismo maravilhoso em Cem Anos de Solidão: um elemento de representação das memórias do autor

Autores

Palavras-chave:

Realismo maravilhoso, memórias, representação.

Resumo


Em Cem Anos de Solidão, de Gabriel García Márquez, encontramos um cabedal de eventos insólitos: mortos vagam durante a noite; mulher ascende ao céu ao estender um lençol; um padre levita ao comer chocolate; borboletas amarelas seguem um homem para onde quer que ele vá. Essas são apenas algumas das várias passagens em que o maravilhoso se encontra em estado pleno no cotidiano das personagens. Levando em consideração que cada autor se vale do realismo maravilhoso a seu modo, o objetivo deste estudo é, justamente, evidenciar de que forma o insólito se constitui na obra em questão, mediante à análise de trechos nos quais esse recurso literário se faz presente. A partir desse método, procuramos desvendar suas possíveis relações com a história do autor e com o contexto em que surgiu. No decorrer de nossa investigação, concluímos que tal estratégia serve, nesse romance em específico, como um elemento poético de representação das memórias do autor, que confere unidade ao texto e que acaba gerando um sentimento de identificação com uma cultura latino-americana em processo de esquecimento. Partindo de uma pesquisa bibliográfica, utilizamos como suporte teórico alguns estudiosos, como: Emir Rodriguez Monegal (1968) e Irlemar Chiampi (1980), que discutem a respeito da renovação literária da qual Gabo faz parte, Pollak (1989) e Pedruzzi (2014) no que concerne à questão da memória, Selma Calasans (1988; 2004), Alejo Carpentier (1985) e Gabriel García Márquez (1979; 2007), que dialogam sobre realismo maravilhoso e nos ajuda a estabelecer uma conexão com a obra em evidência.

Biografia do Autor

Gabriel Gustavo Santos, Graduando em Letras-Espanhol pela Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), e bolsista PIBIC pela Fundação Araucária.

Graduando em Letras-Espanhol pela Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), e bolsista PIBIC pela Fundação Araucária.

Nerynei Meira Carneiro Bellini

Doutora em Literatura, orientadora PIBIC e docente na Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP)

Referências

CARPENTIER, A. O reino deste mundo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1985.

CALASANS, S. No Labirinto do Fantástico. Babilónia: Revista Lusófona de Línguas, Culturas e Tradição. N. 01, p. 95-102, 2004.

CALASANS, S. O Fantástico. São Paulo: Editora Ática S.A, 1988.

COSTA, A. Os intelectuais, o boom da literatura latino-americana e a Revolução Cubana. Anais do XXVI Simpósio Nacional de História – ANPUH. São Paulo, 2012, p. 1-15.

CHIAMPI, I. O Realismo Maravilhoso: forma e ideologia no romance hispano-americano. São Paulo: Editora Perspectiva, 1980.

FERNÁNDEZ, O. Tiempo de índias: crónicas e imágenes del nuevo mundo y la expresión literaria latinoamericana. Sapiens: Revista Universitaria de Investigación, Año 9, No. 1, 2008, p. 213-235.

FIGUEIREDO, V. L. Realismo Maravilhoso: realismo de outra realidade. In: UNIVERSIDADE, Caderno Globo. Realismo Mágico no século XXI. Rio de Janeiro: Globo, 2013, p. 16-23.

GABO: a invenção de Gabríel García Márquez. Direção: Justin Webster. Espanha/Colombia, 2015.

GARCÍA MÁRQUEZ, G. Cien Años de Soledad. España: Alfaguara, 2007.

GARCÍA MÁRQUEZ, G. Fantasía y creación artística en América Latina y el Caribe. Centro de Investigaciones Lingüístico-Literarias. Universidad Veracruzana, 1979, p. 1-7.

HALL, S. A Identidade Cultural na Pós-Modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

MONEGAL, E. La nueva novela latinoamericana. Centro Virtual Cervantes, 1968.

PEDRUZZI, T. Memória, experiência e ficção em Cem Anos de Solidão e O Tempo e o Vento. 2014. 137 f. Dissertação (Mestrado em Literatura Comparada) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

PIETRI, A. El mestizaje y el Nuevo Mundo. Fondo de Cultura Económica, 1996, pp. 252-262.

PINHO, D. O Realismo Maravilhoso em Terra Sonâmbula de Mia Couto. 2010. 161 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Portugueses) – Universidade de Aveiro, Portugal.

POLLAK, M. Memória e Identidade Social. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 5, n. 10, p. 200-212, 1989.

TODOROV, T. A conquista da América: a questão do outro. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

TODOROV, T. Introdução à Literatura Fantástica. São Paulo: Perspectiva, 2004.

TREVISAN, A. L. Caminhos da Representação do Real. In: UNIVERSIDADE, Caderno Globo. Realismo Mágico no século XXI. Rio de Janeiro: Globo, 2013, p. 27-33.

VARGAS LLOSA, M. Cien Años de Soledad. Realidad Total, Novela Total. In: GARCÍA MÁRQUEZ, Gabriel. Cien Años de Soledad. España: Alfaguara, 2007, p. 25-59.

Downloads

Publicado

11-12-2018

Como Citar

SANTOS, G. G.; BELLINI, N. M. C. O realismo maravilhoso em Cem Anos de Solidão: um elemento de representação das memórias do autor. Travessias, Cascavel, v. 12, n. 3, p. 211–227, 2018. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/20120. Acesso em: 19 maio. 2022.

Edição

Seção

LITERÁRIA