Perspectivas teóricas e práticas acerca dos estudos de gênero, sexo e sexualidade

Autores

Palavras-chave:

Gênero, Sexo, Sexualidade, Pedagogia, Oficina

Resumo


Este texto resulta das reflexões sobre as experiências vivenciadas entre sujeitos em uma oficina sobre gênero, sexo e sexualidade realizada com estudantes da pedagogia da Universidade Federal de Santa Catarina. Objetiva-se demonstrar através das vivências e experiências mediadas na oficina as perspectivas acerca das temáticas de gênero, sexo e sexualidade, e de como podemos desenvolver uma reflexão crítica que envolva diferentes concepções de mundo, de sujeito e de educação. Utiliza-se como referenciais: Bourdieu (1999), Louro (1997, 2003, 2007 e 2010), Scott (1994 e 1995), entre outros/as. Trata-se de um relato de experiência, contextualizado a partir de bases teóricas e descrição da prática pedagógica. A metodologia adotada respaldou-se na pedagogia cultural e no Método Didático da Prática Social (SAVIANI, 2003). Divide-se o artigo em sete partes iniciando pela introdução e na sequência organiza-se o relato em cada parte de ação. Busca-se debater por meio de dinâmicas e exposição teórica as concepções de gênero, sexo e sexualidade no contexto social, cultural e político contemporâneo, compreendendo como os mesmos contribuem para analisarmos as questões do corpo, da sexualidade, da identidade de gênero e de orientação sexual na prática escolar, questões que reconhecemos serem necessárias para a formação inicial e continuada de docente. Verifica-se que a concepção de experiência foi utilizada como categoria fundamental para a construção de um espaço de interações dialógicas de ensino e aprendizagem.

Biografia do Autor

Samira de Moraes Maia Vigano, UFSC

Doutoranda em educação da Universidade Federal de SC - PPGE/UFSC, tutora presencial do curso de Especialização em Gênero e Diversidade na Escola - GDE/UFSC e Orientadora pedagógica dos alunos de graduação - PIAPE/UFSC

Gabriela da Silva, UFSC

Doutoranda em Educação UFSC, professora da EJA do Estado de SC. Mulher trans primeira estudante de doutorado do estado.

Referências

ABGLT, Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais. Secretaria de Educação. Pesquisa Nacional sobre o Ambiente Educacional no Brasil 2015: as experiências de adolescentes e jovens lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais em nossos ambientes educacionais. Curitiba: ABGLT, 2016.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. RJ: Bertrand Brasil, 1999.

BRASIL, Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDBEN. Lei nº 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais/ Ensino Fundamental: orientação sexual. Brasília: Ministério da Educação, 1999.

BRASIL. Conselho Nacional de Combate à Discriminação. Brasil Sem Homofobia: Programa de combate à violência e à discriminação contra GLTB e promoção da cidadania homossexual. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.

BRASIL. Presidência da República. Secretaria de Políticas para as Mulheres. Relatório Anual Socioeconômico das Mulheres. 1. Impr. Brasília: Secretaria de Políticas para as Mulheres, 2013.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz

e Terra, 1982.

GASPARIN, João Luiz. Uma didática para a pedagogia histórico-crítica. 5. ed. rev. (Coleção educação contemporânea). Campinas, SP: Autores Associados, 2012.

LARAIA, Roque de Barros. Cultura: um conceito antropológico. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

LINS, Cleci Terezinha Lima de; GRAUPE, Mareli Eliane. Gênero e diversidade sexual: homofobia no contexto escolar. In: WELTER, Tânia; GROSSI, Miriam Pillar; GRAUPE, Mareli Eliane (Org.). Antropologia, gênero e educação em Santa Catarina. Tubarão: Copiart, 2017. p. 177-201.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997.

LOURO, Guacira Lopes. Currículo, Género e Sexualidade. Portugal: Porto Editora, 2003.

LOURO, Guacira Lopes. Pedagogias da Sexualidade. In: LOURO, Guacira Lopes (Org.). O corpo educado. Pedagogias da Sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

LOURO, Guacira Lopes (Org.). O Corpo educado. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

PETRUCCELLI, José Luis. A cor denominada. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2000.

POGGIO, Inês Soares Nunes. A construção das relações de gênero. In: LAFFIN, Maria Hermínia Lage Fernandes (Org.). Educação de jovens e adultos, diversidade e o mundo do trabalho. Ijuí: Ed. Unijuí, 2012. p. 88-101.

SAVIANI, Dermeval. Escola e Democracia. 36 ed. Campinas: Autores Associados, 2003.

SCOTT, Joan W. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade, n. 20 (2), 1995. p. 71-100.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. 3. ed. Belo Horizonte: 2011.

SIMON. Roger I. A pedagogia como uma tecnologia cultural. In: SILVA, Tomaz Tadeu (Org.). Alienígenas na sala de aula. 11.ed.- Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

Downloads

Publicado

11-12-2018

Como Citar

VIGANO, S. de M. M.; DA SILVA, G. Perspectivas teóricas e práticas acerca dos estudos de gênero, sexo e sexualidade. Travessias, Cascavel, v. 12, n. 3, p. 111–128, 2018. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/20933. Acesso em: 19 maio. 2022.

Edição

Seção

DOSSIÊ TEMÁTICO: Gênero: revisitando teorias, movimentando análises