Masculinidades na escola: uma revisão bibliográfica sistemática nas bases Educ@ e Scielo entre 2008 e 2018

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/rt.v14i1.23210

Palavras-chave:

Educação Sexual, Masculinidades, Escola, Gênero.

Resumo


O ambiente escolar apresenta grande diversidade de pessoas e está sujeito aos conflitos interpessoais, principalmente quando atrelados aos estereótipos de gênero, em especial a masculinidade numa perspectiva biológica, heteronormativa e machista em diversos contextos, inclusive na escola. Assim, o presente trabalho tem por objetivo realizar uma revisão bibliográfica sobre a masculinidade no contexto escolar através de artigos científicos no período entre janeiro de 2008 e setembro de 2018, disponíveis nas bases de dados Scielo e Educ@. O texto justifica-se por apresentar diferentes perspectivas sobre as masculinidades na escola a partir da produção científica dos últimos 10 anos em bases de dados de destaque. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica sistemática utilizando palavras-chave (masculinidade; masculino; escola; escolar; ensino; gênero) para a busca nas bases de dados e sua categorização. Como resultado, encontraram-se 13 artigos científicos no total, correspondendo 8 na base Educ@ e 5 na base Scielo, que foram classificados em três grandes categorias: Violência e Homofobia, Estereótipos e Relações de Gênero, Formação de Professores; Por meio desses dados, notou-se a grande abordagem dos estereótipos e representações de gênero nos artigos e a pouca abordagem de aspectos relacionados à violência, homofobia e formação de professores. É inviável desvincular os processos discriminatório da escola com os estereótipos reforçadores de gênero que são enraizados na cultura humana. Como reflexão, sugere-se a produção de artigos com maior ênfase no processo formativo do professor e sua atuação, e nas reproduções violentas que ocorrem dentro da escola com desvios dos padrões heteronormativos.

Biografia do Autor

Lucas Périco, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (UNESP).

Licenciado em Ciências Biológicas (FCAV/UNESP) e Mestrando em Educação Sexual (FCLAr/UNESP)

Ricardo Desidério da Silva, Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR, Campus de Apucarana) e Faculdade de Ciências e Letras da Universidade Estadual Paulista (UNESP, Campus de Araraquara)

Doutor em Educação Escolar na linha de pesquisa em Sexualidade, Cultura e Educação Sexual pela UNESP/Araraquara. Pós-doutorando junto ao Núcleo de Estudos da Sexualidade (NUSEX, UNESP, Araraquara). Pedagogo e também Licenciado em Ciências e Matemática. Mestre em Educação para a Ciência pela Universidade Estadual de Maringá-PR. Pesquisador nos Grupos SexualidadeVida/USP-CNPq, EDUSEX-Formação de Educadores e Educação Sexual (UDESC) e Grupo de pesquisa sobre educação e sexualidade- GEPEX (UNIOESTE). É avaliador do MEC/INEP para os cursos de Pedagogia (PORTARIA Nº 430, DE 29 DE MAIO DE 2018), consultor de matérias para o site UOL/Mulher/Comportamento; foi professor de Ciências e Matemática na Educação Básica da Rede Pública Estadual do Paraná no período de 1998 a 2015. Atualmente é Professor e Coordenador de Estágio do Curso de Pedagogia da Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR, Campus de Apucarana) e docente no Programa de Pós-graduação em Educação Sexual, nível de mestrado da Faculdade de Ciências e Letras da Universidade Estadual Paulista (UNESP), Campus de Araraquara, SP.

Referências

ALTMANN, Helena. Gênero e esporte: masculinidades e feminilidades na escola. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 24, n. 2, p.665-668, maio/ago. 2016.

BRITO, Rosemeire dos Santos. Rapazes negros e pobres na educação de jovens e adultos: um estudo sobre a relação entre masculinidades e raça. Educação Unisinos, São Leopoldo, v. 20, n. 2, p. 224-233, maio-ago 2016.

CAETANO, Marcio; JÚNIOR, Paulo Melgaço da Silva; GOULART, Treyce Ellen Silva. Famílias, masculinidades e racialidades na escola: provocações queer e decoloniais. Revista da Faeeba: Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 25, n. 45, p.127-146, jan. 2016.

CAVALCANTI, Roberta Ferreira; DINIS, Nilson Fernandes. Discursos sobre homossexualidade e gênero na formação em pedagogia. Pro-posições, Campinas, v. 19, n. 2, p.99-109, 2008.

CORRER, Rinaldo; SOUZA, Ana Paula Vianna de. Expressões da sexualidade: estudo a partir da construção da masculinidade em estudantes do ensino médio. Revista Ibero-americana de Estudos em Educação, Bauru, v. 10, n. 6, p.1-16, 01 jan. 2016.

DULAURE, Jacques-Antonie. O culto do Falo. Lisboa, Editora Hugin, 1998.

FEITOSA, Lourdes M. G. Conde. Cinema e arqueologia: Leituras de gênero sobre a Pompéia Romana. Niterói, v. 10, n. 2, p. 257-271, 2010.

FEITOSA, Lourdes M. G. Conde. Gênero e Sexualidade no mundo romano: a antiguidade em nossos dias. História: Questões & Debates, Curitiba, n. 48/49, p. 119-135, 2008.

FIGUEIRÓ, Maria Neide Damico. Educação sexual: como ensinar no espaço da escola. Revista Linhas, Florianópolis, v. 7, n. 1, p.1-21, 2006. Disponível em: <http://www.periodicos.udesc.br/index.php/linhas/article/view/1323>. Acesso em: 19 nov. 2018.

FRANCO, Maria Laura Puglisi Barbosa. Análise de conteúdo. 3. ed. Brasília: Líber Livro, 2008.

GALET, Carmen; SEFFNER, Fernando. Dois olhares sobre masculinidades no ambiente escolar: Brasil e Espanha. Revista Ibero-americana de Estudos em Educação, v. 11, n. 2, p.767-782, abr. 2016.

JULIO, Josimeire M.; VAZ, Arnaldo M. Representações de masculinidades latentes em aulas de física do ensino médio. Revista Brasileira Educação, Rio de Janeiro, v. 14, n. 42, p. 505-520, Dez. 2009.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero e sexualidade: pedagogias contemporâneas. 2008.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação. Guacira Lopes Louro - Petrópolis, RJ Uma perspectiva pós-estruturalista. Vozes, 1997.

LOURO, Guacira Lopes. O corpo educado: Pedagogias da Sexualidade. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

NUNES, Luciana Borre. Cenas etnográficas para entender representações de masculinidades na escola. Educação (UFSM), Santa Maria, v. 41, n. 2, p.483-494, 21 jul. 2016.

PAI, M. et al. Revisões sistemáticas e metanálises: um guia ilustrado, passo a passo. The National Medical Journal of India, vol. 17, no. 2, pp. 86–95, 2004. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15141602. Acesso em: 03 dez 2018.

PEREIRA, Maria do Mar. Fazendo género na escola: uma análise performativa da negociação do género entre jovens. Ex aequo, Vila Franca de Xira, n. 20, p. 113-127, 2009.

PINHO, Osmundo. Um Enigma Masculino: Interrogando a Masculinidade da Desigualdade Racial no Brasil. Universitas Humanística, v. 77, n. 77, p.227-250, 27 mar. 2014.

PRADO, Vagner Matias do; RIBEIRO, Arilda Ines Miranda. Escola, homossexualidades e homofobia: rememorando experiências na educação física escolar. Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 24, n. 1, p.97-114, 01 abr. 2016.

RABELO, Amanda Oliveira. Professores discriminados: um estudo sobre os docentes do sexo masculino nas séries do ensino fundamental. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 39, n. 4, p.907-925, dez. 2013.

ROSISTOLATO, Rodrigo Pereira da Rocha. Gênero e cotidiano escolar: dilemas e perspectivas da intervenção escolar na socialização afetivo-sexual dos adolescentes. Estudos Feministas, Florianópolis, n. 17, p.11-30, jan./abr. 2009

SEFFNER, Fernando; SILVA, Luciano Ferreira. “Mind the trap”: o menino, a escola e a folha de alface. Revista Educação (PUCRS Online), Porto Alegre, v. 39, n. 3, p. 393-403, set-dez. 2016

SENKEVICS, Adriano Souza; CARVALHO, Marília Pinto de. Casa, rua, escola: gênero e escolarização em setores populares urbanos. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 45, n. 158, p.944-968, out./dez. 2015.

SILVA, Ricardo Desidério. Educação audiovisual da sexualidade: olhares a partir do kit Anti-Homofobia. 2015. Tese (Doutorado em Educação Escolar) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara.

Downloads

Publicado

09-04-2020

Como Citar

PÉRICO, L.; DA SILVA, R. D. Masculinidades na escola: uma revisão bibliográfica sistemática nas bases Educ@ e Scielo entre 2008 e 2018. Travessias, Cascavel, v. 14, n. 1, p. 266–280, 2020. DOI: 10.48075/rt.v14i1.23210. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/23210. Acesso em: 22 maio. 2022.

Edição

Seção

EDUCAÇÃO