O mito de Che Guevara na fotografia e no cinema

Autores

Palavras-chave:

Mito, Che Guevara, Cinebiografia, Documentário biográfico.

Resumo


Che Guevara é ainda hoje uma imagem que se distingue por sua ubiquidade . A figura de Che vestindo uma boina, olhando para o horizonte, representa o mito que cerca a figura de Guevara e é uma daquelas imagens facilmente reconhecidas ao redor do mundo. Mais de cinquenta anos após a morte de Ernesto Guevara, a imagem de Che nos surpreende por sua ubiquidade. Che ressurge em camisetas, fotografias, no cinema e em diversas outras formas, inclusive como santo laico em La Higuera, na Bolívia. Executado em outubro de 1967, sua imagem parece sobreviver e se multiplicar à revelia de seu corpo, o que, somado ao uso comercial e religioso da imagem de Che, leva a alguns acadêmicos a defenderem o esvaziamento completo do seu sentido político. Contudo, tendo em vista que para Barthes (1991) o mito é um sistema semiológico de dois níveis em que o segundo depende do primeiro significado para sobreviver, eu questiono a retórica de aniquilação de sentido político a partir da análise de como dois filmes - Os Diários de Motocicleta (DIÁRIOS, 2004) e El Che: Investigando uma Lenda (EL CHE, 1998) – recriam Che Guevara. Analiso também a relação entre o mito de Che e duas fotografias –  a de Alberto Korda e a de Freddy Alborta – relacionando-as com os filmes.

Biografia do Autor

Olegario da Costa Maya Neto, Universidade Federal de Santa Catarina

acharel e Licenciado pela Universidade Federal de Santa Catarina (2014). Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Inglês da UFSC. Atualmente, cursa doutorado no Programa de Pós-Graduação em Inglês, UFSC. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Literatura Comparada, atuando principalmente nos seguintes temas: literatura e cinema, narrativas de viagem, adaptação, cinema latino-americano, cinebiografia, documentários.

Referências

ANDERSON, John Lee. Che Guevara: a Revolutionary Life. Nova Iorque: Grove Press, 2010.

BARTHES, Roland. Mythologies. Nova Iorque: The Noonday Press, 1991.

BERGAMO, Marlene. In: VASCONCELLOS, Marcos de. Estado de Repressão: Polícia viola lei e ignora Supremo ao algemar adolescente em manifestação. Conjur, 3 de dezembro de 2015. https://www.conjur.com.br/2015-dez-03/pm-viola-lei-ignora-stf-algemar-adolescente-manifestacao. Acesso em: 12 maio 2018.

BERMAN, Paul. The cult of Che: don't applaud The Motorcycle Diaries. Slate Magazine, 24 de Setembro de 2004. https://slate.com/culture/2004/09/should-we-love-che-guevara.html, acesso em 2 de agosto de 2019.

BUSTOS, Ciro. El Che Quiere Verte. Barcelona: Vergara, 2007.

BYRON, George Gordon. Prometheus. Tradução: Vinicius Ferreira Barth. https://escamandro.wordpress.com/2011/10/29/lord-byron-prometheus-1816/, acesso em 2 de agosto de 2019.

CAMBRE, Maria-Carolina. The Semiotics of Che Guevara: Affective Gateways. Londres: Bloomsbury, 2015.

CASEY, Michael. Che's Afterlife: the legacy of an image. Nova Iorque: Vintage, 2009.

DANIELS, Anthony. The Real Che. New Criterion, Nova Iorque, NY, v.23, n.2, p.22-27, 2004.

DIÁRIOS de Motocicleta. Direção de Walter Salles. Provo: Wildwood Enterprises, 2004. DVD.

EL CHE: Investigando uma Lenda. Direção de Maurice Dugowson. Paris: Cinétevé, 1997. DVD.

ESCALANTE, J.P Spicer. From Korda's guerrillero heroico to global brand: Ernesto 'Che' Guevara. In: NIEBYLSKI, Dianna C.; O'CONNOR, Patrick. Latin American icons: fame across borders. Nashville: Vanderbilt University Press, 2014. p. 68-91

FRYE, Northrop. Anatomy of Criticism: Four Essays. Princeton: PUP, 1973.

GUEVARA, Ernesto. Pasajes de la Guerra Revolucionaria: Congo. Roma: Mondadori, 2005.

KALFON, Pierre. Ernesto Guevara: Uma Lenda do Século. Lisboa: Terramar, 2004.

KEMP, Martin. Christ to Coke: How Image Becomes Icon. Nova Iorque: Oxford University Press, 2012.

KUMM, Bjorn. Guevara is dead, long live Guevara. Transition, Indianápolis, IN, v. 75/76, p. 30-38, 1997.

LLOSA, Alvaro Vargas. The killing machine: Che Guevara, from communist firebrand to capitalist brand. The independent institute, 11 de julho de 2005. http://www.independent.org/news/article.asp?id=1535, acesso em 2 de agosto de 2019.

MORAES, Márcio Senne. Debray nega delação que levou Che Guevara à morte. Folha de São Paulo, 22 de Julho 22 de 2001. https://www1.folha.uol.com.br/fsp/mundo/ft2207200109.htm. Acesso em: 2 ago. 2019.

RYAN, Henry Butterfield. The fall of Che Guevara: a story of soldiers, spies and diplomats. Nova Iorque: Oxford University Press, 1998.

SACRIFICIO: Who Betrayed Che Guevara. Dir. Erik Gandini, Tarik Saleh. Atmo Media Network Sveriges Television, 2001. DVD.

ZIFF, Trisha. Che Guevara: Revolutionary & Icon. Londres: V&A, 2006.

Downloads

Publicado

26-12-2019

Como Citar

MAYA NETO, O. da C. O mito de Che Guevara na fotografia e no cinema. Travessias, Cascavel, v. 13, n. 3, p. 253–272, 2019. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/23219. Acesso em: 24 maio. 2022.

Edição

Seção

LITERÁRIA