‘Aqui compra se gallinhas e ms alguma cousa’: um estudo sobre o fenômeno variável da concordância no contexto da passiva sintética ou pronominal, em cartas manuscritas do século XIX

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/rt.v15i1.25666

Palavras-chave:

Variação, Concordância Verbal, Reflexivo SE, Cartas manuscritas.

Resumo


Nos estudos que temos desenvolvido sobre os usos do reflexivo SE, ou concluímos sobre a tendência ao seu apagamento, ou refletimos sobre a sua trajetória no exercício das diversas funções sintático-semânticas que tem assumido. Neste artigo, em particular, trazemos o ‘se’, sob uma abordagem variacionista (LABOV, 1972), não só para descrever o seu comportamento como recurso da indeterminação, em cartas manuscritas do século XIX, mas também para tratar de sua luta com o ‘se apassivador’. Trata-se de uma pesquisa que estuda a relação entre a diminuição da frequência da concordância em estruturas com se e a interpretação desse reflexivo, ou como indeterminador, ou como apassivador (GALVES, 1996, p. 392). O corpus de nossa pesquisa se constitui de 44 cartas escritas à mão, que datam de 1879 a 1889, representando, assim, um decênio de registros, em português, no Amazonas dos tempos áureos da borracha. Nossos resultados, ainda que parciais, corroboram o percurso apontado por Bechara (2004, p. 178): da passiva à indeterminação – não (mais) ‘compram-se galinhas’, mas ‘compra-se galinhas’, como ilustrado no título deste artigo; indicando que, nesse contexto sintático, as ações expressas pelos verbos são assumidas a partir de seus agentes e não de seus pacientes (VILELA; KOCH, 2001, p. 181).

Biografia do Autor

Grace dos Anjos Freire Bandeira, Universidade Federal do Amazonas (UFAM)

Professora de Língua e Literatura Latina da Faculdade de Letras da Universidade Federal do Amazonas.

Referências

ANDRÉ, Hildebrando Afonso de. Gramática Ilustrada. 3. ed. São Paulo: Ed. Moderna, 1982.

AZEREDO, José Carlos de. Gramática Houaiss da Língua Portuguesa. São Paulo: Publifolha, 2010.

BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa. 37. ed. Rio de Janeiro: Editora Lucerna, 2004.

BECHARA, Evanildo. Para quem se faz uma gramática? In: NEVES, Maria Helena de Moura; CASSEB-GALVÃO, Vânia Cristina (Orgs). Gramáticas Contemporâneas do Português: com a palavra, os autores. 1. ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2014. p. 19-30.

COELHO, Izete Lehmkuhl; GÖRSKI, Edair Maria; MAY, Guilherme Henrique; SOUZA, Christiane Maria Nunes de. Sociolinguística. Florianópolis: LLV/CCE/UFSC, 2010.

COUTINHO, Ismael de Lima. Pontos de Gramática Histórica. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1976.

GALVES, Charlotte C. O enfraquecimento da concordância no português brasileiro. In: ROBERTS, Ian; KATO, Mary A. Português Brasileiro: uma viagem diacrônica. 2. ed., Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 1996. p. 387-408.

ILARI, Rodolfo. Lingüística Românica. São Paulo: Ática, 1992.

ILARI, Rodolfo; FRANCHI, Carlos & NEVES, Maria H. M. Os pronomes pessoais do português falado: roteiro para a análise. In: CASTILHO, Ataliba Teixeira de.; BASÍLIO, Margarida (Orgs.). Gramática do Português Falado. v. IV: Estudos Descritivos. Campinas, SP: Editora da Unicamp; São Paulo: FAPESP, 1996. p. 79-166.

LABOV, William. Sociolinguistic Patterns. Philadelphia: University of Pennsylvania Press, 1972.

MAGALHÃES, Hugo Leonardo Pereira. Análise sociofuncionalista da variação de concordância verbal em construções de voz passiva sintética em textos jornalísticos cearenses. 2018. 146f. - Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Linguística, Fortaleza (CE), 2018.

MENON, Odete Pereira da Silva. Analyse sociolinguistique de l’indétermination du sujet dans le portugais parlé au Brésil, a partir dês données du NURC/SP. Tese de doutorado, Université de Paris VII, Paris, 1994.

MENON, Odete Pereira da Silva. A indeterminação do sujeito no português do Brasil: NURC-SP e VARSUL. In: VANDRESEN, Paulino (org.). Variação, Mudança e Contato Lingüístico no Português da Região Sul. Pelotas: EDUCAT, 2006. p.125-167.

NASCENTES, Antenor. O Idioma Nacional. Rio de Janeiro: Livraria Machado e Livraria Alves, 1938.

NUNES, Jairo de Morais. O famigerado Se: uma análise sincrônica e diacrônica das construções com Se apassivador e indeterminador. 172 fl. Dissertação de Mestrado. Campinas: Unicamp, 1990.

NUNES, Jairo de Morais. Se apassivador e se indeterminador: o percurso diacrônico no português brasileiro. Cad. Est. Ling., Campinas, (20):33-58, 1991.

SAID ALI, M. Dificuldades da Língua Portuguêsa. 5. ed., Rio de Janeiro: Livraria Acadêmica, 1957.

SCHERRE, Maria Marta Pereira. Doa-se lindos filhotes de poodle: variação lingüística, mídia e preconceito. São Paulo: Parábola Editorial, 2005.

SILVA, Maria Beatriz Nizza da. Transmissão, conservação e fusão cultural no Rio de Janeiro (1808-1821). Revista de História (USP), v. XLVII, n. 97, p. 154-159, jan/mar 1974.

SILVA, M. Cecília P. de Souza; KOCH, Ingedore Villaça. Lingüística Aplicada ao Português: Sintaxe. 7. ed., São Paulo: Cortez, 1996.

TARALLO, Fernando Luiz. A pesquisa sócio-lingüística. 7. ed., São Paulo: Ática, 2005.

VILELA, Mário; KOCH, Ingedore V. Gramática da Língua Portuguesa. Porto, Portugal: Almedina, 2001.

WEINREICH, V.; LABOV, W.; HERZOG, M. Fundamentos empíricos para uma teoria da mudança linguística. São Paulo: Parábola, 2006 [1968].

Downloads

Publicado

27-04-2021

Como Citar

BANDEIRA, G. dos A. F. ‘Aqui compra se gallinhas e ms alguma cousa’: um estudo sobre o fenômeno variável da concordância no contexto da passiva sintética ou pronominal, em cartas manuscritas do século XIX. Travessias, Cascavel, v. 15, n. 1, p. 126–138, 2021. DOI: 10.48075/rt.v15i1.25666. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/25666. Acesso em: 21 jan. 2022.

Edição

Seção

LINGUAGEM