A literatura do ensino médio nas vozes de acadêmicos de Letras: um relato de experiência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/rt.v15i1.26327

Palavras-chave:

Ensino de Literatura, Letramento Literário, Relato de Experiência.

Resumo


Apresentamos, neste artigo, percepções de acadêmicos de Letras, no que se refere a experiências que estes possuíram com as aulas de literatura no Ensino Médio. Para tanto, consideramos o aporte teórico das teorias do Ensino de Literatura e do Letramento Literário, de modo a confrontar perspectivas clássicas e atuais, e dar voz àqueles que mais necessitam de uma formação crítica enquanto leitores literários, os ex-alunos e futuros professores, formadores de gerações de leitores críticos. Objetivamos, com esta pesquisa, trazer à tona sucessos e lacunas metodológicas, a partir das visões de mundo de futuros professores de língua e literatura, visões estas pautadas em sua vivência e em sua formação escolar. Ao contrastarmos práticas motivadoras e não-motivadoras nas aulas de literatura do ensino médio, a partir dos relatos analisados, concluímos que há grande divergência entre práticas pedagógicas na sala de aula e aquilo que é preconizado pelas teorias do ensino de literatura. Dos quatorze relatos analisados, nove são memórias literárias negativas. Apenas cinco entrevistados apontaram lembranças positivas das aulas de Literatura do Ensino Médio. Além disso, este trabalho reforça a importância do professor enquanto motivador/mediador da prática de leitura por parte dos jovens cidadãos em formação, com vistas a um contínuo processo de letramento crítico. 

Biografia do Autor

Daniel Abud Marques Robbin, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS-CPAN)

Acadêmico de Letras - Português e Espanhol da UFMS-CPAN. Professor de língua portuguesa e literatura no Cursinho Frequência Máxima. Tem como áreas de interesse: Ensino de literatura, Geossolinguística e Semântica Lexical.

Lucilene Machado Garcia Arf, UFMS (Campus do Pantanal)

Professora Adjunta do Curso de Letras/CPAN/UFMS e no Programa de Pós-Graduação em Estudos de Fronteira – PPGEF/UFMS. Especialista em Língua e cultura espanhola pela UCM/Madrid, com bolsa da AECI - Agência Española de Cooperación Internacional. Mestra em Estudos Literários/UFMS e doutorado em Teoria Literária pela Unesp/São José de Rio Preto com estágio em Universidad Complutense de Madrid.

Referências

AGUIAR, Vera; BORDINI, Maria da Glória. Literatura: a formação do leitor: alternativas metodológicas. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1988.

ANTUNES, Benedito. O ensino da literatura hoje. Revista FronteiraZ, nº 14, julho de 2015.

BARTHES, Roland. O prazer do texto. Ed. Perspectiva S.A., 1987.

BORDINI, Maria da Glória. Guia de leituras para alunos de 1º e 2º graus. Centro de Pesquisas Literárias. Porto Alegre: PUCRS/Cortez, 1989.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil [recurso eletrônico]. — Brasília: Supremo Tribunal Federal, Secretaria de Documentação, 2019. 577 p. Atualizada até a EC n. 105/2019.

BRASIL. Orientações curriculares para o ensino médio. Linguagens, códigos e suas tecnologias. Secretaria de Educação Básica. – Brasília : Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2006. 239 p. (Orientações curriculares para o ensino médio ; volume 1).

CANDIDO, Antônio. O direito à literatura. In: Vários Escritos. São Paulo: Duas Cidades, 2004.

COLOMER, Teresa. Andar entre libros. México: Fondo de Cultura Económica, 2005.

COSSON, Rildo. Letramento literário: teoria e prática. 2ª ed., 5ª reimpressão – São Paulo: Contexto, 2014.

COUTINHO, Afrânio. O ensino da literatura. Rio de Janeiro: Departamento de Imprensa Nacional, 1975.

CULLER, Jonathan. O que é literatura e tem ela importância: In: Teoria literária: uma introdução. Trad. Sandra Vasconcelos. São Paulo: Beca Produções Culturais Ltda. 1999.

GARCIA, Joe. Indisciplina na Escola: uma reflexão sobre a dimensão preventiva. R. paran. Desenv., Curitiba, n.95, jan./abr. 1999, p. 101-108.

GINZBURG, Jaime. O ensino de literatura como fantasmagoria. Revista da ANPOLL (Impresso), v. 1, p. 209-222, 2012.

GOMES, Renato Cordeiro. A literatura no ensino de 1º e 2º graus. In: Cadernos da PUC/RJ. Série Letras e Artes: Rio de Janeiro, 1976.

ISER, Wolfgang. O Ato da Leitura: uma teoria do efeito estético. Tradução de Johannes Kreschmer São Paulo: Ed. 34, 1996.

LAJOLO, Marisa. O texto como pretexto. In: ZILBERMAN, Regina (Org.). Leitura em crise na escola: as alternativas do professor. Porto Alegre: Mercado Aberto. 1993, p.51-62.

MARIN, Alda Junqueira. Didática geral. In: UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. Prograd. Ca¬derno de Formação: formação de professores didática geral. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2011, p. 16-32, v. 9.

PAULINO, Graça. Formação de leitores: a questão dos cânones literários. Revista Portuguesa de Educação, vol. 17, núm. 1, 2004, pp. 47-62. Universidade do Minho, Braga, Portugal.

ZILBERMAN, Regina. A leitura e o ensino da literatura. São Paulo: Contexto, 1988.

ZILBERMAN, Regina. Leitura na escola – entre a democratização e o cânone. Revista Literatura em Debate, v. 11, n. 21, p. 20-39, jul./dez. 2017.

Downloads

Publicado

27-04-2021

Como Citar

ROBBIN, D. A. M.; ARF, L. M. G. A literatura do ensino médio nas vozes de acadêmicos de Letras: um relato de experiência. Travessias, Cascavel, v. 15, n. 1, p. 64–80, 2021. DOI: 10.48075/rt.v15i1.26327. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/26327. Acesso em: 22 maio. 2022.

Edição

Seção

LITERÁRIA