A Inocência agreste: a representação do espaço no romance de Visconde de Taunay e na obra fílmica de Walter Lima

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/rt.v15i2.27761

Palavras-chave:

Visconde de Taunay, Walter Lima, Inocência, Representação do espaço.

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar a representação do espaço no romance Inocência (1872) de Visconde de Taunay e na obra fílmica homônima de Walter Lima, de 1983, tendo como enlace a proposição de transcriação, como conceituada por Haroldo de Campos (2019). A elaboração do espaço no romantismo regionalista é condição incontornável, pois propicia o desenrolar da trama e molda a personalidade dos personagens. Tencionamos esclarecer de que maneira a narrativa fílmica de Walter Lima reproduz a premissa taunayana tendo em conta o “duplo real” da linguagem cinematográfica, pontuado por Jacques Aumont (2012). Com isso, propomo-nos a delinear de que modo o espaço transcende sua condição de cenário, amalgamando uma atmosfera agreste, que assenta o perfil e as ações hostis dos personagens. Tendo em vista a representação do espaço como uma categoria da narrativa, cujo gênero ambas as produções eleitas se desdobram, elegemos Luis Alberto Brandão (2002), Osíris Borges Filho (2007), Jennifer Van Sijll (2017), ademais de Bordwell e Thompson (2013) como principal referencial teórico de nosso percurso analítico.

Biografia do Autor

Erick Vinicius Mathias Leite, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

Graduado em Letras Português/Espanhol e suas Literaturas pela Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul (UEMS). Especialista em Língua Inglesa pela Faculdade da Região Serrana (FARESE). Mestrando do Programa de Pós-graduação em Estudos de Linguagens (PPGEL) da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS).Tem experiência no Ensino Básico com as disciplinas de Língua Inglesa, Língua Espanhola, Língua Portuguesa e Literatura. Atua como pesquisador na área de Literatura Brasileira. Tem interesse pelos seguintes temas e autores: Literatura Sul-mato-grossense, Ensino, Relações Étnico-raciais , Romantismo, Aparecido Alves Machado, Monteiro Lobato.

Referências

AUMONT, Jacques (org.). A estética do filme. Trad. Marina Appenzeller. 9. ed. Campinas: Papirus, 2012.

BACHELARD, Gaston. A Poética do Espaço. 7. ed. Tradução: Antonio de Pádua Danesi. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

BARBOSA, João Alexandre. A literatura como conhecimento. In: BARBOSA, João Alexandre. A biblioteca imaginária. São Paulo: Ateliê Editorial, 1996.

BORGES-FILHO, Ozíris. Espaço e Literatura: Introdução à Topoanálise. São Paulo: Ribeirão Gráfica e Editora, 2007.

BOSI, Alfredo. História Concisa da Literatura Brasileira. 50 ed. São Paulo: Cultrix, 2015.

BORDWELL, David; THOMPSON, Kristin. A arte do cinema: uma introdução. Tradução: Roberta Gregoli. Campinas: Editora da Unicamp, 2013.

BRANDÃO, Luis Alberto. Teorias do Espaço Literário. São Paulo: Perspectiva, 2013.

CAMPOS, Haroldo. Transcriação. 3. ed. São Paulo: Perspectiva, 2019.

INOCÊNCIA, Direção: Walter Lima Junior. Produção: Lucy e Luiz Carlos Barreto. Brasil, 1983.

MARETTI, Maria Lídia Lichtscheidl. Um polígrafo contumaz (O Visconde de Taunay e os fios da memória). 1996. 301 f. Tese (Doutorado em Teoria Literária) – Instituto Estadual da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1996.

MEDEIROS, Sérgio. Prefácio para Esta Edição. In: TAUNAY, Visconde de. Memórias: Edição de Sérgio Medeiros. São Paulo: Iluminuras, 2004.

PONTES, José Couto Vieira. História e Literatura de Mato Grosso do Sul. São Paulo: Editora do Escritor, 1981.

SEFFRIN, André. Prefácio: Inocência, A Obra-prima de Taunay. In: TAUNAY, Visconde de. Inocência. São Paulo: Record, 2014.

SIJLL, Jennifer van. Narrativa cinematográfica. Trad. Fernando Santos. São Paulo: Martins Fontes, 2017.

TAUNAY, Visconde de. Inocência. São Paulo: Record, 2014.

TAUNAY, Visconde de. Memórias: Edição de Sérgio Medeiros. São Paulo: Iluminuras, 2005.

Downloads

Publicado

31-08-2021

Como Citar

LEITE, E. V. M. A Inocência agreste: a representação do espaço no romance de Visconde de Taunay e na obra fílmica de Walter Lima. Travessias, Cascavel, v. 15, n. 2, p. 160–177, 2021. DOI: 10.48075/rt.v15i2.27761. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/27761. Acesso em: 6 dez. 2021.

Edição

Seção

DOSSIÊ TEMÁTICO: LITERATURA, CINEMA E INTERMIDIALIDADE: TEXTOS, CONTEXTOS E IMAGENS