ENERGIA DIGESTÍVEL PARA ALEVINOS DE TILÁPIA DO NILO (OREOCHROMIS NILOTICUS) EM BAIXA TEMPERATURA

Edvaldo Geraldo Junior, Fábio Meurer, Laura Trevisan, Lilian Carolina Rosa da Silva

Resumo


O presente trabalho avaliou o efeito de quatro diferentes níveis de energia digestível na dieta sobre o desempenho de alevinos de tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus) criadas em baixa temperatura. Foram utilizados 160 alevinos revertidos sexualmente com peso e comprimento iniciais de 1,21 ± 0,33 g e 4,26 ± 0,32 cm, distribuídos em um delineamento de blocos casualizados, com quatro tratamentos e quatro repetições, sendo que uma unidade experimental consistiu de um tanque rede com de 0,05 m³, contendo 10 alevinos. As rações isoprotéicas (30% de proteína digestível) e isoaminoacídicas para lisina e metionina + cistina, foram formuladas com quatro níveis de energia digestível (2.800; 3.000; 3.400 e 3.600 kcal/kg). Ao final do período experimental, foram avaliados os valores médios de peso final, taxa de crescimento específico, ganho de peso diário, conversão alimentar aparente e sobrevivência. Para os parâmetros corporais, foram avaliados comprimento total e padrão, altura, largura, peso total, peso eviscerado, peso do tronco e peso do hepatopâncreas.  Foi observado diferença significativa (P<0,05) entre os tratamentos no peso total final, largura e peso eviscerado.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.48075/actaiguaz.v3i2.10281

Direitos autorais



Revista Acta Iguazu


ISSN 2316-4093 (versão eletrônica)

Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Campus de Cascavel
Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Energia na Agricultura

Rua Universitária, 1619 - Jardim Universitário
Cascavel – Paraná - CEP: 85819-110
E-mail: revista.actaiguazu@unioeste.br