EFICIÊNCIA DE FUNGICIDAS NO CONTROLE DE DOENÇAS FOLIARES DO TRIGO NO PARANÁ

Autores

  • Daiane Correa
  • Everton Hirochi Nakai
  • Juarez de Marco Junior
  • Avanor Cidral da Costa Junior

DOI:

https://doi.org/10.48075/actaiguaz.v2i1.7954

Resumo


O objetivo do trabalho foi avaliar a eficiência de fungicidas no controle de doenças foliares da cultura do trigo. O experimento foi conduzido no município de Céu Azul - PR, no ano de 2010. Foi utilizada a cultivar de trigo BRS 220, os tratamentos utilizados foram metconazole, propiconazole, tebuconazole, azoxistrobina, azoxistrobina+ciproconazol, piraclostrobina+epoxiconazole, trifloxistrobina+tebuconazole e testemunha. A aplicação dos fungicidas foi realizada quando surgiram os primeiros sintomas da mancha amarela, 50 dias após a semeadura. Foram quantificadas a incidência e severidade da mancha amarela, do oídio, da ferrugem da folha, a produtividade de grãos, o peso de mil grãos e o peso hectolitro. Para a incidência e severidade das doenças foliares, os resultados demonstram que houve diferenças significativas entre os tratamentos testados. Os melhores resultados de eficiência de controle da incidência, severidade e para a produtividade de grãos foram obtidos nos tratamentos a base de azoxistrobina+ciproconazole, piraclostrobina+epoxiconazole e trifloxistrobina+tebuconazole. Os diferentes fungicidas testados não apresentaram diferenças significativas para o peso de mil grãos e para o peso hectolitro. Pode-se concluir que os fungicidas a base de piraclostrobina+epoxiconazole, azoxistrobina+ciproconazole e trifloxistrobina+tebuconazole demonstraram maior eficiência no controle das doenças foliares do trigo no Paraná.

Downloads

Publicado

01-01-2000

Como Citar

CORREA, D.; NAKAI, E. H.; JUNIOR, J. de M.; DA COSTA JUNIOR, A. C. EFICIÊNCIA DE FUNGICIDAS NO CONTROLE DE DOENÇAS FOLIARES DO TRIGO NO PARANÁ. Acta Iguazu, [S. l.], v. 2, n. 1, p. 20–28, 2000. DOI: 10.48075/actaiguaz.v2i1.7954. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/actaiguazu/article/view/7954. Acesso em: 17 out. 2021.

Edição

Seção

ARTIGOS CIENTÍFICOS