INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO DE GESSO EM ARGISSOLO SALINO NO DESENVOLVIMENTO DO JATOBÁ

Carlos Matos, Kelen Almeida, Romildo Alves, Fernando Luiz Figueirêdo, Admilson Carvalho, Monique Sousa

Resumo


A alta concentração de sais solúveis e sódio trocável encontrada em solos do semiárido brasileiro podem reduzir, interferir ou até mesmo impedir o desenvolvimento vegetal e consequentemente a produção das culturas. O objetivo desse trabalho foi testar a adaptação do jatobá (Hymenaea courbaril L.) a um Argissolo salino-sódico corrigido com gesso. O experimento foi realizado no Campus II da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), localizado em Juazeiro-BA, com Argissolo salino cultivado com jatobá, espécie nativa da Caatinga, com cinco repetições em Delineamento Inteiramente Casualizado (DIC), totalizando 20 unidades experimentais por um período de dois meses. Verificou-se a variação de salinidade por intermédio da condutividade elétrica e concentração de sódio no início e término do experimento (0 e 60 dias). Também se considerou a mortalidade das mudas após transplantio. Não foram observados impactos significativos das dosagens de gesso sobre as variáveis do solo e mortalidade de mudas. No entanto, a adaptação do jatobá a altos níveis de salinidade norteia futuros trabalhos quanto à resistência da espécie a ambientes salinos.


Texto completo:

PDF


Direitos autorais



Revista Acta Iguazu


ISSN 2316-4093 (versão eletrônica)

Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Campus de Cascavel
Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Energia na Agricultura

Rua Universitária, 1619 - Jardim Universitário
Cascavel – Paraná - CEP: 85819-110
E-mail: revista.actaiguazu@unioeste.br