Educação física infantil e o jogo de faz de conta como estratégia pedagógica

Marcos Paulo Vaz de Campos Pereira, José Ronivan Faria, Adriano Correa Oliveira, Fabrício João Milan, Virgínia Mara Próspero Cunha, Gelcemar Oliveira Farias

Resumo

Introdução: No contexto da educação infantil em Educação Física, práticas descontextualizadas e balizadas apenas pelo gesto motor limitam o desenvolvimento integral do educando. Objetivo: Diante deste cenário o objetivo é apresentar uma proposta pedagógica pautada no jogo de faz de conta, para o ensino da Educação Física na Educação infantil. Métodos: Trata-se de um ensaio teórico que propõe uma sistematização respaldada pelas dimensões dos conteúdos, utilizando o jogo de faz de conta como estratégia pedagógica e constituída por meio de uma rede complexa dos conteúdos. Resultados: A proposta pedagógica foi elaborada pelo agrupamento dos conteúdos: bola mão, bola pé, lutas, atividades rítmicas e expressivas. Conclusão: Esta proposta explora a criatividade do educando pela imprevisibilidade do jogo, permite a liberdade de expressão, e respeita seu conhecimento prévio, contribuindo para a sua formação integral. Não se trata de um modelo rígido, mas uma possível referência para o trabalho docente.

ABSTRACT. Child physical education and the play of account as a pedagogical strategy. Background: In the context of physical education in early childhood education, practices decontextualized and marked only by the motor gesture limit the integral development of the student. Objective: In view of this scenario, the objective is to present a pedagogical proposal based on the play of account for the teaching of Physical Education in children’s education. Methods: It is a theoretical essay that proposes a systematization supported by the dimensions of the contents, using the make-believe game as a pedagogical strategy and constituted through a complex network of contents. Results: The pedagogical proposal was elaborated by the grouping of contents: handball, football, fights, rhythmic and expressive activities. Conclusion: This proposal explores the creativity of the learner by the unpredictability of the play, allows freedom of expression, and respects their prior knowledge, contributing to their integral formation. It is not a rigid model, but a possible reference for teaching work.

Palavras-chave

Educação Física; Jogos e Brinquedos; Escolas Maternais.

Texto completo:

PDF

Referências

ALBERT, R.; BARABÁSI, A. Statistical mechanics of complex networks. Reviews of Modern Physics, Washington, v. 74, n. 1, p. 47-97, 2002.

AYOUB, E. Reflexões sobre a educação física na educação infantil. Revista Paulista de Educação Física, São Paulo, v. 1, Supl.4, p. 53-60, 2001.

BARROSO, A. L. R., DARIDO, S. C., Pedagogia do Esporte e as dimensões dos conteúdos: conceitual, procedimental e atitudinal. Revista da Educação Física, Maringá, v. 20, n. 2, p. 281-9, 2009.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Referencial curricular nacional para a educação infantil. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998. Disponível em: . Acessado em: 21 de janeiro de 2019.

BRASIL. Ministério da educação. Base Nacional Comum Curricular: Educação é a base. Brasília: MEC, 2017. Disponível em: . Acessado em: 21 de janeiro de 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. Secretaria de Educação Básica. Secretaria de Educação Básica. Brasília: MEC, SEB, 2010. Disponível em: . Acessado em: 21 de janeiro de 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Indicadores da Qualidade na Educação Infantil. Secretaria da Educação Básica. Brasília: MEC/SEB, 2009.Disponível em: . Acessado em: 21 de janeiro de 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros nacionais de qualidade para a educação infantil. Secretaria de Educação Básica. Volume 1. Brasília, DF, 2006. Disponível em: . Acessado em: 21 de janeiro de 2019.

CARVALHO, A. G. S.; SILVA JÚNIOR, A. P. Educação física na educação infantil no município de Marechal Cândido Rondon – PR: um estudo de caso. Caderno de Educação Física, Marechal Cândido Rondon, v. 10, n. 18, p. 47-57, 2011.

CAVALARO, A. G.; MULLER, V. R. Educação física na educação infantil: uma realidade almejada. Educar, Curitiba: Editora UFPR, 2009.

FABIANI, D. J.; SCAGLIA, A. J. O inventário da cultura lúdica: os espaços, os materiais e os jogos desenvolvidos pelas crianças no horário livre. Ludicamente, Buenos Aires, v. 14, n. 7, p. 1-22, 2018.

FILADELFO, E. A. P.; FILADELFO, J. R. Análise das teorias dos estágios aplicadas aos estudos do desenvolvimento infantil. Caderno de Educação Física, Marechal Cândido Rondon, v. 5, n. 10, p. 189-94, 2003.

FREIRE, J. B. O Jogo entre o riso e o choro. São Paulo: Autores Associados, 2002.

FREIRE, J. B.; SCAGLIA, A. J. Educação como prática corporal. São Paulo: Scipione, 2003.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2015.

HUIZINGA, J. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. São Paulo: Perspectiva, 1999.

KISHIMOTO, T. M. O brincar e suas teorias. São Paulo: Cengage Learning, 2011.

LEONARDO, L.; SCAGLIA, A. J.; REVERDITO, R. S. O Ensino dos Esportes Coletivos: Metodologia pautada na Família dos Jogos. Motriz, Rio Claro, v. 15, n. 2, p. 236-46, 2009.

PASSOS, P.; DAVIDS, K.; ARAUJO, D.; PAZ, N.; MINGUÉNS, J.; MENDES, J. Networks as a novel tool for studying team ball sports as complex social systems. Journal of Science and Medicine in Sport, Oxford, v. 14, n. 2, p. 170-6, 2011.

PEREIRA, M. P. V. C.; CIRINO, C.; MILAN, F. J.; RESENDE, R. Reflexões Sistêmicas do Jogo: Contribuições para a Educação Física. Journal of Sport Pedagogy and Research, Maia, v. 4, n. 3, p. 60-4, 2018.

PEREIRA, M. P. V. C.; FARIAS, G. O.; CIRINO, C.; SCAGLIA, A. J. O jogo como estratégia pedagógica para o ensino da educação física escolar no 5º ano do ensino fundamental I. Corpoconsciência, Cuiabá, v. 20, n. 3, p. 1-8, 2016.

PETRAGLIA, I. C. Edgar Morin: a educação e a complexidade do ser e do saber. Petrópolis: Vozes, 2002.

SACRISTÁN, J. G.; GOMEZ, A. I. P. Compreender e transformar o ensino. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

SAURA, S. C.; MEIRELLES, R.; ECKSCHMIDT, S. Educação Física Escolar: sentir, pensar e agir na Educação Infantil – considerações para um possível caminho do brincar espontâneo. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 29, Supl. 29, p. 29-27, 2015.

SAYÃO, D. T. Educação física na educação infantil: riscos, conflitos e controvérsias. Motrivivência, Florianópolis, v. 6, n. 13, p. 221-40, 1999.

SCAGLIA, A. J. O futebol e os jogos/brincadeiras de bola com os pés: todos semelhantes, todos diferentes. 2003. 164 f. Tese (Doutorado em Educação Física) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2003

SCAGLIA, A. J.; REVERDITO, R. S.; GALATTI, L. R. A contribuição da pedagogia do esporte ao ensino do esporte na escola: tensões e reflexões metodológicas. In: MARINHO, A.; NASCIMENTO, J. V. do; OLIVEIRA, A. A. B. (Orgs.). Legados do esporte brasileiro. Florianópolis: UDESC, 2014.

SCAGLIA, A. J.; REVERDITO, R. S.; LEONARDO, L.; LIZANA, C. J. R. O ensino dos jogos esportivos coletivos: as competências essenciais e a lógica do jogo em meio ao processo organizacional sistêmico. Movimento, Porto Alegre, v. 19, n. 4, p. 227-49, 2013.

SCAGLIA. Referencial Curricular da Educação básica das Escolas Públicas Municipais de Franca. Franca (SP), 2007. Disponível em: . Acessado em: 07 de outubro de 2017.

SILVA, R. A. S.; RUBIO, J. A. S. A utilização do jogo simbólico no processo de aprendizagem na educação infantil. Revista Eletrônica Saberes da Educação, São Roque. v. 5, n. 1, p. 1-15, 2014.

VIGOTSKY, L. S. Aprendizagem e desenvolvimento intelectual na idade escolar: linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo: Ícone, 1988.

VIGOTSKY, L. S.; COLE, M. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

ZABALA, A. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

ZIMMERMANN, A. C.; SAURA, S. C. Jogos tradicionais. São Paulo: Laços, 2014.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Incluir comentário
';